04/07/2021 às 10h00min - Atualizada em 04/07/2021 às 10h00min

Uso excessivo de telas e falta de luz solar aumentam chances de miopia em crianças

Oftalmologista explica cuidados que devem ser tomados para proteger visão dos pequenos; aulas online mudam hábitos dos alunos e merecem atenção dos pais

LORENA BARBOSA
Luísa, de seis anos, foi diagnosticada com miopia depois do período estudando em casa | Arquivo Pessoal
A pandemia trouxe novos hábitos para as crianças. As aulas, que por quase dois anos foram online, aumentaram o tempo de uso de tecnologias, e esse uso exagerado de telas e a falta de exposição solar podem prejudicar bastante a visão dos pequenos.

A advogada Mayra de Melo Totoli descobriu recentemente que a filha, Luisa, de seis anos, está com miopia. Quem alertou que a criança poderia estar com problemas na visão foi a professora, que percebeu que ela sempre ia para frente da sala para copiar o que estava no quadro. Mayra levou a filha ao oftalmologista, que diagnosticou 0,75 de miopia e 0,5 de astigmatismo.

De acordo com o oftalmologista Rodrigo Fernandes, as crianças estão mais propensas a desenvolver miopia entre os seis e doze anos de idade. Além das aulas, as crianças têm ficado mais em casa e estão assistindo mais conteúdo online, o que prejudica a visão.

Mayra conta que Luísa sempre foi para a escola. Depois do período de estudo em casa, surgiu o problema na visão. "Com certeza, a miopia dela foi por causa da aula online, antes estava tudo ok, ela nunca teve problema. Falo que vai mais uma para a conta da pandemia", disse a mãe de Luísa.

O oftalmologista explica que os cuidados que os pais devem tomar são simples. O principal é que a criança faça atividades externas. A exposição solar diária é o principal fator que pode retardar a miopia. O médico orienta também que o ideal para as crianças que precisam assistir aulas online é que fiquem em uma distância de pelo menos 90 centímetros da tela. É preciso também fazer intervalos durante o tempo de uso. “A cada 20 minutos do uso de tela, a criança deveria parar 20 segundos e olhar o mais longe possível. Isso é uma forma de relaxar a musculatura atrás do olho e evitar uma fadiga ocular”, orientou o especialista.

Mayra dobrou os cuidados com a Luísa. Segundo ela, o tempo de uso de tela da filha agora é menor. A mãe também incluiu atividades ao ar livre na rotina da criança. "Estou mandando fazer óculos com proteção de luz azul, que é uma proteção específica para tela. E ela está indo pra escola agora. Além de lá ter atividades ao ar livre, eu sempre procuro sair de casa com ela para tomar sol", contou Mayra.

O oftalmologista Rodrigo Fernandes indica que os pais prestem atenção aos sinais que os pequenos dão, como apertar os olhos para focalizar algum objeto e ter muita dificuldade com a luz. Além disso, observar se a criança tem dificuldade de ver de longe. Dor de cabeça com frequência, olhos vermelhos, olhos coçando e sensação de tremores nos olhos também pode ser sinais de problemas na visão.
 

 
VEJA TAMBÉM:

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »