20/05/2022 às 12h10min - Atualizada em 20/05/2022 às 12h10min

Onda de furtos: bairro Fundinho, em Uberlândia, registra 28 ocorrências em apenas um mês

Empresários ouvidos pelo Diário estimam prejuízos entre R$ 15 mil e R$ 20 mil

IGOR MARTINS I DIÁRIO DE UBERLÂNDIA
Câmeras de segurança registraram algumas das ações criminosas I Foto: ARQUIVO PESSOAL
Comerciantes do bairro Fundinho, em Uberlândia, estão assustados com a onda de furtos a estabelecimentos da região nas últimas semanas. Segundo empresários ouvidos pelo Diário, 28 ocorrências do tipo foram registradas em lojas e comércios nos últimos 30 dias, uma média de quase um por dia. Ao Diário, duas lojistas estimaram prejuízos entre R$ 15 mil e R$ 20 mil.
 
Dona de uma clínica de estética na Rua Coronel Manoel Alves, a empresária Keila Ferreira contou que seu estabelecimento foi alvo de três furtos em um período de 40 dias. Durante as ações, foram levados seis notebooks e um aparelho celular, totalizando pouco mais de R$ 20 mil em prejuízos. Para evitar novas ocorrências, a empresária disse que tem investido no reforço de segurança e, nos últimos dias, precisou gastar praticamente R$ 5 mil.
 
Segundo Keila, que possui a empresa no Fundinho há 12 anos, as câmeras de segurança e os cadeados e correntes não impediram a ação. A comerciante acredita que os crimes foram cometidos pela mesma pessoa. “No dia 19 de março, o criminoso arrombou a porta da garagem, abriu a fechadura tetra e abriu a porta de vidro que dá acesso ao interior da clínica e levou três notebooks. Na segunda vez, em 5 de maio, mesmo com o sistema de segurança reforçado, ele cortou os cadeados e as correntes que instalamos e novamente furtou três notebooks e um celular. Pela forma que foi o crime, temos certeza de que foi a mesma pessoa”, afirmou.
 
Ainda de acordo com a empresária, o autor não se importou com a presença das câmeras de segurança que existem no local. No dia 9 de maio, o suspeito teria retornado até a clínica, mas não conseguiu abrir o local, que estava reforçado com um sistema de solda para barrar uma nova ação criminosa. Não contente, ele subiu a rua e furtou uma ótica que fica a um quarteirão da empresa de Keila.
 
“O serralheiro que fez o nosso sistema de solda nos disse que é um bandido profissional. Ele falou que trabalha há 30 anos na área e nem ele consegue abrir uma chave tetra da maneira como o autor abriu. O indivíduo está sempre com uma blusa de frio, capuz e máscara, e sempre chega em uma bicicleta”, detalhou.
 
Após diversos contatos e Boletins de Ocorrências (BOs) registrados junto à Polícia Militar (PM), a comerciante espera por um reforço de policiamento na região, e que os possíveis autores dos furtos sejam identificados e presos. Nesta semana, uma reunião com comerciantes será realizada para tratar de ações a serem implementadas para coibirem a criminalidade no bairro.
 
“Temos que tomar providências mais rápidas. Queremos acionar o Ministério Público, para que o órgão cobre a Polícia Militar uma forma de melhorar o policiamento aqui na região. Já entraram aqui três vezes, furtaram a ótica, uma hamburgueria e nesta semana furtaram uma loja de móveis”, contou a empresária.


• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram
 
AÇÃO RÁPIDA
O furto na loja de móveis citado por Keila Ferreira foi registrado no estabelecimento da empresária Lílian Vidal de Castro, no último sábado (14). De acordo com a gerente da empresa, Franciele Cordeiro, um autor furtou três computadores, um aparelho celular e uma mochila com ferramentas em apenas seis minutos. A ação foi registrada por imagens das câmeras de segurança.
 
Segundo a gerente, as características físicas batem com as do autor citado nos furtos da clínica de Keila. O criminoso sempre chega em uma bicicleta utilizando blusa de frio, com capuz e máscara, o que leva os comerciantes a acreditarem que a onda de criminalidade no bairro vem do mesmo suspeito.
 
“Nas imagens das câmeras de segurança dá para ver ele quebrando o cadeado e saindo na maior tranquilidade. Ele devia estar usando algum alicate e conseguiu abrir a porta. Estamos sempre em contato com a Polícia Militar passando informações. Ficamos sabendo de outros furtos aqui na região, então estamos fazendo uma comunicação com os comerciantes também”, disse.
 
O furto na loja de móveis gerou um prejuízo estimado de R$ 15 mil para Franciele Cordeiro. Ela conta que tem realizado melhorias na segurança do estabelecimento, com reforço do portão frontal e a implementação de trancas tetra, além de realizar mais monitoramentos nas câmeras de segurança.
 
O QUE DIZ A POLÍCIA
A produção do Diário procurou a Polícia Militar (PM) para obter um posicionamento sobre o alto índice de ocorrências de furtos no bairro. A PM não quis comentar os casos, mas informou que realiza, nesta sexta (20), uma reunião com os comerciantes para detalhar as ações que devem ser adotadas na região.

VEJA TAMBÉM:

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »