26/07/2020 às 10h04min - Atualizada em 26/07/2020 às 10h04min

Movimentos pró e contra Bolsonaro se mobilizam com outdoors em Uberlândia

Grupos se uniram para arrecadar fundos e fazer manifestações por bairros da cidade

DHIEGO BORGES
Outdoors divergentes foram colocados lado a lado na avenida Rondon Pacheco | Foto: Reprodução/WhatsApp
Desde o último mês, movimentos pró e contra o presidente Jair Bolsonaro têm chamado a atenção nas ruas de Uberlândia. Por meio de artes em outdoors, grupos locais fizeram manifestações com frases de apoio e outras contrárias ao chefe do Executivo. Em uma rede social, o presidente chegou a comentar sobre os movimentos favoráveis que estão sendo realizados em todo o país e citou uma das ações feitas na cidade. 

O movimento começou em junho, por meio de uma iniciativa entre amigos insatisfeitos com as ações do presidente durante a pandemia. Intitulado “Coletivo a Rua é Nois”, o grupo produziu uma arte com uma ilustração de Bolsonaro com os dizeres “Se puder, fique em casa” e “Fora só Bolsonaro”. O outdoor também traz frases de impacto como “Em defesa do SUS”, “Pela democracia”, “Quarentena geral e com renda para todos” e “Contra o racismo e o fascismo”.

De acordo com produtor cultural Djalma Filho, um dos membros do grupo, oito outdoors foram espalhados por diversos pontos da cidade. Os recursos foram arrecadados entre os próprios membros e com a ajuda de demais apoiadores. Além de Uberlândia, o mesmo outdoor foi reproduzido em outras cidades da região como Araguari, Patrocínio, Patos de Minas e Uberaba. 

“Foi uma forma de expressar o descontentamento com as iniciativas do presidente principalmente relacionadas a este momento. Se o governo não faz a parte dele, nós devemos fazer a nossa, ficar em casa se possível, usar máscara em público e valorizar a vida. Tivemos apoiadores em diversos locais, inclusive fora do estado, como de Brasília, São Paulo e até da Austrália”, explica Djalma Filho.

Os outdoors do grupo ficaram expostos por aproximadamente um mês, mas, segundo o organizador, muitos deles foram destruídos.

 
“Acabou gerando também um movimento de apoio ao presidente, que também reconhecemos como legítimo, mas o que nos deixou chateados foi que alguns dos materiais foram completamente destruídos”.

Grupo contra Bolsonaro teve outdoors destruídos por vândalos | Foto: Divulgação 

PRÓ-BOLSONARO

Em resposta ao movimento contrário, dois grupos intitulados de “Movimento nas Ruas” e “Direita Minas” reagiram às manifestações e decidiram produzir outros outdoors demonstrando apoio ao presidente Bolsonaro. 

Um dos primeiros pontos da cidade utilizados pelos grupos foi a avenida Governador Rondon Pacheco, sendo o primeiro deles anexado no início de julho e citado por Bolsonaro em um vídeo postado nas redes sociais.

Em outro ponto via, é possível ver dois outdoors pró e contra ao presidente lado a lado. As ações a favor do presidente da República são parte de movimentos sociais como “Não Cruze os Braços o Brasil é Nosso” e “Reabre Uberlândia”, este último em favor da reabertura do comércio de Uberlândia.

Primeiro outdoor pró-Bolsonaro foi colocado pelo movimento 
Não Cruze os Braços no início do mês | Foto: Divulgação 

Entre as manifestações de apoio, os outdoors traziam frases de impacto como “Presidente Bolsonaro, o povo trabalhador de Uberlândia está contigo”, “Família, liberdade e contra o comunismo”. Segundo José Alberto Neves, um dos membros, o objetivo foi dar uma resposta às críticas ao presidente.

“A gente achou agressiva a forma como o outdoor [do outro movimento] foi feito. Então propus nos nossos grupos uma união para dar uma resposta à altura em apoio ao nosso presidente”, explicou. 

O objetivo inicial, de acordo com o organizador, era produzir dez outdoors, mas com o apoio dos apoiadores, foram arrecadados recursos que garantiram a produção de vinte placas. Ainda segundo José Neves, o grupo contou com o apoio financeiro de mais de trinta empresários ligados aos movimentos e também com a empresa que produziu o material, que concedeu um desconto ao grupo. 

Além de Uberlândia, de acordo com o organizador, outras cidades da região, como Monte Carmelo, Araguari, Ituiutaba, Uberaba e Paracatu, também copiaram o modelo e começaram a expor também as placas em apoio ao presidente. 

As ações de vandalismo também ocorreram nas peças produzidas pelo movimento pró-Bolsonaro. Algumas delas foram pichadas e o rosto do presidente chegou a ser pintado com um bigode, fazendo alusão ao ditador e líder do nazismo Adolf Hitler.

Placas em apoio ao presidente também foram vandalizadas com pichação em referência ao ditador Adolf Hitler | Foto: Reprodução/Twitter 


















 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »