21/03/2021 às 10h36min - Atualizada em 21/03/2021 às 10h36min

Com restrições do comércio, lojistas seguem apostando em inovação para alavancar vendas

Plataformas online, como marketplace, estão entre as alternativas para crescimento das vendas online; lojas também apostam em novas experiências para os clientes

BRUNA MERLIN
Loja Van Acessórios alavancou vendas através das redes sociais e marketplace | Foto: Arquivo Pessoal

As mídias sociais se tornaram aliadas dos comerciantes durante a pandemia do novo coronavírus. Em Uberlândia, desde o mês de fevereiro, o comércio foi fechado novamente devido ao avanço do contágio do vírus e para evitar novos prejuízos, os empreendedores estão apostando em novas ferramentas online para continuar com as vendas.
 

Vanessa Lício Dias é dona da loja Van Acessórios há quase cinco ano e nunca pensou que precisaria investir em cursos para saber como alavancar as vendas online. Os esforços dela sempre foram destinados à loja física, mas a empresária foi forçada a administrar as redes sociais e o site para conseguir manter as vendas.
 

O resultado foi melhor do que Vanessa esperava. Após procurar por conhecimento sobre como alavancar a divulgação dos produtos nos meios digitais, ela aplicou as técnicas e conseguiu um crescimento inesperado da loja.
 

“Em 2020, tive um aumento de 30% na quantidade de vendas, se comparado com o ano de 2019. Fiquei com medo de ter muito prejuízo nos períodos em que a loja física ficou fechada, mas foi completamente diferente porque eu decidi investir nas redes sociais e site”, explicou.
 

Com a nova suspensão das atividades comerciais, estipulada desde o início do mês de fevereiro, a preocupação com a queda nas vendas reacendeu em Vanessa. Tudo aquilo que tinha investido continuou sendo praticado, mas ela decidiu ir além.
 

A empresária começou a estudar sobre estratégias de marketplace, que é um modelo de negócio que funciona como um shopping virtual, ou seja, várias lojas e produtos expostos em uma única plataforma. Com a oportunidade em mãos, Vanessa cadastrou sua loja no projeto do Magazine Luiza, Parceiro Magalu.
 

“Essa estratégia ainda representa pouco na quantidade de vendas, cerca de 10%. Entretanto, já é uma ajuda muito válida porque com essa plataforma eu consigo ser vista no país todo e alcançar clientes que não me achariam através das redes sociais ou site próprio”, ressaltou.
 

PARCEIRO MAGALU

O projeto Parceiro Magalu foi lançado em 2019, mas ganhou notoriedade com a chegada da pandemia. O programa tem como objetivo oferecer uma oportunidade para os microempreendedores divulgarem e venderem seus produtos no site e aplicativo do Magazine Luiza e serem vistos por compradores de todo o país. 
 

“Visamos gerar oportunidade para aqueles comerciantes que tiveram que fechar as portas durante a pandemia, mas que querem continuar vendendo através dos meios online e não sabem por onde começar”, explicou a gerente de marketplace do Magazine Luiza, Flávia Marcon.
 

Os interessados em expor os produtos para venda no marketplace do Magalu devem acessar o site da empresa, realizar o cadastro e divulgar o produto de forma gratuita. Caso o produto seja vendido, o comerciante paga somente uma comissão de 3,99% ao Magazine Luiza.
 

“Essa comissão não está inclusa somente a venda do produto. Está incluso a divulgação que nós fazemos dentro do site e aplicativo, a entrega ao cliente, além de um auxílio que entregamos ao vendedor”, disse.
 

Pessoas físicas também podem participar do marketplace da empresa, atuando como influenciadores dos produtos que estão sendo divulgados nas plataformas digitais do Magalu. Os interessados irão criar uma loja e selecionar produtos que desejam vender, recebendo, assim, uma comissão pela mercadoria vendida. 
 

“Nós citamos como influenciadores porque essas pessoas podem divulgar essa loja nas redes sociais para que mais produtos sejam vendidos. É uma ótima forma de ganhar uma renda extra”, finalizou Flávia Marcon.
 

ENTREGA DIFERENCIADA

Como forma de proporcionar uma nova experiência ao cliente, que junta o online ao presencial, a equipe de marketing da loja Artex em Uberlândia decidiu por aderir a um locker que o Uberlândia Shopping disponibilizou aos lojistas do complexo. A ideia surgiu após as novas medidas de restrição que impedem o serviço de drive-thru.
 

“Antes, nossos clientes aderiram bem ao serviço de drive-thru. Eles realizavam a compra através do WhatsApp e passavam de carro para buscas. Mas, com a proibição, precisamos inovar”, detalhou o subgerente da empresa, Maycon Silvestre.
 

O sistema locker funciona da seguinte forma: o cliente continua realizando a compra via whatsapp e o pagamento é feito através de um link online, onde o próprio cliente informa os dados do seu cartão de crédito ou débito. Após isso, o produto é armazenado imediatamente pela equipe em um armário que fica localizado na entrada do Uberlândia Shopping. O cliente recebe via SMS e e-mail uma senha para retirar o produto com total segurança e forma gratuita. 
 

“Tivemos uma aceitação muito boa porque os consumidores de Uberlândia ainda são restritos às compras totalmente online. Além de proporcionar segurança, os clientes podem ter o produto instantes depois da compra e isso representa uma experiência muito boa”, concluiu o representante da loja.


 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »