17/07/2020 às 16h31min - Atualizada em 17/07/2020 às 18h41min

Prefeito Odelmo Leão volta atrás e decide reabrir comércio em Uberlândia

Restaurantes, atividades religiosas, shopping centers e clubes poderão funcionar a partir de segunda-feira (20); veja as condições

CAROLINA PORTILHO E CAROLINE ALEIXO
Prefeito apresentou dados e justificou que contágio da doença está estabilizado em Uberlândia | Foto: Valter de Paula/Secom/PMU
O prefeito Odelmo Leão informou em entrevista à imprensa com transmissão ao vivo nas redes sociais, na tarde desta sexta-feira (17), que vai determinar a reabertura gradual do comércio em Uberlândia. A nova deliberação vale a partir de segunda-feira (20) e segue até o dia 28 de julho. Entre as atividades flexibilizadas estão lojas em geral, restaurantes, atividades religiosas, shopping centers, salões de beleza, parques e clubes. 

As novas deliberações proibem a aglomeração de pessoas em espaços públicos como ruas, praças e canteiros. A comercialização de bebidas alcoólicas, mesmo que por e-commerce, também estará vedada entre as 20h e 5h. Acesse o documento para ler todas as deliberações. 

As novas regras ocorrem após reunião do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19. Durante a primeira semana, ficará autorizado o funcionamento dos estabelecimentos nos bairros, das 9h às 18h, e no Centro, das 10h às 16h.

Os shoppings poderão funcionar das 12h às 20h de segunda a sexta-feira, porém a praça de alimentação somente durante o horário de almoço (11h às 14h). Aos sábados, as lojas poderão atender exclusivamente por delivery, drive-thru e take away. Salões de beleza, barbearias e clínicas de estética também estão permitidos, das 8h às 19h, de segunda a sábado. 


O setor de restaurantes poderá atender no horário de almoço (11h até 14h) ou horário de jantar (das 19h às 22h) em todos os dias da semana, mas com a capacidade máxima reduzida pela metade. Os bares não estão contemplados nessas deliberações. Além de bares, cinemas e academias continuam com restrição absoluta de funcionamento.

Em relação à prática de atividades esportivas, o prefeito disse que estão autorizadas as caminhadas, esportes sem contato entre pessoas ou aqueles em que os praticantes fiquem em lados opostos, como peteca e tênis, por exemplo. A natação poderá ser praticada somente por atletas com acompanhamento profissional e em piscinas sem cobertura.

Questionado sobre a volta às aulas presenciais, Odelmo Leão disse que ainda não há posicionamento sobre o assunto. “Vamos aguardar essa primeira semana de abertura do comércio e espero contar com o apoio da nossa população para que os números não cresçam”. 


Assista abaixo a trecho da live. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Jornal Diário de Uberlândia (@diariodeuberlandia) em



JUSTIFICATIVAS
As novas normas ocorrem após o Judiciário não acolher os embargos de declaração do Município, questionando a decisão que determinou a adesão ao programa Minas Consciente. No último fim de semana, o prefeito informou que acataria de imediato a decisão liminar, mas iria questioná-la sob a justificativa de que a cidade não poderia se enquadrar na mesma situação das demais cidades mineiras. 

Mas o Município entendeu que poderia fazer a adesão ao plano estadual que impõe regras para enfrentamento à Covid-19 no final do mês. “Temos um prazo dado pelo Governo do Estado para aderirmos ao Minas Consciente até o dia 29 de julho. Até lá, vale as regras do Município e por isso estamos abrindo e vamos acompanhar as evoluções, para não voltar a fechar o comércio", explicou Odelmo. 

Além disso, a liberação gradual do funcionamento do comércio se embasa nas estatísticas atualizadas sobre o contágio do novo coronavírus em Uberlândia, que ultrapassou os 10 mil casos. A média é de 1.451 contaminados a cada 100 mil habitantes, representando um percentual de crescimento nos índices de 5,55% por dia. Os dados, segundo Odelmo, representam a estabilização do contágio na cidade.

"Estamos monitorando desde março, quando começou a incidência na cidade. Maio e junho decretamos o fechamento de estabelecimentos devido à evolução dos números, essa foi a razão. Se a curva voltar a crescer, vamos fechar tudo novamente. Estamos cuidando da Saúde, mas também temos que nos preocupar com a economia, com o emprego e com a sobrevivência das pessoas”, destacou o chefe do Executivo. 


FISCALIZAÇÃO
O comércio que for flagrado descumprindo as medidas de biossegurança poderá ficar fechado por três dias. Em caso de segunda autuação, o fechamento é válido por sete dias úteis e, na terceira vez, por 15 dias úteis. 

Também está vedada a aglomeração de pessoas e as festas clandestinas continuarão sendo monitoradas. Após denúncias, os responsáveis estarão sujeitos à intervenção policial e dos Procons Municipal e Estadual para responder administrativamente e judicialmente pelo descumprimento das normas.   

 

VEJA TAMBÉM:











 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »