24/02/2022 às 16h25min - Atualizada em 24/02/2022 às 16h25min

Romeu Zema anuncia proposta de reajuste salarial de 10% para servidores públicos

Governador de MG propôs ainda correção da ajuda de custo e ampliação do abono-fardamento aos profissionais da segurança pública

DA REDAÇÃO
Anúncio foi feito através das redes sociais do governador nesta quinta-feira (24) | Foto: Divulgação

O governador de Minas Gerais Romeu Zema anunciou na tarde desta quinta-feira (24), através das redes sociais, uma proposta de reajuste salarial de 10% aos servidores ativos, inativos e pensionistas, com vigência a partir do mês de maio. Conforme dito por Zema, o projeto será enviado ainda nesta quinta, em regime de urgência, para a Assembleia Legislativa. 

 

No anúncio, o governador também revelou que fará a correção da ajuda de custo recebida pelos profissionais. Segundo ele, quem recebe R$ 47 de auxílio-alimentação passará a receber R$ 75 por dia. 

 

Em relação aos profissionais de educação, Zema afirmou que o reajuste salarial de 10% será retroativo a janeiro. Além disso, informou que enviará um projeto que regulamentará uma bonificação adicional pelo desempenho das escolas e dos alunos. “Uma conquista que se soma à recente incorporação dos abonos e o pagamento das férias-prêmio”, frisou.

 

Para os servidores da segurança pública, Zema pedirá a ampliação do abono-fardamento. De acordo com ele, o benefício, que atualmente é pago em parcela única, será ampliado para três parcelas a serem pagas em março, junho e outubro, sendo cada uma no valor de 40% da remuneração de um soldado. 

 

Por fim, o governador de Minas informou que desde 2019 o estado está equilibrando as contas e que realiza um grande esforço para amenizar a situação dos servidores estaduais. “O estado possui uma dívida de R$ 140 bilhões, acumulada por governos passados. Entendemos que a pandemia e a inflação afetam nossos servidores e estamos fazendo um grande esforço para amenizar a situação”, declarou. 

 

SEGURANÇA PÚBLICA

O Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de Minas Gerais (Sindasp-MG) publicou nas redes sociais uma recomendação para que os agentes realizem apenas os serviços essenciais ou urgentes na rotina de trabalho. A categoria pretende reduzir os efetivos até que o Governo de Estado dê sequência ao projeto de recomposição salarial dos profissionais, que teria sido acordado em 2019. 

Conforme aponta a recomendação, todos os policiais penais devem se apresentar normalmente nas unidades prisionais para realizar apenas atividades fundamentais, como alimentação e saúde. Por questão de segurança e em razão da escala reduzida dos profissionais, os atendimentos de advogados e representantes de atividades religiosas, banho de sol de presidiários e visitas íntimas e sociais deverão ser suspensas. 

Outras lideranças sindicais ligadas à Segurança Pública de Minas Gerais apoiam a redução de efetivos e atividades. O Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindpol/MG) orientou aos profissionais, logo após a confirmação da paralisação, que apenas as ocorrências de urgência sejam atendidas normalmente. Casos não considerados emergenciais deverão seguir escala de 30% de funcionamento.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »