03/08/2021 às 13h45min - Atualizada em 03/08/2021 às 13h45min

Polícia Militar lança campanha de prevenção à violência doméstica

Durante todo o mês de agosto os trabalhos serão intensificados através de blitz educativas e reuniões com órgãos envolvidos na proteção da mulher

LORENA BARBOSA
Cartilha educativa de prevenção a violência doméstica I Imagem: Divulgação
A Polícia Militar (PM) lançou nesta segunda-feira (2) a Campanha Agosto Lilás em comemoração aos 15 anos da Lei Maria da Penha. A campanha visa fomentar a questão da violência doméstica, no sentido de aumentar o atendimento junto às vítimas. As equipes de Patrulhas de Prevenção à Violência Doméstica (PPVD), do 17º e do 32º Batalhão da Polícia Militar (BPM), realizarão uma série de atividades e ações preventivas no intuito de orientar essas vítimas e mobilizar a sociedade.

Durante todo o mês de agosto serão desenvolvidas ações preventivas de distribuição de dicas voltadas à prevenção da violência doméstica. Além do trabalho na rua através de blitz educativas com a distribuição de uma cartilha orientando a população. Haverá também reuniões com a Delegacia da Mulher, com a Casa da Mulher, com o Centro Integrado da Mulher e também com as ONGs que compõem a rede de enfrentamento da violência doméstica.

O Tenente Jorge Couto, chefe da pasta, no 32º BPM, destacou que o trabalho da patrulha durante a pandemia teve um agravamento. As pessoas tiveram que ficar restritas em casa, o que levou a um contato mais próximo do cônjuge e das pessoas em geral dentro dos lares. Ainda de acordo com o tenente, as equipes da PPVD estão preparadas para dar a primeira resposta às vítimas.

“Seja encaminhando essa pessoa aos demais órgãos do sistema, seja dando orientações de como solicitar medidas protetivas. Todo esse atendimento psicológico que a vítima necessita”, disse o tenente.

Durante a coletiva, o chefe da pasta, falou também sobre a Lei Maria da Penha, que completa 15 anos no próximo dia 7 de agosto e da importância que a legislação tem no combate a violência doméstica.

“Essa lei hoje é um esteio para a vítima. Agora nós temos a sensação de que o autor não ficará impune. Trouxe resultados significativos para a Polícia Militar e para as vítimas porque agora a gente consegue dar uma resposta a altura para a sociedade”, explicou o tenente Jorge Couto.

A Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica é formada por uma policial feminina e um policial masculino e tem como missão dar um atendimento mais humanizado à mulher vítima de violência doméstica e familiar. Em Uberlândia, existem duas equipes, uma no 17º Batalhão de Polícia Militar, composta pela soldado Camila Batista e o cabo Ormindo Júnior. E há também a guarnição do 32º Batalhão, onde trabalham o cabo Rodrigo Júnior e a sargento Flávia.

Ainda de acordo com tenente Couto, a Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica atua no sentido de explicar sobre a Lei Maria da Penha, para essas vítimas e para os agressores. Os militares acompanham a vítima durante o período em que ela é cadastrada no programa de proteção e também monitoram o autor. Todo esse trabalho que é realizado pela Polícia Militar visa quebrar o ciclo da Violência Doméstica. A população também pode ajudar fazendo as denúncias pelos telefones 190 e 181.

VEJA TAMBÉM:
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »