24/02/2021 às 07h45min - Atualizada em 24/02/2021 às 07h50min

Com aumento de internações e falta de UTIs, hospitais particulares restringem atendimento em Uberlândia

Suspensão de cirurgias e consultas eletivas também já foram anunciadas pela rede particular nos últimos dias

FERNANDO NATÁLIO
O crescimento exponencial da pandemia do coronavírus em Uberlândia provocou uma série de reflexos nos hospitais particulares da cidade. Nos últimos dias, a rede privada tem enfrentado desafios como Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinadas aos pacientes com Covid-19 100% ocupadas, fechamentos de Pronto Atendimento, necessidade de abertura de novas UTIs e a suspensão de cirurgias e consultas eletivas.

O Diário fez um levantamento com os principais centros de atendimento médico particulares da cidade. Hospitais como o Santa Marta e o Santa Genoveva informaram que não estão atendendo novas demandas de coronavírus no Pronto Atendimento devido ao aumento de casos de coronavírus - Hospital Santa Marta fechou totalmente o Pronto Socorro. O Uberlândia Medical Center (UMC) anunciou que, em parceria com empresários de Uberlândia, abrirá uma ala de UTI, com 15 novos leitos, destinada exclusivamente para receber pacientes com a doença.

Nesse momento, os hospitais Santa Genoveva, Madrecor, UMC e Santa Marta estão com as UTIs Covid totalmente ocupadas por pacientes com a doença em estado grave. O Hospital Santa Clara não informou a ocupação das UTIs Covid até o encerramento desta reportagem. O Hospital do Triângulo não possui UTIs.
 
AGRAVAMENTO
Em matéria veiculada pelo Diário de Uberlândia no dia 20 de fevereiro, médicos que atuam em hospitais particulares da cidade já tinham relatado a falta de UTIs destinadas exclusivamente para pacientes com Covid-19 em estado grave nas últimas semanas. Segundo dois profissionais ouvidos pelo Jornal, os hospitais particulares tiveram que adaptar leitos de UTIs para tratar outras doenças e receber os pacientes com coronavírus que aguardavam por vagas nas UTIs Covid.

Em outra reportagem, no dia 16 de fevereiro, o Diário noticiou a suspensão de cirurgias eletivas pelos hospitais Santa Genoveva, Santa Clara, Madrecor e UMC atendendo a uma recomendação do Ministério Público Estadual, assinada pelo promotor Fernando Martins, para que cirurgias e consultas eletivas fossem suspensas em função da pandemia da Covid-19. Essa medida foi mais um reflexo do colapso na saúde em Uberlândia provocado pelo aumento da pandemia do coronavírus na cidade.
 
A REALIDADE
O Santa Genoveva, que tem 23 UTIs Covid, todas ocupadas, disse, por meio de nota, que, devido o aumento de casos Covid em Uberlândia e a lotação de alguns hospitais, atingiu a capacidade máxima de atendimentos no Pronto Atendimento destinado a sintomas gripais e UTIs, e que, portanto, está impossibilitado de atender novas demandas. O Pronto Atendimento Geral mantém o funcionamento para casos de urgência.
“Tão logo a situação normalizar, voltaremos a informar. Estamos atentos aos protocolos de segurança e dispostos a contribuir significativamente com a sociedade uberlandense, garantindo a saúde e o bem estar dos nossos pacientes e colaboradores”, informou.

O Madrecor, que no início da pandemia adaptou-se e utilizou o espaço de 19 leitos dos 82 para adaptar UTIs que atendem pacientes com Covid-19, informou que, hoje, tem as 19 UTIs Covid ocupadas, mais 21 pessoas internadas (isoladamente em quartos/enfermaria), tendo, assim, ocupação 100%. O hospital informou, também por meio de nota, que o pronto atendimento segue em funcionamento.

Também por meio de nota, o UMC afirmou que as 20 UTIs destinadas para covid-19 estão 100% ocupadas neste instante. Informou também que “em parceria com empresários de Uberlândia, abrirá uma UTI destinada exclusivamente para receber pacientes com covid-19. Serão 15 novos leitos que se somarão aos outros 20 leitos já disponibilizados para este atendimento específico. A previsão de início da operação é a próxima quinta-feira, 25 de fevereiro”. Os outros atendimentos seguem normais no UMC.

O Santa Marta também disse, por meio de nota, que “suspendeu o atendimento no Pronto Socorro desde domingo (21)”. O hospital tem 18 UTIs Covid, todas ocupadas nesse momento.

O Hospital do Triângulo também informou que “os atendimentos eletivos estão suspensos”. Disse ainda que o Pronto Atendimento está em funcionamento normal e que não possui o serviço de UTI.

O Hospital Santa Clara não se posicionou até o fechamento desta reportagem. A unidade hospitalar publicou apenas um comunicado no qual diz que, seguindo as orientações do Ministério Público, “suspendeu as cirurgias eletivas até sábado (27), mantendo apenas as cirurgias de urgência e oncológicas que não necessitem de UTI”. A nota menciona ainda que “esta deliberação poderá ser prorrogada, e provavelmente será, enquanto o nível de ocupação do hospital permanecer elevado”.



VEJA TAMBÉM:

Uberlândia tem 1 mil mortes pelo coronavírus



 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »