26/04/2021 às 13h00min - Atualizada em 26/04/2021 às 13h00min

Mercados investem em soluções para manter e atrair clientes em Uberlândia durante a pandemia

Vendas online e uso das redes sociais podem virar tendência na cidade; minimercados em condomínios levam praticidade aos moradores

BRUNA MERLIN
Snackin são minimercados instalados em condomínios da cidade que levam praticidade e segurança aos moradores I Foto: Divulgação
A pandemia do novo coronavírus trouxe muitos prejuízos para os empresários de Uberlândia, mas ela também abriu portas para novas oportunidades que prometem ser tendências para os próximos anos. O setor de mercados, mesmo sendo o menos afetado pela crise econômica, se reinventou de diversas formas para atrair mais clientes e levar praticidade e segurança a eles.

A Noemia Moreira é proprietária do Super Rezende, que existe há cerca de 13 anos. O supermercado, que fica localizado no bairro Pacaembu, atende principalmente idosos da região e precisou contar com novas estratégias para conseguir manter as vendas. A solução foi começar a fazer vendas online e realizar entregas na casa dos clientes.

“Somos um estabelecimento pequeno, de bairro. Muitos dos nossos clientes ficaram com medo de sair de casa para vir até nós, principalmente com essa nova onda que está mais perigosa. Então, nós decidimos ir até eles”, explicou.

O Super Rezende, agora, conta com um WhatsApp por onde os consumidores enviam a lista de produtos e o supermercado fica encarregado de fazer a entrega. Conforme dito por Noemia, o serviço teve uma adesão muito boa e mais de 50 clientes utilizam essa forma de fazer compras.

“Em média, fazemos de 8 a 10 pedidos por dia de forma online. Não criamos uma expectativa em cima desse serviço porque foi tudo muito rápido, mas estamos muito felizes com o resultado”, complementou.

Para a empresária, a tendência do serviço digital veio para ficar e ela pretende continuar investindo na alternativa mesmo depois que a pandemia acabar. “É algo que leva praticidade e segurança aos clientes e, com certeza, isso não vai diminuir com o tempo”, finalizou.

REDES SOCIAIS
As redes sociais estão sendo aliadas dos comerciantes que querem atrair novos consumidores através da divulgação dos produtos. Foi o caso da empresária Sônia Maria de Lima, que há cerca de um mês abriu um mercadinho para conseguir complementar a renda que estava sendo perdida com a pandemia.

Sônia é dona de uma loja de roupas há mais de 30 anos e, com a crise econômica, viu o faturamento do comércio chegar a zero. Em razão disso, decidiu se reinventar e em março deste ano abriu, no mesmo espaço da loja, um pequeno mercado. Para a surpresa dela, o novo empreendimento, chamado de Different Mercadinho, vem trazendo bons resultados.

“Sou muito grata por esse resultado. Estou tendo bastante clientes e conseguindo repor o faturamento perdido”, destacou.

Desde o início, Sônia queria fazer algo novo e sempre acreditou no poder da divulgação. Sendo assim, aliada à nora, ela decidiu criar um Instagram para o mercadinho onde divulga os produtos.

“Nunca vimos um mercado pequeno fazer isso e é um diferencial. Minha nora entende muito de redes sociais e decidimos criar um Instagram para divulgar os produtos, preços e promoções. A experiência está sendo muito bacana”, continuou a comerciante.

SNACKIN

Outra tendência de mercado que promete conquistar cada vez mais pessoas são os minimercados instalados em condomínios e empresas. A cidade de Uberlândia já conta com essa novidade que garante praticidade aos clientes, principalmente em época de pandemia.

A rede Snackin surgiu em 2018 no município. Segundo o CEO da empresa, Vinícius Cunha, na época, o foco era atender empresas da cidade fornecendo um espaço onde os trabalhadores pudessem encontrar produtos de conveniência. O objetivo foi alcançado e o projeto cresceu cada vez mais.

Contudo, a pandemia do novo coronavírus chegou e, devido ao fechamento de diversas organizações, o empresário viu o faturamento cair em mais de 90%. A partir daí, o Snackin passou a ser instalado em condomínios residenciais da cidade.

“Vimos uma oportunidade para expandir o negócio já que muitas pessoas estavam evitando ir ao supermercado apenas para comprar pequenas coisas. Além da segurança, ele também economiza o tempo dos moradores que perdem cerca de 20 a 30 minutos se deslocando até o estabelecimento mais próximo”, explicou.

O Snackin é um minimercado que é instalado em uma área comum do condomínio. Nele, os moradores do complexo encontram produtos do dia a dia para que não seja necessária a ida até um supermercado.

Outro diferencial do empreendimento é que o serviço é todo autônomo. Através de um aplicativo, os moradores conseguem entrar no mercadinho e, após escolher os produtos, eles mesmo realizam o pagamento através de um caixa que tem no local por meio de cartão de débito ou crédito.

Ainda de acordo com o representante da empresa, a adesão ao minimercado está sendo muito boa. “É um serviço que traz segurança, conforto e praticidade para os moradores”, disse.

Por fim, Vinícius Cunha, ressaltou que os minimercados estão se tornando uma tendência no Brasil e irão chegar a diversos locais com o tempo. Para a rede Snackin, o empresário já está planejando expansão para todo o país, através de franquias.

 
 
 VEJA TAMBÉM:
Fotógrafos se reinventam para continuar trabalhando durante a pandemia em Uberlândia

 


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »