16/03/2021 às 14h57min - Atualizada em 16/03/2021 às 14h57min

Trabalhadores da saúde do HC-UFU pedem vacinação em Uberlândia

UFU reforça solicitação; Prefeitura informou que segue rigorosamente as orientações do Ministério da Saúde sobre a imunização

FERNANDO NATÁLIO
Os trabalhadores da saúde do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) voltaram a pedir a vacinação contra o coronavírus. Eles afirmam que, nas últimas semanas, deixaram de ser chamados para a imunização na cidade e relatam que ainda há muitos deles que lidam diretamente com a Covid-19 que não receberam as doses das vacinas.

Na segunda-feira (15), parte dos trabalhadores da saúde do HC-UFU fez mais uma manifestação pacífica e simbólica. O protesto foi realizado próximo à Prefeitura de Uberlândia. Eles já tinham feito mobilizações nos dias 5 e 18 de fevereiro.

Nas redes sociais do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições Federais de Ensino Superior de Uberlândia (Sintet-UFU), a técnica no Laboratório de Análises Clínicas da UFU Márcia Dutra afirmou que iria participar da manifestação desta segunda para reivindicar a vacinação dos profissionais da saúde que não foram imunizados. “Vamos cobrar a vacinação dos profissionais da linha de frente”, disse.

A reportagem do Diário tentou contato com o coordenador do Sintet-UFU, Robson Carneiro, cobrando um posicionamento sobre o protesto feito nesta segunda e sobre as reivindicações feitas pela categoria, mas ele não foi encontrado.
 
POSICIONAMENTO DA UFU
Na última sexta-feira (12), a UFU divulgou uma nota oficial sobre o assunto pedindo a imunização de todos os trabalhadores do HC-UFU. “Considerando as orientações do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 e ofícios enviados à Secretaria Municipal de Saúde de Uberlândia, a Reitoria da Universidade Federal de Uberlândia e a Direção do Hospital de Clínicas reafirmam a necessidade da vacinação de todos os trabalhadores do HC-UFU, tanto os profissionais assistenciais, quanto os servidores administrativos e de apoio de todos os vínculos trabalhistas (estatutários, fundacionais, empregados Ebserh, terceirizados, autônomos/RPA e Pessoa Jurídica)”.

Ainda de acordo com a nota, a UFU afirma que defende a necessidade da vacinação de todos os residentes e estagiários que desenvolvem suas atividades acadêmicas no HC-UFU.
 
POSICIONAMENTO DA PREFEITURA
Questionada pelo Diário sobre os trabalhadores da saúde do HC-UFU pedirem a vacinação contra o coronavírus e a nova manifestação cobrando a imunização, a Prefeitura de Uberlândia informou “que segue rigorosamente as orientações do Ministério da Saúde sobre a imunização contra a Covid-19”. Ainda de acordo com o Executivo municipal, a Prefeitura recebeu da UFU uma lista constando 4.220 nomes vinculados a seu serviço hospitalar, em que nem todos estão enquadrados na primeira fase como linha de frente a serem contemplados pelo Plano Nacional de Imunização.

Segundo a Prefeitura, dos profissionais enquadrados na prioridade para linha de frente, 2.304 servidores da instituição federal já receberam a primeira ou segunda dose da imunização contra Covid-19. Dos demais aptos a receberem a vacina como grupos prioritários, apenas 54 ainda não foram agendados.

De acordo com o fluxograma divulgado pela Prefeitura, dos 4.220 nomes informados pela UFU como vinculados a seu serviço hospitalar, 2.304 foram vacinados e 1.916 não foram imunizados até o momento. Destes 1.916, ainda de acordo com o Fluxograma, 1.096 cadastraram no portal da Prefeitura de Uberlândia para receber a vacinação e 820 não se cadastraram.

A Prefeitura informa também, ainda por meio do fluxograma, que, dentre os 1.096 nomes cadastrados, 572 não constam no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), não sendo, assim, “contabilizadas pela Secretaria Estadual de Saúde no momento de distribuição das vacinas, o que prejudica, conforme diretrizes estaduais, o quantitativo recebido pelo município voltado aos profissionais da linha de frente”.

O fluxograma apresentado pelo Executivo municipal em seu site aponta, ainda, que, dentre os 1.096 nomes informados pela UFU e cadastrados no portal da Prefeitura de Uberlândia para receber a vacinação, 524 estão regularizadas junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) e serão vacinadas. Deste total, de acordo com o fluxograma, 123 são profissionais da linha de frente, portanto, estão na fase prioritária e serão chamadas. O fluxograma consta também que, destes 123, 69 foram faltosos na vacinação e serão novamente reagendadas e 54 ainda não possuem agendamento, mas serão contemplados a depender da disponibilidade de vacinas. Completam a relação dos 524 nomes regularizados junto ao CNE 401 chamados no fluxograma como “Outros”.

A reportagem do Diário pediu esclarecimentos à Prefeitura de Uberlândia sobre quem seriam esses “outros”, mas, até a publicação desta matéria, não houve resposta. O Diário também perguntou quais trabalhadores da saúde são considerados como profissionais da linha de frente e se essa classificação é feita pelo Ministério da Saúde ou pela Prefeitura de Uberlândia, mas também não houve resposta do Executivo municipal.  



 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »