15/11/2020 às 11h51min - Atualizada em 15/11/2020 às 12h06min

Falta de acessibilidade dificulta chegada de eleitores às urnas em Uberlândia

Elevadores quebrados na UFU e em uma escola estadual fizeram muitas pessoas desistirem do voto na manhã deste domingo (15)

CAROLINE ALEIXO E BRUNA MERLIN


Irmãs idosas foram contribuir com voto e encontraram dificuldades para chegarem à seção | Foto: Diário de Uberlândia

Na manhã deste domingo (15), durante o início do período de votação das Eleições Municipais 2020 em Uberlândia, eleitores encontraram problemas de acessibilidade em algumas zonas eleitorais. Elevadores quebrados dificultaram a ida até as urnas e muitas pessoas com dificuldades de utilizar escadas desistiram de registrar o voto e foram embora.

 

As irmãs Creusa Fernandes Pereiras e Magna Fernandes Pereira, de 72 de 80 anos, tiveram que subir escadas para votar. Elas, que não fazem parte do grupo obrigatório para votação porque são idosas, fizeram questão de contribuir com período eleitoral, mas ao chegarem na Escola Estadual de Uberlândia (Museu) encontraram o problema da acessibilidade.

 

“Nós fazemos questão de votar para motivar uma nação melhor. Portanto, a falta de acessibilidade é muito séria e desrespeitosa com aqueles que precisam”, ressaltou Creusa. 

Creusa Fernandes Pereiras e Magna Fernandes Pereira, de 72 de 80 anos, votaram no Museu | Foto: Diário de Uberlândia

 

A médica perita do trabalho Sâmia Bittar estava no local e se sensibilizou com a situação de muitos idosos, deficientes e pessoas com problemas de saúde tendo que se esforçar para subir lances de escada. “Como médica e como perita eu conheço muito bem as leis e decretos que exigem a acessibilidade. Então quando vi, meu coração não aguentou e não posso ficar em silêncio”

 

A situação também se repetiu no bloco 5O do campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). O elevador do prédio quebrou e impediu que muitos eleitores chegassem até as urnas que ficam em andares superiores. 

 

O Diário de Uberlândia tentou contato com o Cartório Eleitoral para saber se houve mais denúncias sobre problemas de acessibilidade, mas as ligações não foram atendidas. Na escola estadual, o problema foi resolvido ainda no fim da manhã por servidores da Justiça Eleitoral que compareceram ao local. A sala especial de acessibilidade, seção 20, que estava em um dos pisos superiores, foi transferida para o piso inferior da escola, em uma sala improvisada. 

Servidores da Justiça Eleitoral também foram até a UFU para solucionar o problema, mas a reportagem ainda não obteve uma posição sobre ter sido solucionado o problema. 


VEJA TAMBÉM:

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »