27/05/2020 às 12h20min - Atualizada em 27/05/2020 às 12h20min

Doações ao Hospital do Câncer em Uberlândia têm queda de 35%

Grupo Luta Pela Vida reforça pedidos de doação através do Imposto de Renda

DA REDAÇÃO

Desde a chegada do novo coronavírus, as doações em dinheiro ao Hospital do Câncer em Uberlândia caíram em torno de 35%. O atendimento e tratamento aos mais de 8.500 pacientes, entretanto, seguem funcionando normalmente. Para isso, o Grupo Luta Pela Vida antecipou o movimento “Dia de Doar” e intensificou o trabalho de pedido de doações pelo telemarketing.

O Hospital do Câncer receberá também ajuda por meio da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2020, que pode ser entregue até o dia 30 de junho. Qualquer pessoa física pode direcionar parte do imposto de renda de 2019 para causas sociais. Desta forma, os indivíduos que realizarem a declaração por meio do modelo completo poderão destinar recursos ao Grupo Luta Pela Vida.

A destinação pode ser de até 3% do imposto a pagar ou a restituir, via Fundo Municipal do Idoso de Uberlândia. Ao final do preenchimento do cadastro no relatório do modelo completo é necessário enviar um e-mail para
[email protected], com nome completo, CPF, telefone e endereço, além do comprovante de pagamento do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) de doação, com a frase: “Eu direciono meu IR ao Grupo Luta Pela Vida”.

As empresas também podem doar parte do seu imposto de renda para ajudar os pacientes do Hospital do Câncer. Neste caso, a pessoa jurídica deve recolher o IR regularmente e ser tributada pelo Lucro Real. O limite para doação de empresas pela legislação é de 1% do IR para o Fundo Municipal do Idoso direcionado ao projeto do grupo. As doações devem ser feitas até o último dia do período fiscal (trimestral ou anual).

“As poucas doações estão sendo feitas somente por meio de depósito bancário. Precisamos muito da ajuda das empresas e das pessoas em geral. Pedimos aos que vão fazer a declaração do IR que se lembrem do Hospital. A dedução fiscal não sai do bolso do contribuinte diretamente, e sim do abatimento do imposto pago. Então, a contribuição que seria destinada para outros fins, vai ajudar o paciente com câncer, fazendo uma enorme diferença. Queremos que toda a sociedade saiba disso e nos ajude nessa caminhada de luta pela vida”, afirma a presidente do Grupo Luta pela Vida, Thaisa Gapski Pereira Galicioli.
















 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »