09/12/2020 às 08h00min - Atualizada em 09/12/2020 às 08h00min

Uberlândia recebe exposição fotográfica de Leo Faria

Mostra está aberta no Centro Municipal de Cultura de segunda a sexta

DA REDAÇÃO
“Ao encontro de” precisa de pré-agendamento como medida de controle à Covid-19 | Foto: Divulgação

Uberlandense e referência internacional na fotografia “Street Style”, Leo Faria lançou sua primeira exposição fotográfica individual em sua terra natal. A mostra acontece até 3 de março de 2021, de segunda a sexta-feira, de 12h às 17h, no Centro Municipal de Cultura. A visitação é totalmente gratuita.

A exposição “Ao encontro de” tem a necessidade de pré-agendamento das visitas presenciais pelo site www.aoencontrode.art.br, visando as medidas de controle à Covid-19. A mostra foi montada em um espaço de 1 mil metros quadrados e conta com mais de 270 imagens feitas ao redor do mundo.

“Estou muito feliz porque depois de 14 anos morando fora de Uberlândia, eu tenho a oportunidade de compartilhar parte do que eu vi, vivi e produzi neste período. Esta exposição é uma oportunidade de gratidão, de retribuir à cidade, em forma de ‘encontros’, todo um carinho pela minha terra”, disse Faria.

A ideia da exposição surgiu após o curador Josué Mattos revisitar os milhares de arquivos fotográficos feitos durante anos de viagens pelo mundo, em lugares como Hong Kong, Bangkok, Paris, Milão, Nova York, Lima e Uberlândia e perceber a potência de olhares e encontros diversos.
 
‘AO ENCONTRO DE’
“Ao encontro de” reúne imagens que reforçam a natureza complexa de diálogos solitários. Entre as centenas de pessoas que figuram na exposição, algumas poucas se relacionam: a mãe e o seu filho de colo, idosos sentados em um banco de praça à espera de outro pôr do sol, o pequeno grupo de jovens a criar barricadas, duas mulheres que cruzam o campo visual de uma senhora que observa o tempo acelerado a sua volta, dois rapazes abraçados a contemplar o mundo pela tela de um celular e crianças que brincam como se tivessem asas.

Entre a grande quantidade de figuras isoladas, há um corpo a corpo possível com quem visita a exposição, por meio do qual a sucessão de instantes complementares gera um painel de sensações vulneráveis, líricas, festivas, corriqueiras e duvidosas.

Outro dado importante na exposição diz respeito ao fato de o projeto tomar emprestada a expressão idiomática comumente empregada de maneira desajeitada em nosso país. Ao explorar a confusão de verbos como aproximar e colidir, a exposição enfatiza a fragmentação do si mesmo para ocasionar encontros individuais que poderão reformular experiências comunitárias.
 
O FOTÓGRAFO
Nascido em Uberlândia, Leo Faria é formado em Publicidade, foi professor de criação e fotografia na Escola Superior de Marketing e Comunicação (ESAMC) e, nos últimos 16 anos, se dedica exclusivamente à fotografia, sendo reconhecido como o precursor e maior expoente da fotografia de Street Style do Brasil.

Colabora com inúmeras publicações nacionais e internacionais, assinando editoriais e capas de moda, além de ser responsável por importantes campanhas publicitárias. Em 2016, recebeu o prêmio de Melhor Fotografia de Moda do Ano pelo Prêmio Abril de Jornalismo.

Em 2017, lançou o primeiro livro de Street Style do Brasil, o “Street Style Book - Moda em Movimento”, publicado pela Editora Abril associada à Revista Elle.

Fez e faz inúmeras palestras sobre sua trajetória e linguagem fotográfica. É o primeiro e único fotógrafo da América Latina a tornar-se embaixador da maior marca de papéis artísticos para fotografia, a Canson, uma marca francesa com 450 anos de história. Realizou as seguintes exposições:
 

  • Exposição Equals, na Bienal de São Paulo, durante a 44ª edição da SPFW em agosto/2017.

  • Exposição, palestra e workshop, no Museu de Fotografia de Fortaleza, em agosto de 2018.

  • Exposição Work in Progress, durante a 47ª edição da SPFW, em abril de 2019, com 300 metros quadrados, um estúdio de edição e tratamento, e uma molduraria em atividade durante todo período expositivo.

  • Exposição Olhar à Terceira Pele durante a MADE/19, em agosto de 2019, que ocupou toda a rampa da Bienal de São Paulo com mais de 100 retratos impressos em tamanho real (1,10m X 2,00m).

 
Atualmente está trabalhando na execução de dois projetos: um que objetiva percorrer 40 países registrando cultura e comportamento através do vestuário contemporâneo; e outro que lança mão da antropologia visual para percorrer as camadas de relacionamento de 24 artistas com o mundo.


VEJA TAMBÉM:

Trio uberlandense 'DaDo' lança novo single


Grupontapé de Teatro faz pré-estreia de espetáculo
 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »