27/07/2021 às 15h00min - Atualizada em 27/07/2021 às 15h00min

APA sofre com falta de recursos na pandemia e excesso de animais

Ministério Público destina verba para construção de clínicas de castração em Uberlândia

SÍLVIO AZEVEDO
Associação Protetora dos Animais (APA Uberlândia) opera com quase o dobro de sua capacidade I Foto: Arquivo Diário
Com capacidade para manter 250 animais, a Associação Protetora dos Animais (APA Uberlândia) está com quase o dobro na sua sede. São aproximadamente 380 cães e 70 gatos que recebem atendimento da instituição, totalizando 450 animais.

Apesar do amor pelos animais, a instituição sofre com a falta de recursos. Com uma despesa mensal de aproximadamente R$ 45 mil com salários, ração e medicamentos, entre outros gastos, a APA sofre com a falta de recursos, muito causada pela pandemia.

A Prefeitura de Uberlândia, através de convênio, repassa R$ 100 mil anuais para a instituição, sendo a única fonte fixa de receitas. De acordo com o presidente APA, Edson Torres, a superlotação é novidade.

“Sempre tivemos mais animais que o que comporta. O grande problema é que depois do início da pandemia, além do aumento no número de abandonos, não estamos conseguindo a adoção como se tinha antes. As pessoas não querem assumir responsabilidade em um momento de instabilidade. Enquanto o mundo não voltar próximo ao normal, vai ter esse problema. Teremos mais animais e menos adoção”, apontou.

Ainda devido aos protocolos sanitários, Edson Torres disse que os eventos de arrecadação, que eram grandes fontes de recursos para a entidade, também foram suspensos.

“A gente tem as dificuldades por não conseguir as doações, adoções, não podemos fazer eventos para arrecadação, ficamos engessados por não poder ter aglomeração. Fizemos a nossa festa junina delivery. Era uma das principais fontes de receitas nossa. Em 2019, a última presencial, tivemos mais de 6 mil pessoas em dois dias de festas. Eu tinha um lucro muito alto e esse ano não movimentei 10% do que eu poderia movimentar”, observou.

Mas se engana quem pensa que só a APA está passando por dificuldades. Segundo Edson, os protetores também estão no limite, tanto físico, quanto financeiro. “A gente conversa com protetores que estão mais próximos e alguns estão pensando em desistir. Pioraria muito pois muitos que fazem um trabalho sério e estão há anos na causa, tem 20, 30, 70 animais em casa. Tem uma com 100 gatos”, contou.

CASTRAÇÃO
Segundo estimativas, Uberlândia hoje possui cerca de 40 mil animais em situação de rua. O promotor de Justiça de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Breno Lintz, afirma que o problema de abandono aumentou com o agravamento dos reflexos sociais da pandemia.

“Com a pandemia, primeiramente algumas pessoas procuraram demais a questão da adoção. Talvez por estarem vivendo em isolamento, pensando em companhia, aconteceu uma procura significativa. Porém, depois do meio de 2020, que começaram a ser afetadas as pessoas que ficaram desempregadas, que não tiveram oportunidade de trabalho por causa do fechamento do comércio, começou a ter um índice muito grande de abandono, muito maior do que se apresentou no início querendo a adoção”, revelou.



Uma das soluções para a diminuição no número de animais de rua está na castração. Para que isso ocorra, duas clínicas que realizarão o procedimento serão criadas com recursos oriundos de indenizações aplicadas pelo Ministério Público.

“Já tem uma clínica de castração que foi montada com ajuda de recursos encaminhados pelo Ministério Público Estadual e a Prefeitura está prevendo colocar no orçamento do ano que vem para que comece a funcionar gratuitamente. Essa clínica já está pronta e uma segunda que está dentro do abrigo que está sendo construído”, explicou Breno.

O abrigo citado por Breno Lintz deverá ficar pronto em dois meses e servirá para receber cães agressivos, vítimas de maus-tratos ou fêmeas que deram à luz em terrenos baldios. A gestão, segundo o promotor, será feita pela APA juntamente com a Prefeitura, com auxílio do MPMG. Por questões de segurança, o endereço não será divulgado.

Em julho foi aprovado um projeto de lei na Câmara Municipal de Uberlândia que destina R$ 182,4 mil para a Organização de Sociedade Civil (OSC) SOS Pet, que fará a esterilização de aproximadamente 1000 animais, entre cães e gatos, este ano através do Castramóvel.

VEJA TAMBÉM:
Dupla assalta casa no bairro Cidade Jardim em Uberlândia
Criminosos rendem motorista e roubam caminhão no Distrito Industrial em Uberlândia


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »