05/08/2021 às 11h50min - Atualizada em 05/08/2021 às 13h41min

Município descarta terceira onda da covid e investiga novas variantes

Secretário de Saúde, Gladstone Rodrigues, concedeu entrevista na manhã desta quinta (5)

SÍLVIO AZEVEDO
Secretário de Saúde disse que presença da variante Delta ainda não foi identificada I Foto: Valter de Paula/Secom/PMU
Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira (5), o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, falou sobre o aumento de casos de contaminação do coronavírus em Uberlândia. Segundo o responsável pela pasta, o Município não tem confirmação da presença da variante Delta na cidade, mas acredita que ela possa ser um dos fatores para o crescimento da contaminação registrado nas últimas semanas.
 
Porém, segundo o secretário, o Município não considera que a cidade esteja enfrentando uma terceira onda.  “Só é possível caracterizar uma terceira onda depois de quatro, cinco semanas para saber é crescente e duradouro”, disse.
 
Ainda de acordo com o secretário, o maior número de casos levantados pelo Município está relacionado à contaminação de jovens ainda não vacinados e de idosos que foram vacinados em janeiro. Segundo Gladstone, o Município estuda a aplicação de uma terceira dose para o público de idosos.
 
“No primeiro momento, pessoas mais jovens não vacinadas. Nas últimas semanas a faixa-etária vai baixando. Você tem pessoas que estão mais robustas, vão pra UTI e fica mais tempo. O leito não roda. Mais recentemente se observa o aumento de idosos que foram vacinados em janeiro e que agora estão desprotegidos da vacina. Está se discutindo e recomendando de fazer uma terceira dose nos idosos porque é uma doença desconhecida, ao que parece, a proteção é só por seis meses, não por um ano. A cada momento estamos aprendendo a lhe dar com esse vírus”, destacou Gladstone.
 
Durante os esclarecimentos, o secretário disse que a Prefeitura contratará os serviços de um laboratório de Goiânia para coletar amostras e detectar se há novas variantes e quais delas estão sendo encontradas em Uberlândia.
 
“Saber qual a variante não é prioridade. Mas, nós estamos fazendo um contrato emergencial com uma empresa de Goiânia que tem tecnologia para identificar variante. Eles coletarão 20 amostras por semana durante cinco semanas, totalizando 100 amostras. Ao final, nós saberemos se é e qual a variante e se está crescente a contaminação”.
 
LEITOS
O secretário de Saúde também falou sobre a disponibilidade de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no município. Segundo Gladstone, atualmente são cerca de 140 leitos de UTIs na rede municipal, sendo que o Hospital Santa Catarina está com ocupação de 100%.
 
“Com isso, o Hospital Municipal está tendo que aumentar gradativamente os leitos de UTI Covid, transformando os leitos de UTI Geral. Inicialmente 10, ontem (4) tivemos que passar pra 20. Se necessário passaremos pra 30, 40. Em termos hospitalares, são 72 leitos de UTI no Santa Catarina e até 40 no Municipal. Nas UAIs, temos mais 28 leitos que podem ser UTI, nas salas de emergência, metade já ocupada”, explicou.
 
Além destes, há 92 leitos de enfermaria disponíveis no Centro de Internação Municipal, instalado na Casa da Fraternidade São Francisco de Assis (Dr. Hansen).
 
Sobre a redução de leitos, Gladstone disse que alguns foram desativados após a queda no número de casos depois da segunda onda, em março, mas que caso aumente a demanda, eles poderão ser reativados.
 
“Não faz sentido manter leitos reservados para Covid-19 se não tenho demanda. Vou ficar pagando plantão para enfermeiros, médicos, fisioterapeutas que não têm pacientes. Então desativamos. Mas o que nos regula e a demanda. Se aumentou, ativo o leito que já está estruturado. Se não, desativo e uso para outras doenças”.
 
DELIBERAÇÃO
Ainda na manhã desta quinta-feira, o Executivo publicou no Diário Oficial do Município a nova deliberação do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 que manteve a cidade na fase intermediária do Plano de Funcionamento das Atividades Econômicas.
 
Uberlândia está na fase intermediária desde o dia 6 de abril, quando houve a reabertura gradual do comércio e a cidade saiu da fase rígida. Com a medida, o comércio de rua do centro da cidade e nos bairros permanecem com funcionamento liberado das 9h às 18h, de segunda a sábado. Os supermercados, hipermercados, mercearias, açougues e congêneres seguem com funcionamento de segunda a sábado; até às 21h, e aos domingos até às 14h.
 
Restaurantes, praças de alimentação, pizzarias, sorveterias, bares e lanchonetes seguem liberadas para funcionar durante a semana; até às 21h, de segunda a sexta, e aos sábados; de 11h às 21h. As padarias também poderão permanecer abertas até às 21h, de segunda à sábado, e aos domingos até às 18h. O comércio varejista de bebidas, tais como distribuidoras e depósitos de bebidas em geral, permanece funcionando até às 21h, de segunda à sábado, e aos domingos até às 18h.
 
As academias, centros de treinamento e locais para a prática de atividades esportivas individuais ou em duplas, sem contato físico; continuam funcionando da mesma forma; de 6h às 21h, e com o mesmo horário aos sábados, respeitando o uso obrigatório de máscaras. Estes serviços permanecem fechados apenas aos domingos.


 Matéria atualizada às 13h41 para acréscimo de informações.
 

VEJA TAMBÉM:


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »