07/01/2021 às 18h11min - Atualizada em 07/01/2021 às 18h11min

Demanda por testes de Covid-19 aumenta em Uberlândia

Festas de fim de ano movimentaram farmácias e laboratórios

IGOR MARTINS

Com as confraternizações de fim de ano e o período de férias, farmácias e laboratórios de Uberlândia registraram um aumento na procura pelos testes de Covid-19. O crescimento chegou a elevar a demanda de uma rede de drogarias na cidade em praticamente 90%, de acordo com o dono da franquia, David Luiz Rotelli.

“A procura pelos testes aumentou no Natal e no Ano Novo. Como muita gente viaja para ficar perto dos amigos e da família, muitos deles queriam garantir e fazer o teste. Além disso, esse crescimento no número de casos em Uberlândia também explica o aumento dessa demanda. As pessoas ficam preocupadas e querem saber se estão ou não com o vírus”, disse.

Em pesquisa feita pela reportagem no Google Trends, ferramenta que mostra as palavras mais buscadas na internet, o termo “teste covid” aumentou consideravelmente em Minas Gerais desde o dia 6 de dezembro. Desde o início da pandemia, as pesquisas não eram tão altas. Em todo o estado, Uberlândia foi a 5ª cidade que mais procurou pelo termo no Google, atrás apenas de Nova Lima, Belo Horizonte, Contagem e Uberaba.

Ainda segundo Rotelli, a procura foi tão grande que o interesse em um dos testes fornecidos pela rede mais que triplicou. Com o crescimento da demanda, uma das drogarias chegou a ficar sem um dos testes, o que, de acordo com David, foi rapidamente disponibilizado pelo fornecedor.

“Nós estamos abastecidos, as lojas estão estocadas. Eu não acredito que daqui para frente tenhamos um crescimento maior do que nós já tivemos. Agora não tem festa, mas sempre procuramos manter o estoque para atender o público. A falta de um teste ou outro acontece porque a demanda aumentou repentinamente”, explicou à reportagem.
 
ESTOCAGEM
Os laboratórios particulares também registraram aumento da demanda pelos testes de diagnóstico do coronavírus. Segundo o gestor do Sabin em Uberlândia, Dr. Fabrício Cazorla, a maioria dos laboratórios da cidade tinham previsto o crescimento da procura.

“Nós temos bastante teste disponível porque previmos que isso poderia acontecer. Compramos um pouquinho a mais, então não vão faltar testes para a população. Posso dizer que estamos bem seguros em relação a isso”, falou em entrevista ao Diário.

De acordo com Cazorla, o aumento nos laboratórios Sabin foi de aproximadamente 40%, algo que já era esperado na rede pelo momento de festas do fim de ano.

“Às vezes o pessoal vai viajar e a pessoa está com aquela dúvida para saber se está com a doença ou não. Muitos jovens nos procuraram nesse período. As duas últimas semanas foram bastante movimentadas e essa semana tem sido da mesma forma”, relatou.


VEJA TAMBÉM:

Prefeitura teme segunda onda da Covid-19 em janeiro


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »