03/08/2022 às 10h40min - Atualizada em 03/08/2022 às 10h40min

​Responsável por reservatório que se rompeu e jogou lama no Rio Uberabinha é multado em quase R$ 700 mil

Proprietário da Fazenda Santa Fé foi autuado por intervenção em Área de Preservação Permanente e dano ao recurso hídrico

REDAÇÃO I DIÁRIO DE UBERLÂNDIA
Acidente com piscinão foi registrado no dia 18 de julho a 40 km de Uberlândia I Foto: Polícia Militar do Meio Ambiente
O Núcleo de Emergência Ambiental (NEA) informou nesta quarta (3) que o proprietário da Fazenda Santa Fé, em Uberlândia, local onde houve o rompimento parcial de um reservatório que trouxe impactos ambientais ao Rio Uberabinha e danos à vegetação em áreas de preservação, foi multado em R$ 689.606,97.
 
De acordo com informações do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), o Núcleo de Emergência Ambiental (NEA), da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), recebeu nesta segunda (1º) uma cópia do Laudo Técnico Preliminar de Investigação do Acidente e Respectivos Danos Ambientais, que apura os prejuízos causados pelo rompimento do reservatório ocorrido no dia 18 de julho.
 
No documento, o dono da Fazenda afirma que está realizando um relatório de inspeção e monitoramento da água do córrego, do reservatório e o trajeto percorrido pela água após o acidente. O proprietário informou às autoridades que está esvaziando o piscinão e que a área do entorno foi isolada.
 

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram

Ainda de acordo com o dono da propriedade, um especialista em barragens irá avaliar a causa do rompimento do piscinão. O auto de infração, emitido pela Superintendência Regional de Meio Ambiente Triângulo Mineiro (Supram-TM), autuou o responsável por provocar intervenção em Área de Preservação Permanente; causar intervenção com dano ao recurso hídrico e por deixar de comunicar o acidente no tempo exigido pela legislação.
 
Por meio de nota emitida nesta quarta (3), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) informou que o nível de turbidez na captação da ETA Sucupira está próximo do normal. Já a produção está normalizada em 1 mil litros por segundo.
 


O rompimento do reservatório de água na propriedade rural prejudicou cerca de 17 hectares de lavoura de milho e 33,81 hectares de área de preservação permanente. Segundo o relatório da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), houve remoção de vegetação e exposição da argila do solo. O Rio Uberabinha foi atingido pela lama, com carreamento dos sedimentos para o curso d’água.
 
Em comunicado emitido no dia 27 de julho, o Dmae informou que a captação da Estação de Tratamento de Água (ETA) Sucupira chegou a apresentar níveis de turbidez de 520. A operação da estação foi mantida sem risco de desabastecimento, com produção de 500 litros por segundo reforçada com o uso do sistema de abastecimento da ETA Capim Branco. Segundo a autarquia, não foram encontrados contaminantes químicos na água.

VEJA TAMBÉM:

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »