05/03/2021 às 18h15min - Atualizada em 05/03/2021 às 18h15min

Presidente da Câmara Municipal de Uberlândia exonera procurador

Legislativo disse que foi um ato meramente administrativo; Tiago Nunes disse que compromisso em prol da moralidade pública jamais será anulado

FERNANDO NATÁLIO
O procurador da Câmara Municipal de Uberlândia, Tiago Nunes da Silva, foi exonerado do cargo nesta quarta-feira (5). Determinada pelo presidente da Casa, vereador Sérgio do Bom Preço (PP), a portaria com a exoneração foi publicada no O Legislativo, órgão oficial do Legislativo municipal. Também foram exonerados, na mesma data, os outros integrantes da Procuradoria Jurídica da Casa de Leis. Os substitutos, segundo a Diretoria de Comunicação da Câmara, serão nomeados na próxima semana.

Tiago Nunes, que é mestre em direito administrativo, foi nomeado para a Procuradoria da Câmara há pouco mais de um ano, no fim de fevereiro, pelo então presidente da Câmara, vereador Ronaldo Tannus (PL).

A reportagem do Diário de Uberlândia tentou contato com o presidente da Câmara, Sérgio do Bom Preço, mas o Legislativo informou que ele não iria se manifestar. Disse também que a Casa se posicionaria sobre o assunto por meio de nota, que foi enviada pela Diretoria de Comunicação.

“A Câmara Municipal de Uberlândia, participa, a pedido, que as exonerações dos integrantes da Procuradoria Jurídica na data de ontem, 4 de março, foi um ato meramente administrativo, pois os cargos são de confiança e de livre nomeação do senhor Presidente. Ao longo dos últimos 60 dias, várias diretorias e chefes de seção, cargos de confiança da presidência da Câmara, foram trocados, como na Informática, Escola do Legislativo, Licitações e Compras e outros. Na próxima semana, o vereador Sérgio do Bom Preço, presidente, estará promovendo as novas nomeações”, cita a nota.

O Diário também procurou o ex-procurador da Câmara, Tiago Nunes, para que ele se posicionasse sobre sua exoneração, mas ele disse que já havia informado sobre sua saída do Legislativo em suas redes sociais e que, por ética profissional, não iria se manifestar em reportagens.

Nas suas redes sociais, Tiago Nunes disse que “na minha primeira entrevista, assumi o compromisso de não me desviar da legalidade, pois tal princípio implica subordinação completa do agente público à lei. Honrei e sempre honrarei o referido princípio. Primeiro, por uma questão de base moral. Segundo, pelo compromisso com a cadeira de Direito Administrativo na condição de professor. Pois o compromisso assumido com cada discente em prol da moralidade pública jamais será revogado e/ou anulado por qualquer dos poderes ou pessoa. Isso não tem preço”. 


 
Notícias Relacionadas »
Comentários »