29/06/2021 às 19h13min - Atualizada em 29/06/2021 às 19h13min

Parceria com hospital privado possibilita transplante de fígado em Uberlândia

Procedimento inédito na cidade será realizado no UMC; complexo hospitalar também poderá realizar o transplante de rins

NILSON BRAZ
redenciamento também ampliou o atendimento de pacientes renais que esperam por um transplante na cidade | Foto: Valter de Paula/Secom/PMU
A Prefeitura de Uberlândia anunciou nesta terça-feira (29) que a cidade terá uma unidade hospitalar credenciada para fazer o transplante de fígado, até então inédita para o município. O Complexo Hospitalar Uberlândia Medical Center (UMC) obteve, em fevereiro deste ano, a autorização do Ministério da Saúde para fazer esse tipo de procedimento. Além do transplante de fígado, o hospital privado também poderá realizar o transplante de rins, ampliando este atendimento na cidade.

A cidade já conta com oito hospitais habilitados para a realização de transplantes de córnea, rins e medula. Com a adesão da nova unidade hospitalar e o credenciamento para o transplante de fígado, a estimativa é que aproximadamente 4 milhões de pessoas serão impactadas em toda a região. De acordo com o diretor administrativo do UMC, Alexandre de Menezes Rodrigues, a modalidade inédita de transplante na cidade de Uberlândia vai encurtar as distâncias para quem precisa desse atendimento específico.

“Lugares com excelência nesse serviço estão a mais de mil quilômetros, e é essa excelência que o que o UMC busca. É um compromisso nosso atender as pessoas que forem eleitas para esse tipo de transplante no raio de até mil quilômetros”, afirmou o diretor do hospital. 

Durante o anúncio, o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, falou sobre a conquista que é esse credenciamento para a cidade e disse que ele abre margens para que Uberlândia também seja referência em outros processos ainda mais complexos, como o transplante de coração. 

“É um procedimento de alta complexidade, uma aspiração antiga do sistema de saúde local. É um objetivo difícil de ser atingido. E isso é apenas o início do enorme desafio de se manter na rotina um transplante de fígado. Atingindo uma meta, já se vislumbra uma próxima, acredito que demos um passo importante para que um dia tenhamos o transplante de coração no nosso município”, afirmou Gladstone Rodrigues.

O secretário comentou ainda a ampliação no atendimento ao paciente renal que precisa do transplante. Ele lembrou que a cidade teve, no passado, um corte desse tipo de procedimento, mas que, com o credenciamento do UMC, parte do recurso destinado pelo governo federal volta para a cidade. “Nós tínhamos transplante renal credenciado no antigo Santa Catarina e na UFU [Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia]. Com o fechamento do hospital, esses recursos foram transferidos para Uberaba. Com a habilitação do UMC, esse investimento retorna para Uberlândia”, finalizou.

Durante o anúncio, o prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, mencionou a importância desse credenciamento no trabalho que a administração municipal tem feito para que outras unidades hospitalares interessadas em prestar essa assistência em Uberlândia consigam se habilitar. “A ampliação da capacidade de fazer transplante de órgãos aqui é também uma forma de garantir qualidade de vida para a população, pois o paciente que precisa da doação não tem que necessariamente se deslocar para centros transplantadores de outras cidades”, afirmou o prefeito.

Participaram, ainda, do anúncio, o diretor do UMC, Roberto Botelho, e a diretora de Controle, Regulação e Avaliação da Secretaria Municipal de Saúde, Soraya Calixto, que assinaram, junto com o prefeito e o secretário municipal de Saúde, um termo para definição do fluxo de procedimentos e competências para efetivação do serviço na cidade.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »