05/11/2020 às 11h33min - Atualizada em 05/11/2020 às 11h33min

Em meio a disputas internas, Placidino Stábile é o candidato do MDB

Partido tenta eleger um prefeito desde a saída de Zaire Rezende, em 2004; o próximo entrevistado da série é Thiago Fernandes (PSL)

SÍLVIO AZEVEDO
Placidino tem 49 anos, é advogado, consultor empresarial e foi diretor da Prodaub | Foto: André Matos/Ivana Matos
Dando sequência à série de entrevistas com candidatos a prefeito de Uberlândia, Placidino Stábile (MDB) tem 49 anos, é advogado, consultor empresarial e começou a vida política como diretor da Prodaub (Processamento de Dados da Prefeitura de Uberlândia) entre 2013 e 2016. Compõe a chapa, a servidora pública municipal aposentada Odete Afonso de Castro, 58 anos.

Com uma campanha envolvida em uma disputa jurídica interna do partido, Placidino venceu as convenções municipais do MDB para ser o candidato. Porém, o derrotado Lourival Santos, que pertence ao grupo do ex-senador Wellington Salgado, recorreu à executiva nacional para tentar ser o nome do partido na eleição, que anulou o resultado da convenção e indicou Lourival. Com isso, houve incursões na Justiça Eleitoral que, até o momento, garantiu Placidino como o candidato.

A equipe de campanha de Lourival Santos respondeu às perguntas do Diário, e caso a decisão seja revertida sua entrevista também será publicada. 

Como é baseado o seu projeto de governo para Uberlândia entre 2021 e 2024?
O nosso projeto de governo segue as diretrizes do MDB em absoluta sintonia com as genuínas aspirações do povo brasileiro. Estamos propondo o Nosso Programa de Governo Municipal considerando que a moderna administração pública é organizada por programas e, na conjugação e/ou agregação dos programas afins, por eixos. Assim, para o nosso Plano de Governo, recomendamos os seguintes eixos: Desenvolvimento Econômico (Infra estrutura, Mobilidade Urbana e Novas Empresas), inclusão Social (Emprego, Saúde, Educação, Esporte e Lazer, Cultura, Segurança e Meio Ambiente) e administração Municipal Cidadã (Democracia Participativa).

Quais as expectativas para governar uma cidade do porte de Uberlândia em um período final e pós-pandemia?
Sabemos que vamos iniciar o governo em plena pandemia, e por isso logo faremos um diagnóstico geral da administração, e sem perder tempo um planejamento para que sejam tomadas medidas e ações pontuais em todas as áreas para garantir a continuidade do atendimento médico aos pacientes infectados, para manter também as medidas protetivas de acordo com as necessidades do momento e,  principalmente, garantir a imunização da população tão logo as vacinas estejam disponíveis.

Quais são as suas propostas para recuperar a economia do Município?
Vamos, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, iniciar um diálogo permanente com as instituições e entidades como a  Aciub, CDL, Fiemg e Sindicato Rural para que juntos possamos desenvolver ações planejadas para a recuperação do comercio em âmbito geral, da economia, do emprego e da geração de renda a curto, médio e longo prazo.

A Saúde é uma das pastas que mais recebe recursos e, também, motiva muitas reclamações por parte dos usuários do sistema público, especialmente quanto ao déficit de leitos. Como diminuir essa insatisfação e melhorar a qualidade dos atendimentos nas unidades de saúde?
Na nossa gestão, defenderemos a saúde pública como direito do cidadão, garantindo o acesso universal, igualitário e gratuito. O nosso foco será na atenção básica para melhorar a qualidade de vida do cidadão, e assim promover a saúde prevenindo doenças, adotando metas e indicadores de longevidade sem deixar de promover o atendimento hospitalar quando necessário e ampliar o programa Melhor em Casa para diminuir o tempo de internação dos pacientes. O resultado disso será a diminuição da demanda de leitos hospitalares. E para melhorar e ampliar a infraestrutura da rede municipal de saúde iremos construir na região oeste da cidade o segundo Hospital Municipal. Propomos também aplicar a modernidade tecnológica como a grande marca da nossa gestão, promovendo um sistema global de saúde informatizado e acessível que possibilita o monitoramento dos atendimentos, controle de doenças e entrega de medicamentos além de facilitar o tratamento de problemas epidemiológicos.

A Educação também figura entre os segmentos mais importantes na gestão pública. Quais as principais ações do seu governo propostas para o segmento?
A pasta será ocupada por um educador com especialidade em educação pública que terá como missão promover educação de qualidade aliada a tecnologia, que será uma meta permanente da nossa gestão. Para isso, é indispensável investir, ao mesmo tempo, na qualificação dos professores. Vamos revisar o plano de cargos e salários, disponibilizar atendimento psicológico para alunos e professores, atender de forma integrada com o Estado a demanda das crianças desde os primeiros anos de vida.
Atuar de forma uniforme e sincronizada em todas as escolas da zona urbana e rural, para garantir a modernização tecnológica, material didático adequado, bem como espaços de recreação ao ar livre, esportes, oferecer alimentação balanceada e de qualidade e oferecer serviços de saúde bucal.

Os setores cultural e esportivo têm sido alguns dos mais afetados pela pandemia da Covid-19. Como auxiliar na retomada e fomentar áreas que, há muito, já vêm sofrendo com cortes de investimentos em todos os âmbitos da Administração Pública?
As áreas culturais, esportivas e de entretenimento do setor privado foram as mais afetadas pela pandemia da Covid-19, e até o momento não retomaram plenamente as suas atividades. Em conjunto com os empresários, tomaremos providências rápidas para regulamentar a retomada gradativa e segura das atividades para a retomada da economia, geração de emprego e renda. Iniciaremos também um estudo para inserir Uberlândia no calendário anual de grandes eventos culturais, esportivos e de entretenimento nacionais e internacionais, explorando os nossos equipamentos públicos, bem como os espaços privados. Vamos também buscar recursos junto aos governos Estadual e Federal para restaurar e revitalizar o “Teatro Grande Otelo”.

 Servidora aposentada Odete Afonso de Castro, de 58 anos, compõe a chapa | Foto: Gilberto Pereira


Muitos especialistas indicam a urgência de Uberlândia passar a contar com um plano de mobilidade urbana efetivo diante ao crescimento exponencial da cidade. Em seu governo, como o planejamento de tráfego e melhorias no transporte urbano seriam tratados?
Qualquer projeto de mobilidade urbana deve ser pensado a curto, médio e longo prazo. Considerando o crescimento estrutural e populacional médio histórico de Uberlândia, podemos projetar que daqui a 20 anos a população local será de aproximadamente dois milhões de habitantes. Dessa forma, entendemos que a partir de agora devemos pensar e planejar as nossas ações para essa nova realidade da cidade, por isso temos que pensar grande e sermos ousados. Vamos exigir mudanças rápidas e de curto prazo na frota de ônibus urbano, substituindo os atuais por veículos elétricos, menos poluente e com menor custo operacional, o que tornará a passagem mais barata para os usuários. Além disso, precisamos pensar a médio prazo em um projeto de veículo leve sobre trilhos (VLT), e a longo prazo pensar também no projeto de um metrô quando a população superar os dois milhões de habitantes. Faremos um projeto de uma malha urbana de ciclovias integrada aos terminais de ônibus que possa ser utilizada tanto por bicicletas como patinetes elétricos, interligando todas as regiões da cidade.

O candidato gostaria de comentar alguma outra proposta de área específica não tratada nos questionamentos anteriores?
A corrupção traz prejuízos para toda a sociedade e para a democracia, atrapalha políticas públicas, rouba sonhos e tira a esperança de um povo, por isso cabe ao gestor público tomar atitude, plantar uma semente e promover ações e políticas anticorrupção. Nesse sentido, a nossa proposta é elaborar uma lei que regulamente a implantação de um programa de “COMPLIANCE ANTICORRUPÇÃO” em toda a administração pública municipal, nas autarquias e empresas públicas.

Considerações finais: por que você acredita que seu plano de governo é melhor do que o dos demais candidatos?
Porque reconhecemos que o desenvolvimento que efetivamente conta é o Desenvolvimento Humano (IDH). No entanto, o Desenvolvimento Econômico (PIB), quando a serviço do Desenvolvimento Humano, deve ser estimulado pela gestão pública com a maior intensidade. E o meu papel como gestor comprometido apenas, e somente, com a cidade e com a população, é de usar a minha formação acadêmica e intelectual junto com a minha experiência profissional para administrar a cidade e estimular o desenvolvimento econômico a contribuir diretamente para o maior Desenvolvimento Humano, de forma igualitária a toda a população.

SERVIÇO
Número na urna:
15
Chapa: MDB
Facebook: Placidino Stábile
Instagram: @placidinoprefeito15



VEJA TAMBÉM: 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »