03/02/2021 às 14h55min - Atualizada em 03/02/2021 às 14h55min

Audiências públicas geram a primeira polêmica durante a nova legislatura

Combate à pandemia do coronavírus e enfrentamento à violência doméstica são os temas das audiências solicitadas

FERNANDO NATÁLIO
Vereador Carrijo questionou requerimento apresentado por Cláudia Guerra I Foto: Aline Rezende/CMU
O requerimento para a realização de duas audiências públicas em Uberlândia, feito pela vereadora Cláudia Guerra (PDT), nesta quarta-feira (3), na segunda sessão ordinária da Câmara Municipal neste ano, gerou a primeira polêmica no plenário da Casa durante a nova legislatura 2021/2024.

Uma das audiências, a ser realizada na próxima terça-feira (9), às 17h30, visa a debater o combate à pandemia do coronavírus e o planejamento da vacinação contra a doença no município. A outra audiência, prevista para ocorrer no dia 24 de março, às 18h, tem o objetivo de discutir sobre a rede de enfrentamento à violência domestica e suas atenções para garantir o direito das mulheres.

A solicitação das audiências foi discutida e votada separada dos outros requerimentos a pedido do vereador Antônio Carrijo (PSDB). Logo após a abertura das discussões sobre esse requerimento, o vereador tucano questionou essa solicitação, mencionando a diferença entre audiência pública e reunião aberta. Ele também disse que iria votar a favor dos requerimentos, mas afirmou que os temas das audiências devem ser discutidos por todo o Legislativo municipal, pois são de interesse da sociedade, não ficando restritos a um proponente.

Logo em seguida, a argumentação do vereador Carrijo foi confrontada pela vereadora Dandara (PT), que disse que os temas a serem tratados nas audiências requeridas afetam, hoje, diretamente a vida dos moradores de Uberlândia, o que justifica as realizações dos eventos públicos solicitados.

Na sequência, a vereadora Cláudia Guerra, autora do requerimento, reforçou a necessidade de aprovação do mesmo. “Nós queremos ouvir informações importantes sobre o combate à Covid-19, assim como precisamos discutir sobre a violência contra a mulher, que aumentou durante a pandemia”, disse.

Após a discussão dos vereadores sobre o tema, os parlamentares aprovaram, em votação simples e simbólica, o requerimento para a realização das duas audiências públicas. Nenhum vereador se posicionou contra a solicitação.



VEJA TAMBÉM:

Indústria puxa reação e Uberlândia cria 3 mil novos empregos em 2020


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »