02/10/2021 às 13h00min - Atualizada em 02/10/2021 às 13h00min

Clientes denunciam empresa de festas por golpe e somam prejuízo de mais de R$ 22 mil

Dona da empresa informou que estava hospitalizada e, após questionamentos, sumiu com o dinheiro dos clientes; vítimas fizeram boletim de ocorrência coletivo

GABRIELE LEÃO
O fechamento de uma empresa de festas em Uberlândia deixou cerca de 30 pessoas com prejuízos financeiros. As vítimas que contrataram o serviço da empresa Frida Festas registraram boletim de ocorrência e abriram uma solicitação junto ao Procon após a proprietária sumir das redes sociais sem dar satisfação sobre os serviços contratados. Segundo informações das vítimas, o prejuízo ultrapassa R$22 mil.

Lucas Alexandre é design e foi uma das vítimas. Segundo ele, no ano passado, a empresa foi contratada para fazer a primeira festa de aniversário do filho dele. Neste ano, para celebrar os dois anos da criança, Lucas e a esposa entraram em contato com a empresa para um novo orçamento.

O designer contou que, após o primeiro contato, a dona da loja foi insistente no fechamento do negócio e até ofereceu um desconto para o fechamento antecipado. O valor de R$ 1.950 foi parcelado em seis vezes no cartão e a data do evento seria no final de novembro. Ainda de acordo com Lucas, a dona da empresa demorava muito para responder as conversas no WhatsApp e nenhum contrato foi enviado para assinatura.

“Só percebemos que algo estava errado quando uma outra pessoa começou a postar nas redes sociais da empresa que a proprietária estaria doente e em coma. Logo após as primeiras informações, os vídeos foram apagados e outros posts deram a notícia de que ela estava bem e que não faria mais os eventos contratados por questões de saúde e o dinheiro seria devolvido, de acordo com o contrato. Mas, nós não chegamos a receber o contrato. Minha esposa tentou entrar em contato com ela, mas as redes sociais já tinham sido desativadas e a conta do WhatsApp também”, relatou.

A vítima ainda contou que chegou a publicar na internet o relato e disponibilizou o contato pessoal para outras vítimas. Não demorou muito até que outras pessoas entrassem em contato com Lucas. No grupo das pessoas que foram enganadas há mais de 30 contatos.

Sobre o parcelamento no cartão de crédito, Lucas contou que já tinha pago quatro parcelas e entrou em contato com o banco para cancelar o parcelamento. Após o envio de todos os documentos que comprovam o golpe, foi informado que em até 120 dias poderia ter as últimas duas parcelas do pagamento suspensas.

Uma professora, que não quer ser identificada, também foi uma das vítimas da empresa. Ao procurar um fornecedor para realizar o batizado da filha de oito meses, a vítima recebeu indicação de amigos que já teriam contratado a Frida Festas.

A empresa também ofereceu desconto e mais produtos para o evento da professora. Encantada com a possibilidade, ela fez um pix de R$1.200 e foi informada que o contrato seria enviado para assinatura logo após o pagamento.

Segundo a vítima, pelo WhatsApp, a proprietária era insistente e sempre que a vítima enviava mensagens questionando sobre possíveis mudanças no cardápio ou decoração, ela não colocava nenhum tipo de impedimento.

“Quando vi os vídeos sobre o possível coma da dona da empresa, logo mandei mensagem questionando sobre a saúde dela. Mas, comecei a perceber que a situação estava estranha. Uma amiga dela estava respondendo as mensagens e dizia que a responsável logo entraria em contato sobre as datas dos eventos, mas a historinha contada por ela estava muito estranha, pois vi que ela tinha publicado uma foto no dia anterior. Depois que questionei a tal amiga, não encontrei mais nada sobre a empresa na internet”, contou.

Pelas redes sociais, a professora foi informada que a devolução do dinheiro seria feita em até 120 dias, assim como dizia o contrato, mas, segundo a vítima, a empresa nunca chegou a formalizar a contratação dos serviços. A professora fez o boletim de ocorrência e foi até o Procon para receber as orientações dos próximos passos.

A dona de casa Glaucia Silva também foi vítima do golpe. Ela só descobriu toda a situação ao entrar em contato com outro fornecedor para contratar outros itens da festa. O funcionário alertou sobre a situação envolvendo a Frida Festas e só então Glaucia teve conhecimento dos fatos.



Para a festa de um ano do filho, Glaucia contratou a decoração por R$ 630 parcelados em até seis vezes. Ao encontrar outras 15 vítimas, ela e o marido reuniram provas do golpe e fizeram um boletim de ocorrência em conjunto nesta sexta-feira (1º). O prejuízo ultrapassa os R$ 22 mil, somando as pessoas que fizeram a denúncia.

“Foi através das redes sociais que encontramos mais vítimas e temos mais de 30 pessoas no grupo, mas por medo nem todas preferiram registrar ocorrência”, contou.

Assim como Lucas, Glaucia Silva entrou em contato com a empresa de cartão de crédito para pedir o cancelamento da cobrança.

O Diário tentou entrar em contato com a empresa através de números divulgados na internet, mas todos estavam indisponíveis. A reportagem também procurou o Ministério Público, mas até o momento eles não receberam nenhuma das denúncias.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »