05/07/2022 às 10h30min - Atualizada em 05/07/2022 às 10h30min

Após anúncio de redução do ICMS, preço do litro da gasolina cai em média 10% em Uberlândia

Preço do combustível na cidade varia entre R$ 6,27 e R$ 6,99; motoristas da cidade enxergam redução com bons olhos

SÍLVIO AZEVEDO I DIÁRIO DE UBERLÂNDIA
Expectativa é que o valor reduza ainda mais nos próximos dias e meses, conforme aponta MinasPetro I Foto: SÍLVIO AZEVEDO
Após o anúncio de redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis, o valor do litro da gasolina em alguns estabelecimentos de Uberlândia caiu, em média, 10% nos últimos dias. Segundo o aplicativo o aplicativo Educação Fiscal MG, do Governo de Minas, atualmente, o preço do combustível na cidade varia entre R$ 6,27 e R$ 6,99.

Conforme apurado pelo Diário de Uberlândia, antes do dia 1º de julho, quando o governador Romeu Zema anunciou a assinatura do decreto, a média de preço do litro da gasolina era de R$ 7,54 em Uberlândia. Agora, o imposto sobre o combustível, que estava em 31%, passou para 18%.

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (MinasPetro), o repasse da redução dos impostos federais e estaduais será gradativo, pois as distribuidoras ainda mantêm um estoque grande de combustíveis com os preços anteriores. A expectativa é de que o preço da gasolina reduza ainda mais nos próximos dias e meses.

O sindicato estima que, com a queda do PIS/Cofins e do ICMS, ao todo, o litro de gasolina deverá ter uma redução de R$ 1,85 nas bombas. Já o etanol, será um valor menor, de R$ 0,24. Já o preço do óleo diesel não sofrerá mudanças, pois o imposto federal está zerado e a alíquota do ICMS é de 15%.


• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram

MOTORISTAS
A redução já está sendo bem vista pelos motoristas de Uberlândia. Morador da zona rural, o Atílio Machado, de 79 anos, comemorou e disse que a queda irá aliviar as despesas do mês.

“Enfim melhorou um pouco. Eu gasto pouco mais de um tanque por mês. Moro na roça e o trajeto, ida e volta, dá quase 60km e, vindo uma vez por semana, dá quase um tanque. Foi bom, já ajuda bastante. Todo dinheiro economizado já ajuda”, disse.

O otimismo também atinge Osiris Alves de Lima, que gastava cerca de R$ 600 por mês para conseguir manter o tanque do carro cheio. “Haverá uma redução muito boa. Com esse valor, podemos investir em outras formas para aproveitar a família. Mas espero que a tendência seja baixar ainda mais”.




O entregador Maikow Bom Fim, de 37 anos, também está satisfeito com a queda no valor. O profissional percorre 200 km todos os dias fazendo entregas de motocicleta e, por mês, gastava R$ 800 de gasolina. “Essa redução vai gerar uma economia. Vai ser um pequeno alívio para os nossos bolsos”, finalizou.

A REDUÇÃO
O decreto de redução do imposto foi assinado na última sexta-feira (1º) por Romeu Zema após o presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionar a Lei Complementar 194, de 2022, no dia 24 de junho, zerando o imposto federal de PIS/COFINS para etanol e gasolina, e limitando a cobrança do ICMS sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo, após considerar os serviços e produtos como bens essenciais e indispensáveis.

Com isso, os governos estaduais ficam impedidos de cobrar o imposto acima da alíquota geral do ICMS, que é aplicada nas operações e nas prestações internas não especificadas, que em Minas Gerais é de 18%.

VEJA TAMBÉM:

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »