24/12/2020 às 08h00min - Atualizada em 24/12/2020 às 08h00min

Atriz da região estreia curta nesta quinta (24)

'Entenebrecida – Um experimento sobre a carne' traz reflexão sobre a colonização no país

DA REDAÇÃO
Juliana Iyafemi é natural de Araguari e formada na UFU em Uberlândia | Foto: Divulgação

Se 2020 foi um ano para refletir sobre a vida, o filme “Entenebrecida – Um experimento sobre a carne” traz uma contribuição necessária para esse momento da humanidade, especialmente para o Brasil, onde existe um ambiente de polarização política e aumento da intolerância. A mensagem trazida pelo curta-metragem produzido em 2020 expõe dores e marcas de uma sociedade que ainda precisa evoluir.

A estreia do curta acontece nesta quinta-feira (24), às 9h, pela plataforma Zoom, onde o público ainda poderá participar de uma roda de conversa com os realizados do projeto. A exibição é gratuita e para acompanhar é preciso fazer a inscrição pelo e-mail
[email protected]. O vídeo ficará à disposição do público no YouTube de Juliana Iyafemi durante duas semanas, podendo ser acessado em qualquer dia e horário.

“Entenebrecida” mira os holofotes na questão racial, de classe e de gênero e canaliza sua energia na elucidação das culturas de matrizes afrodescendentes. O trabalho da idealizadora e protagonista, a atriz Juliana Iyafemi, foi feito para expressar de corpo e alma sua própria cultura.

O que é mostrado durante 10 minutos de performance é a busca pelo sentido das palavras, por um sentimento de pertencimento, a ocupação de espaços, a conscientização de que nossas diferenças não impedem que tenhamos os mesmos direitos.
 
PROTAGONISTA
Formada em Teatro pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), bailarina e produtora cultural, Juliana Iyafemi é uma artista movida pela sua própria inquietação. Nascida e criada em Araguari (MG), atualmente vive em Natal (RN) e se prepara para novos desafios no sul da Bahia. Ela já rodou o país em apresentações de dança, teatro, rodas de capoeira, dentre outros projetos que reforçam o quanto a cultura afro está enraizada em nossa sociedade.

Essa mesma inquietação é evidenciada pelo diretor Rafael Bacelar, que utiliza fotografias e ilustrações para relatar os acontecimentos ao longo do tempo e fazer um contraponto entre evolução e intolerância. Bacelar é mineiro e hoje vive no Rio de Janeiro. É ator, pesquisador, drag queen, mestre de cerimônias e barman. Fundador da Companhia Toda Deseo, integrante da plataforma Cabaré das Divinas Tetas e trabalha como ator na Companhia Brasileira de Teatro.

O nome do curta é uma referência à beleza e à profundeza da cor enegrecida pelo corpo e pelo tom da palavra, e que ganha vida na mistura de cenas marcantes e danças inspiradas em ritmos africanos. “É uma experiência para o público, um despertar para a reflexão, a consciência. O público recebe estímulos que podem mudar o seu dia, a sua vida”, disse Juiliana Iyafemi.
 
SERVIÇO
O QUE: “Entenebrecida – Um experimento da carne”
QUEM: Juliana Iyafemi
QUANDO: quinta (24), às 9h
ONDE: plataforma Zoom
QUANTO: gratuito


VEJA TAMBÉM:

Coletivo "A Cabaça" lança novo livro em Uberlândia


 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »