01/06/2020 às 18h32min - Atualizada em 01/06/2020 às 18h32min

Após 25 anos, obras do Anel Viário Sul devem ser concluídas em Uberlândia

Orçamento disponibilizado em licitação é de mais de R$ 15 milhões; visita de empresas interessadas ocorre nesta semana

DHIEGO BORGES
Visita ao local por parte de empresas interessadas na licitação ocorre até nesta terça (2) | Foto: Sílvio Azevedo
Próxima de completar bodas de prata, a novela da construção do Anel Viário Sul em Uberlândia, que liga a BR-050 à MGC-497, parece perto de um final feliz. O Governo de Minas deu um novo passo para a retomada das atividades e conclusão da estrutura, que foi iniciada há 25 anos. 

O edital para licitação da empresa que ficará responsável pela finalização das obras foi lançado no último dia 20 de maio e as visitas ao local, de acordo com o documento, devem acontecer entre esta terça-feira (2) e quarta-feira (3). O orçamento estimado é de mais de R$ 15 milhões. As empreiteiras interessadas em participarem da concorrência devem entregar as propostas no dia 22 deste mês e a abertura dos envelopes está marcada para o dia seguinte, às 9h, em Belo Horizonte. 

De acordo com o documento oficial, o orçamento previsto contempla a construção da ponte sobre o Rio Uberabinha, no fundo das Chácaras Ibiporã, além do acesso ao viaduto do Anel Viário e também a pavimentação do trecho de 1 km da MGC-455, que liga Uberlândia a Campo Florido. O prazo para conclusão da obra é de 365 dias corridos a partir da aprovação da empresa vencedora. 

Em dezembro de 2019, o Diário de Uberlândia noticiou a possibilidade da retomada da obra, anunciada pelo secretário de estado de Infraestrutura e Mobilidade, Marco Aurélio Barcelos, durante encontro na cidade com representantes de entidades civis e políticos da região. Nesta segunda-feira (1º), a reportagem conversou com o deputado estadual Luiz Humberto Carneiro, que intermediou as negociações com o Estado. 

 
“Fizemos uma visita com o secretário de obras em novembro do ano passado junto com o DEER-MG [Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais], eles viram a importância da obra e ela foi priorizada via empréstimo com o BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social]. Além do Anel Viário Sul, conseguimos incluir também a pavimentação de um trecho da MGC-455, na saída de Uberlândia para Campo Florido, então foi uma grande vitória”, afirmou.

OBRAS E NEGOCIAÇÕES PARADAS
No local onde deve ser construída a ponte sobre o Rio Uberabinha, parte da estrutura da base já está instalada com vigas de ferro e concreto, entregues em 2018. O restante do trecho aguarda ,desde então, por uma desapropriação de chácaras em uma área de aproximadamente 38 mil m² entre a avenida Felipe Bueno Campos e o Rio Uberabinha. As negociações, de responsabilidade da Prefeitura de Uberlândia, foram iniciadas por meio de conversas com os chacareiros do local em 2017, mas estão paralisadas desde que o Governo do Estado reteve o dinheiro para a continuidade da construção. 

Em outubro do ano passado, o Diário conversou com alguns proprietários do local, que haviam topado uma negociação em troca de imóveis de propriedade do Município. Na época, um dos donos que participaram de uma reunião com a Prefeitura disse que sete dos oito proprietários haviam aceitado a proposta, mas as negociações não caminharam.

“Parece que meses depois da reunião, a verba voltou para Belo Horizonte e foi usada para outras coisas do Governo do Estado e não tinha mais a verba, e por isso nunca mais fui contatado por ninguém sobre esse assunto”, disse o empresário Marcelo Prado à reportagem do fim do ano passado.

O proprietário também afirmou que, após dois anos da primeira conversa, um novo acordo deveria ser feito considerando a atualização dos valores dos imóveis, que foram valorizados neste período. “Tem que começar de novo, porque foi feito há dois anos em cima de uma realidade que existia naquele momento, mas eu continuo acreditando que há boa vontade, tanto da Prefeitura quanto dos proprietários, para chegar num acordo que fique razoável e que possa permitir a conclusão dessa obra o mais rápido possível”.

Segundo a apuração do Diário, naquela época o valor de uma área de 5 mil m², segundo alguns moradores da região, ultrapassava R$ 1,65 milhão. A Prefeitura de Uberlândia, por sua vez, informou na publicação que só concluiria o processo de permuta com os proprietários depois que tivesse a confirmação de que o DEER-MG teria a verba empenhada para concluir a obra.

POSICIONAMENTOS
Com a publicação do novo edital, o Diário procurou o DEER-MG para saber sobre uma previsão para o início das obras. Por meio de nota, o órgão informou que o processo licitatório para complementação dos serviços de melhoramento e pavimentação do Contorno Sul de Uberlândia, adequação com a MGC-455 e construção da ponte sobre o Rio Uberabinha, está em curso e a abertura das propostas será no dia 23/06/20, e que, portanto, só será possível ter uma previsão de início das obras após a conclusão da licitação.

A reportagem também procurou a Prefeitura de Uberlândia questionando o andamento das negociações com os proprietários das chácaras. Em nota, o Município esclareceu que um acordo firmado pelo Governo de Minas junto aos proprietários das áreas possibilita que o DEER-MG siga com as obras, independentemente do andamento das desapropriações. Também informou que aguarda o governo estadual apresentar o contrato de início das obras para retomar as discussões em relação ao processo de desapropriação das áreas. 














 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »