29/12/2020 às 08h00min - Atualizada em 29/12/2020 às 08h00min

Estudantes propõem ações educativas ao MUnA

Propostas dos alunos serão analisadas e possivelmente implementadas pela instituição

DA REDAÇÃO
Ação é fruto de atividade ofertada pelo INBIO na disciplina “Educação em Museus” | Foto: Eduardo Cardoso

Na última semana, estudantes matriculados na disciplina de “Educação em Museus”, ofertada pelo Instituto de Biologia (INBIO) em parceria com o Museu Universitário de Arte da Universidade Federal de Uberlândia (MUnA/UFU), apresentaram, dentro de sala de aula, propostas de ações educativas que haviam elaborado para museus do Brasil.

A proposta da atividade, que foi orientada pela professora e coordenadora do núcleo educativo do MUnA, Daniela Franco, era propor ações virtuais que resultassem em uma experiência única e provocativa ao visitante do museu, convidando-o a ampliar suas visões de mundo e suas bagagens de vida. Todas as propostas foram pensadas para o meio digital.

As ações apresentadas variaram em relação às temáticas e aos museus selecionados. Para o “Museu Dica – Diversão com Arte e Ciência”, por exemplo, o mestrando Matheus Barros propôs que os visitantes postassem depoimentos em suas mídias sociais sobre sensações, percepções e sentimentos experienciados ao ver e tocar objetos presentes no museu.

Para elaborá-la, o estudante de Ensino de Ciências e Matemática considerou o contexto de fechamento do espaço físico da instituição e a atuação do museu no meio digital. “A minha ação, nesse período de pandemia, contribui para provocar o visitante, fazendo com que ele interaja nas redes com o conteúdo do Museu Dica e entenda, de alguma forma, que a ciência também é um patrimônio”, defendeu.
 
MUNA
Durante a ação, três propostas foram elaboradas para o MUnA. A primeira delas é um convite à elaboração e postagem de fotografias, desenhos e pinturas que respondam à pergunta “Qual é o Triângulo Mineiro que você conhece hoje?”. A proposta da estudante de jornalismo Beatriz Ortiz estabelece um diálogo com as obras “Paisagem I”, “Paisagem II” e “Paisagem III”, que, pintadas na década de 1980 pelo artista Maciej Babinski, retratam panorâmicas da região mineira.

Os estudantes de Artes Visuais Cláudia Guimarães, Diego Rocha e Eduarda Cardoso também elaboraram uma ação educativa que dialoga com o acervo do MUnA, mas, desta vez, com a série “Caminhos” (1974), de Fayga Ostrower. Na proposta, eles convidam os internautas a contar como é o decorrer dos seus dias postando, diariamente, durante seis dias, uma imagem no feed do Instagram. Tal qual “Caminhos”, a imagem pode remeter à aurora, manhã, dia, tarde, crepúsculo e noite, abordando momentos, sensações, lembranças e locais, à escolha do visitante.

“Nossa proposta cria a possibilidade de difundir a coleção do MUnA”, relataram. “Além disso, a ação ‘Fruição: Fayga Ostrower’ instiga a observação do agora, convidando o espectador para uma experiência de atenção reflexiva com seu próprio tempo”. Entre os estudantes, Cardoso já atuou como mediadora do MUnA e, hoje, Guimarães trabalha na mesma função.

Por fim, o estudante de Biologia Arthur Figueira propôs a ação educativa “O Samba que mora em mim”, inspirado no documentário homônimo. Apaixonado pela área, o aluno objetiva visibilizar a memória de grandes personalidades do samba e expor instrumentos, imagens e objetos que caracterizam a cultura nas mídias sociais do museu.

O MUnA e o Museu Dica vão analisar as propostas e, possivelmente, implementar as ações educativas em 2021. As obras de Babinski e Ostrower estão disponíveis no acervo digital no MUnA.


VEJA TAMBÉM:

Coletivo "A Cabaça" lança novo livro em Uberlândia

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »