07/11/2021 às 13h00min - Atualizada em 07/11/2021 às 13h00min

Procura por investimento em criptomoedas cresce em 2021 e especialistas alertam para golpes digitais

Investidor de Uberlândia perdeu cerca de R$ 20 mil; golpes com moedas digitais representam 43% dos crimes financeiros

MARIELLE MOURA
Criptomoedas são descentralizadas e não necessitam de terceiros para funcionar | MICHAEL WENSCH/DOMÍNIO PÚBLICO

Com o aumento de investimentos nas criptomoedas em Uberlândia neste ano, os casos de golpes envolvendo as moedas digitais estão cada vez mais presentes no cotidiano dos investidores. Em entrevista ao Diário de Uberlândia, um investidor contou sobre um golpe envolvendo criptomoedas que fez ele perder aproximadamente R$20 mil. Especialistas em investimentos e crimes cibernéticos falaram sobre dicas para se proteger de crimes digitais.

 

As criptomoedas são descentralizadas e não necessitam de terceiros para funcionar. Isso significa que não depende de bancos, grandes corporações ou governos para movimentar o dinheiro. 

 

O assessor em investimentos Renan Würfel informou que esse cenário é um grande atrativo, mas também traz riscos ao investidor. “O mercado de criptomoedas é paralelo ao sistema financeiro tradicional e com isso tem uma grande atratividade, mas um risco atrelado a ele,” informou

 

Renan ainda disse que, em Uberlândia, a percepção de quem trabalha com o ramo das criptomoedas é que a procura aumentou em 2021 “No nosso dia a dia no trabalho é um assunto que está ficando cada vez mais conhecido. As pessoas têm curiosidade, nos procuram, querem conhecer e investir,” disse.  

 

Para o assessor é muito importante que o novo investidor procure o máximo de informações para começar a investir. “A pessoa deve procurar se informar sobre o que são as criptomoedas, quais os riscos envolvidos, já que é uma moeda a parte do sistema tradicional,” completou. 

 

De acordo com a pesquisa da  Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em 2020, os crimes financeiros subiram 75%. Golpes com criptomoedas ficaram no topo da lista das fraudes, sendo 43% dos esquemas.

 

O investidor de Uberlândia, Alexandre Ramos perdeu aproximadamente R$20 mil em 2019 em um golpe de pirâmide envolvendo criptomoedas. “A proposta era de uma rentabilidade fixa de 8% ao mês e quanto mais pessoas você colocava na sua equipe ganhava 20%, fora viagens e outras promessas," disse.

 

Logo após os depósitos a empresa fantasma sumiu com o dinheiro de Alexandre e de outros investidores. “Ele desapareceu com o dinheiro, chegou a gravar vídeos falando que o site tinha sido hackeado, que estava tudo travado, e sumiu com o dinheiro de todo mundo”, completou. 

 

Após a situação, Alexandre aconselha aqueles que querem começar a investir nas criptomoedas. Segundo ele, as pessoas devem ficar de olho em propostas com rendimentos fixos.  “As pessoas têm que evitar qualquer promessa de rentabilidade fixa. Por se tratar de um mercado de renda variável não dá pra ter uma projeção de ganhos fixos. Amanhã posso ganhar 30%, mas mês que vem posso perder 15%,” completou.

 

CUIDADOS

A advogada especialista em crimes digitais Laine Moraes Souza falou ao Diário que os investidores devem sempre ficar de olho nas promessas impossíveis envolvendo as moedas digitais. “Muitas vezes as pessoas caem nos golpes porque aparecem pessoas físicas que oferecem uma rentabilidade muito alta com um valor muito baixo de investimento. Sempre que isso acontece, seja em moeda virtual ou qualquer outra forma de rendimento, podemos considerar facilmente que é golpe,” afirmou. 

 

Laine informou que os investimentos devem ser feitos por  empresas já conceituadas neste ramo. “As pessoas devem procurar empresas constituídas, fazer buscas sobre essa empresa na Receita Federal para verificar a idoneidade dessas prestadoras de serviço que o investidor está tratando”, completou.

 

A advogada também falou da importância da preservação de provas para o investidor se resguardar. "Antes mesmo de cair em um golpe a pessoa deve preservar provas, evitar falar em conversa telefônica, grave ou prefira usar aplicativos de mensagem, peça informações como nome completo, CNPJ. Pergunte sempre como funciona o investimento. É importante ir colhendo essas informações e nunca apagar elas,” disse. 

 

Laine  completou à reportagem que as pessoas devem sempre ficar atentas às seguintes informações para não ser vítimas de golpes: nunca acreditar em ganhos absurdos, não investir no que não conhece, procurar informações sobre a instituição que irá investir e sempre buscar ajuda de profissionais.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »