23/08/2021 às 17h42min - Atualizada em 23/08/2021 às 17h42min

Dois pacientes são detectados com variante Delta no HC-UFU

Pacientes não apresentaram sintomas graves da doença; amostras foram coletadas em julho e agosto

GABRIELE LEÃO
Informações foram repassadas em uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (23) | Foto: Gabriele Leão

Nesta segunda-feira (23), os pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) confirmaram a variante do novo coronavírus, a cepa Delta, no município. Em uma coletiva de imprensa, os pesquisadores informaram ainda que foram analisadas 28 amostras de pacientes do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), no período de julho e agosto, e três delas deram positivo para a cepa, sendo duas de um paciente e uma de outro. Segundo informações dos pesquisadores, os pacientes analisados têm entre 20 e 50 anos.

Ainda durante a coletiva, eles ainda informaram que todas as amostras analisadas eram de pacientes positivos para Covid-19. Para a análise, foi utilizado uma tecnologia específica com amostras da sequência da nova cepa. 

“Com essa metodologia sabemos se aquela amostra possui o vírus referido Delta. As amostras foram coletadas de 23 de julho a 20 de agosto, por exames realizados no HC-UFU. Para a investigação, foram analisadas 28 amostras positivas e três testaram positivo para a cepa. Durante a computação, foi constatado que duas amostras eram do mesmo paciente, ou seja, de 28 amostras, três apontaram a variante, sendo em dois pacientes”, explicou a professora do Instituto de Ciências Biomédicas, Ana Carolina Gomes Jardim.

A chefe da Unidade de Vigilância em Saúde do HC-UFU, Cristiane Fernandes, informou que os pacientes com a cepa Delta tiveram quadro clínico com sintomas gripais leves e guardaram quarentena em casa. A responsável ainda completou que “os resquícios da doença apresentados por um deles foi de dores musculares”, contou.

Cristina Fernandes disse também que não se sabe se os pacientes positivos com a cepa Delta foram vacinados com ao menos uma dose. “Esse foi um erro no formulário, mas não sabemos se eles foram ao menos vacinados com uma dose da imunização. Mas, diante de tudo o que se sabe até agora, reforçamos que é necessário a vacinação e continuar com os cuidados preventivos para evitar mais agravamento e disseminação da doença”, completou. 

O professor da Faculdade de Medicina, Thulio Marquez Cunha completou dizendo que a variante se dissemina mais facilmente e pode levar a casos graves, mas ainda não há provas de que ela seja diferente das outras variantes. 

“Por isso reafirmamos a importância da vacinação para reduzir os casos graves e a mortalidade, e continuar mantendo as medidas de isolamento e prevenção. Enquanto não tivermos mais de 80% da população mundial vacinada, ainda vamos ter disseminação do Covid-19 e mais variações do vírus”, completou. 

Ainda não se sabe se o aumento de casos registrados em julho e agosto no município são da variante Delta. Segundo informações dos pesquisadores, eles ainda esperam novas amostras para continuar analisando se outros pacientes também foram infectados com a cepa.

Por fim, os especialistas informaram que, durante as pesquisas, foram investidos cerca de R$ 25 mil. A pesquisa que investiga a ocorrência de variantes em Uberlândia é liderada pela professora Ana Carolina Gomes Jardim, do Laboratório de Pesquisas em Antivirais do Instituto de Ciências Biomédicas (ICBIM/UFU), e pela doutoranda Giulia Ferreira, do Programa de Pós-Graduação em Imunologia e Parasitologia Aplicadas (PPIPA/UFU) e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Completam a equipe os professores Robinson Sabino-Silva e Luiz Ricardo Goulart, do ICBIM/UFU, e Thulio Marquez Cunha, da Faculdade de Medicina (Famed/UFU).

DELTA

O primeiro caso da variante Delta do vírus SARS-CoV-2 foi detectado em outubro do ano passado, na Índia. No Brasil, segundo o balanço mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde, no Boletim Epidemiológico Especial 76 do Brasil, foram encontrados 1.050 casos da variante Delta até 14 de agosto.

Estudos divulgados em julho deste ano pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo instituto britânico Imperial College afirmam que a variante Delta tem transmissibilidade 97% maior do que a cepa original do coronavírus.


 

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »