23/12/2020 às 08h21min - Atualizada em 23/12/2020 às 08h21min

Empresários do setor de eventos investem em bares para driblar pandemia

Segmento em Uberlândia tem ajudado profissionais a reduzirem impacto causado pela Covid-19

DHIEGO BORGES
Acrópole aproveitou espaço externo para comportar novo bar | Foto: Divulgação
Responsável por 4,32% do Produto Interno Bruto (PIB), o setor de eventos foi um dos mais impactados pela pandemia do novo coronavírus. De acordo com a Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), a estimativa é que cerca de 300 mil eventos já tenham sido cancelados este ano. Para diminuir os prejuízos causados pela crise, em Uberlândia, empresários do ramo têm investido em um novo segmento: os bares.

Há mais de oito meses sem a possibilidade de realizar eventos, o sócio proprietário do Acrópole, João Paulo Amaral, foi um dos empresários prejudicados pela paralisação do setor. Segundo o empresário, somente no primeiro semestre, mais de 50 eventos com datas fechadas com a casa foram cancelados. Para tentar minimizar o impacto financeiro, no início de dezembro ele inaugurou o Acrópole Bullevard, um bar que foi montado do lado externo do espaço de eventos.

“Desde março estávamos aguardando uma data para voltar, mas quando liberaram os eventos, ficou limitado a apenas 30 pessoas. A casa comporta cinco mil, então vimos que não teria como, precisávamos nos reinventar. Notamos os bares todos cheios, aí tivemos a ideia de investir. Estamos tendo um retorno muito positivo”, contou.

João também revelou que não fez nenhuma demissão durante a pandemia e que o bar está contribuindo também para gerar emprego. O estabelecimento, que funciona de quarta a domingo, tem um quadro de aproximadamente 20 funcionários e também conta com espaço para apresentações musicais durante todos os dias.  

Há três anos tendo o setor de eventos como a sua única fonte de renda, o empresário e DJ João Vitor Melgaço também precisou se adaptar às novas condições impostas pela pandemia. Prejudicado pela ausência dos eventos na Casa Garcia, empreendimento da família, João se uniu a outras duas sócias para investir em um novo negócio: o Varanda 402. 

O bar, que foi inaugurado na primeira quinzena de novembro, utiliza o próprio espaço da casa, que neste ano teve seis grandes eventos cancelados ou adiados. “Estamos parados, sem eventos, fizemos uma parceria e abrimos em duas semanas essa nova proposta. A princípio seria temporário, mas devido ao sucesso decidimos continuar. Teremos uma pausa no fim de ano, mas há uma grande chance de voltarmos em janeiro”, adiantou. 

O empresário também contou que o empreendimento tem ajudado a gerar novos empregos. A equipe conta com cerca de 50 funcionários, entre segurança, limpeza, cozinha, caixa, barman e DJs que se apresentam no local.  

Outra iniciativa, segundo João Paulo, foi ceder algumas datas para que produtores de eventos pudessem trazer shows. Um dos mais recentes foi uma apresentação do cantor sertanejo Jefferson Moraes, no dia 13 de dezembro, com um público estimado em 300 pessoas. “Foi uma forma de ajudar os festeiros que também foram prejudicados com a paralisação”, disse o empresário. 


 



 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »