05/02/2021 às 08h00min - Atualizada em 05/02/2021 às 08h00min

Painel de arte urbana é instalado em Uberlândia

Espaço foi inspirado no Beco do Batman e está aberto para visitação

DA REDAÇÃO
Painel artístico contou com a contribuição de três artistas da cidade | Foto: Mauro Marques

Uma obra de arte a céu aberto para levar cultura e arte, além de colorir o cotidiano de quem passa pela zona leste de Uberlândia. Essa foi a ideia que deu origem ao painel artístico e interativo de 40 metros de comprimento que fica ao lado de um posto de combustíveis, na rotatória que liga a avenida Anselmo Alves dos Santos à região do aeroporto, próximo ao Parque do Sabiá.

O painel artístico foi inspirado no Beco do Batman, localizado no bairro Vila Madalena, em São Paulo, que se tornou ponto turístico por causa dos grafites. A novidade tem chamado a atenção de modelos, fotógrafos, influenciadores digitais e as pessoas que gostam de arte urbana.

Para a idealizadora do painel artístico em Uberlândia, Marcela Neves, estamos em um momento em que um olhar diferente sobre o cotidiano pode fazer muita diferença na vida das pessoas. “Então por que não dar esse incentivo para a cidade? Quem sabe a iniciativa não pode ser um pontapé para outras ações semelhantes?”, sugeriu.

LINGUAGENS VISUAIS
O ponto de partida para o painel foi o projeto conceitual criado e desenvolvido por Jamile Golfetto, que convidou três artistas com visões diferentes para compor uma obra cuja proposta é a interação.

“Criamos um painel com as cores vivas, nichos interativos para as pessoas se conectarem com a arte através das fotos. Criamos nichos realísticos e traços que se interligam e trazem movimentos com elementos como pássaros, vegetações e muita interação em 3D com chuva colorida, balanço e muita vida. O desafio proposto foi unir a arte de artistas diferentes, com traços e linguagens distintas e produzir um único mural”, explicou.

Kim Ferreira, graduado em Artes Visuais na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), trabalha há mais de 20 anos com pinturas comerciais, e, nos últimos quatro anos, dedica-se ao graffiti, que o fascina, justamente, pela liberdade de interação que ele proporciona.

“Hoje, uso as ruas como um espaço aberto para estudos criativos e experimentações na busca de uma identidade cada vez mais forte na arte. Conheci muitos artistas graffiteiros e ampliei muito meu processo criativo, agregando traços e formas de pintar que só descobri utilizando as latas de spray e pelo contato com a rua”, detalhou.

Além dele, Sil Cotrin, artista paulista - onde a arte de rua é bem mais difundida, também foi uma das convidadas para o projeto. E, por fim, o estúdio local Farândola se juntou ao grupo para dar vida ao projeto.

"O Muralismo consiste em aplicar ilustrações em forma de pinturas diretamente na parede. Utilizamos tinta acrílica, resistente ao sol e chuva. Para este projeto, usamos temáticas florais, com pássaros e formas da natureza com cores vibrantes que remetem ao cerrado. Tivemos muitas trocas entre todos os profissionais envolvidos. O desafio foi criar uma arte com coerência em que todos tivéssemos liberdade para expressar suas ideias sem limitações”, disse Guilherme Batista, do estúdio Farândola.



VEJA TAMBÉM:

Exposição de carros antigos está aberta em shopping


Espaços culturais retomam atividades presenciais em Minas

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »