08/01/2018 às 05h15min - Atualizada em 08/01/2018 às 05h15min

Promessas de Ano-novo

ADRIANA KARIMI MANISH | COLUNISTA

Todo ano, no dia 31 de dezembro, faço metas a serem cumpridas no ano seguinte. Aprender um novo idioma, terminar minha eterna faculdade, ler mais, orar mais e emagrecer. Esta meta é uma das que me persegue por anos a fio. Em 2013 eu precisava eliminar 5 quilos, agora em 2018 são 20 quilos. Tenho que levar essa meta mais a sério.

Neste ano ainda não escrevi minhas metas, pois quero fazer algo mais consciente. Traçar metas com planos de execução, para que não fiquem apenas no papel.

Médico psiquiatra, escritor e consultor organizacional, Roberto Shinyashiki recomenda criar no máximo três metas para serem alcançadas ao longo dos meses seguintes. “Uma das atitudes mais nocivas para as pessoas é começar novos planos a cada dois, três meses”, ressalta o especialista, autor do livro recém-lançado “Pare de dar murro em ponta de faca”. Para ele, é importante ter dedicação para cumprir projetos sem “pular de galho em galho”.

O emagrecimento é um desejo que muitas pessoas têm. Uma ótima sugestão para alcançar esta meta é um esforço contínuo e coletivo. Estabeleça esta meta junto com sua família, por exemplo. É fato que um emagrecimento coletivo é mais duradouro e eficaz, visto que um encoraja o outro.

Convenhamos: fazer seis refeições por dia, cortar os doces, comer frutas e verduras. Tudo isso, na teoria, está na ponta da língua da maior parte das pessoas. No entanto, na vida prática, nem sempre é simples manter o peso ideal a partir de hábitos saudáveis. Salada não cheira igual a uma deliciosa lasanha, ou uma pizza suculenta. (Desculpe os adjetivos, mas como estou passando por uma reeducação alimentar só penso em comida).

De acordo com os especialistas, a educação alimentar é uma das principais ferramentas para entrar em forma, e a mudança de hábito não começa na academia ou no consultório - e sim, dentro de casa.

Para ajudar nessa meta, reuni 50 dicas para nos ajudar a colocar um sorrisinho de meta cumprida. Vamos dividir essas dicas nas próximas semanas para que você possa ir ao poucos. Pois educar é mudança de hábito e não pode ser tudo de uma vez. Agride a gente e nos faz lembrar de castigo. Pelo menos eu penso assim.

Então vou fazer junto com vocês. Pois preciso muito. Lembrando que não vou passar cardápio ou algo assim por ser individual. E fuja de profissionais que tenham dietas de gaveta. Cada organismo reage de uma forma e você merece ser acompanhado de forma individual e exclusiva. Vamos às dicas do que não convém fazer:

1. Não tomar café da manhã: algumas pessoas não têm tempo para tomar o café da manhã, outras, simplesmente não têm fome. Mas, depois de um jejum de, no mínimo, seis horas, o corpo precisa de energia para seguir suas atividades. A primeira refeição do dia é essencial. Assim, damos energia para que o corpo possa funcionar e evitamos quadros de hipoglicemia e mal-estar. Reeducação não é passar fome. Seu corpo precisa de energia para não pifar, assim como o carro precisa de gasolina para andar.

2. Tomar muito café ao longo do dia: um cafezinho fresco é algo irresistível para boa parte dos brasileiros, mas, como tudo em excesso é prejudicial, com ele também não poderia ser diferente. O café é bom para o coração, é energético, porém tem cafeína, que em excesso pode fazer mal para o organismo, principalmente para quem tem histórico de pressão alta. Além disso, o café pode dar celulite ou acentuar o quadro. Uma xícara de café pequena por dia é o suficiente.

3. Cortar o carboidrato radicalmente da alimentação: essa é uma técnica que continua sendo uma das mais usadas por algumas pessoas que querem emagrecer alguns quilinhos. A primeira resposta do corpo é mesmo o emagrecimento. Mas depois de certo tempo começam os problemas. A falta de carboidrato pode causar uma fadiga muito grande, a pessoa vai ficar sem energia, apática, cansada, pode ter queda de cabelo, enfraquecimento das unhas e mau humor. Basta escolher os carboidratos certos.

É fato!  Fácil não é. E também não há fórmulas mágicas ou receitas secretas. É matemática. Mais gasto com menor ingestão calórica é igual à perda de peso - mas com qualidade de vida.

Relacionadas »
Comentários »