16/11/2020 às 11h25min - Atualizada em 16/11/2020 às 11h49min

​“Vamos começar uma nova fase a partir de janeiro”, diz Odelmo após reeleição

Prefeito de Uberlândia concedeu entrevista à imprensa nesta segunda (16); análise da administração, economia e vacina serão prioridades em novo mandato

DA REDAÇÃO
Prefeito se reelegeu com mais de 70% dos votos neste domingo (15) | Foto: Caroline Aleixo
O prefeito reeleito em Uberlândia, Odelmo Leão (PP), falou à imprensa na manhã desta segunda-feira (16) sobre a vitória no pleito e as áreas que serão priorizadas no mandato que se estenderá até 2024. Disse ainda sobre uma “nova fase” de sua administração, das dificuldades que deverão ser enfrentadas em razão da pandemia da Covid-19 e comentou a nova composição da Câmara Municipal.  

Este será o quarto mandato de Leão à frente do Executivo após receber o apoio de 228.390 eleitores, representando 70,47% dos votos válidos. Durante a coletiva, o político agradeceu à população e reforçou o pedido de união para superar a crise que trará ainda mais reflexos à cidade.

“A gente procurou nesse último mandato fazer o melhor possível. Independente do resultado, vamos começar uma nova fase a partir de janeiro. Começo agora a analisar dentro das diversas áreas para ver o que precisa mudar, melhorar. Vamos enfrentar problemas grandes com a economia e precisamos buscar alternativas”, disse.

Leão demonstrou preocupação com os repasses de auxílio emergencial, que finalizam em dezembro, desassistindo os beneficiários a partir de janeiro. Por isso, durante o discurso, falou várias vezes em união de todos, especialmente dos novos parlamentares, para ajudar no enfrentamento dos desafios.

Veja abaixo os principais pontos abordados no discurso pós-reeleição.

ADMINISTRAÇÃO
Os jornalistas questionaram o líder do Executivo sobre eventual reforma administrativa para a próxima gestão. “Temos que ter um secretariado sério, competente. Mudança na administração pública ainda é muito cedo pra dizer, todos os que estão fazem parte dessa legislação. O prefeito não faz nada disso sozinho, nem sem o povo. Vou examinar, olhar as condições do momento, conversar com cada um”. 

Sobre nomear algum vereador eleito da base para assumir secretarias ou autarquias, o prefeito descartou a possibilidade em um primeiro momento. 

CÂMARA MUNICIPAL
Dos 27 vereadores eleitos, 17 fazem parte da base aliada de Odelmo. A oposição deverá ser formada, inicialmente, por 10 vereadores, sendo dois do PDT, Pros e PSL e um do PT, MDB, Solidariedade e Cidadania. 

Questionado sobre alguma dificuldade em aprovar projetos, Odelmo respondeu:

 
“Eu acredito que todo político, independente da posição política, não pode ficar contra o povo e a cidade. Não vou mandar projeto que não seja de interesse do povo e da cidade, nunca fiz isso. Espero que possa ser analisado, debatido e votado”, comentou. 

O prefeito também deve se reunir com os aliados em breve para discutir entre o grupo as próximas eleições da presidência do Legislativo. 

SUCESSOR
O chefe do Executivo também comentou sobre começar a trabalhar um sucessor ou sucessora após o término do mandato, porém sem indicar eventuais nomes. “Eu sempre preguei que Uberlândia precisa de novas lideranças. Mas liderança política ela cresce por si, é vocação natural, o que pode fazer é ajudá-la, mas a grande ação tem que ser da pessoa. Nós vamos continuar trabalhando e ter a responsabilidade para deixar Uberlândia em boas mãos”.

VACINA 
O prefeito foi perguntado ainda sobre a busca pela vacina contra o novo coronavírus, conforme salientado durante a sua campanha eleitoral. “Desde o começo eu disse que iria atrás e vou atrás. Se eu tiver a oportunidade de conseguir as primeiras doses, pra aplicar em idosos e nos profissionais de Saúde, eu vou fazer isso. Mas as vacinas ainda estão em fase de testes, temos que insistir, e no momento que tivermos oportunidade buscar a solução para essa pandemia”, comentou.

EMPREGO
Outra prioridade comentada para a próxima gestão é capacitar mais os uberlandenses para garantir mais profissionalização ao mercado de trabalho. 

 
“Os desafios vão nos exigir modernização, cursos profissionalizantes na área de informática principalmente aos jovens e idosos para que ingressem ao mercado de trabalho. Através do Sine vamos avançar mais ainda nessa geração de emprego e renda”, disse.

ECONOMIA
Na área econômica, o chefe do Executivo explicou a necessidade de estar ao lado dos governadores e do presidente da República para buscar caminhos para a recuperação, uma vez que, segundo ele, um prefeito não deve apenas se ater à realidade do seu município, mas à do país e do mundo. 

Reforçou sobre os investimentos feitos até o momento e que movimentará a economia com novas obras. “Na totalidade dos quatro anos tivemos R$ 3 bilhões em investimentos e, só em 2020, mais de R$ 800 milhões, gerando emprego e renda. Quando você coloca em atividade as obras de mobilidade urbana que a Prefeitura está executando e vai seguir executando, porque vai ter o Uberlândia Integrada III, é uma maneira de movimentar a economia e gerar emprego”.

Assista à íntegra da coletiva que foi transmitida pelas redes sociais de Odelmo. 



 


VEJA TAMBÉM:
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »