02/05/2020 às 08h00min - Atualizada em 02/05/2020 às 08h00min

‘Campeonato Mineiro vai voltar’, afirma Federação

Diário entrevistou diretor de competições da FMF, Leonardo Barbosa

IGOR MARTINS
Diretor da FMF descartou encerramento sem final | Foto: Arquivo Pessoal

Com a pandemia do novo coronavírus, eventos esportivos foram cancelados ou suspensos por tempo indeterminado em todo o mundo. Em Minas Gerais, por exemplo, a Federação Mineira de Futebol (FMF) suspendeu o Campeonato Mineiro por tempo indeterminado até que tudo se normalize.

Leonardo Barbosa, diretor de competições da federação, falou à reportagem do Diário sobre os próximos passos da FMF com relação à continuidade ou não do estadual. De acordo com ele, não há a menor chance de a competição ser encerrada sem uma final. Além disso, segundo Barbosa, o atual momento pode impactar a entidade nos próximos anos, devido ao grande impacto financeiro sofrido com a Covid-19. Confira abaixo a entrevista completa:
 
Diário de Uberlândia: Como tem sido o diálogo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a respeito da continuidade do Campeonato Mineiro? A prioridade é de fato voltar com os estaduais antes mesmo de se pensar no que fazer em outras competições?
Leonardo: Nós estamos em contato não apenas com a CBF, mas com outras federações, clubes e órgãos de saúde pública, tentando entender o momento e tentando prever alguma coisa relacionada ao futuro, como as medidas mais seguras possíveis para retornarmos com o campeonato. O campeonato mineiro vai voltar, não existe a menor chance de ele ser encerrado sem final.
 
E como tem sido a conversa com os clubes? O que eles pensam sobre o retorno do estadual?
Os clubes entenderam e concordam que a gente precisa suspender o campeonato temporariamente. Mas tem muita coisa envolvida além do título. Tem vaga em Copa do Brasil, vaga na série D e rebaixamento. Não existe a possibilidade de a gente encerrar o campeonato. Ele vai terminar assim que o retorno for possível e devidamente autorizado pelas autoridades de saúde pública.
 
Além desta interlocução citada, existe também um diálogo com atletas?
A Federação Mineira de Futebol conversa com clubes que são filiados. A gente tem tido algumas conversas com o Sindicato dos Atletas, mas nada muito aprofundado. Nossa conversa acontece assim até porque a relação trabalhista extrapola a competência da federação. A gente conversa com os clubes e é claro que não vamos fazer nada para expor os atletas. Mas, não tenho dúvidas de que eles também estão ansiosos para o retorno com segurança das competições, até para evitar uma possível redução de salário ou não pagamentos.
 
A troca de ministros no ministério pode influenciar nas aglomerações nos estádios mineiros?
O próprio Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a decisão sobre a flexibilização da quarentena é dos estados e municípios. Então estamos em contato com o governo de Minas, secretaria de saúde, tentando fechar um protocolo e um calendário para o retorno das atividades depois das competições com os portões fechados.
 
Existe a previsão de uma nova reunião com os clubes para uma nova definição sobre a continuidade do estadual em Minas?
Nós temos mantido contato diário com clubes. Reunião nós só vamos fazer quando tivermos um prognóstico de data. Aí vamos sentar e definir as estratégias, mas por enquanto os contatos são individualizados.
 
A FMF tem ajudado de alguma maneira os árbitros? Existe algum tipo de auxílio financeiro para a categoria?
A comissão de arbitragem liderada pelo Juliano Lopes tem acompanhado o caso, conversando com árbitros. O que for possível fazer, a federação vai fazer. É importante lembrar que a federação também foi muito impactada com a paralisação dos campeonatos, tivemos uma grande diminuição de receitas. Estamos vivendo um momento muito complicado, mas o que estiver ao nosso alcance vamos fazer.
 
Qual é o impacto de tudo isso nas categorias de base dos times de Minas?
Da mesma forma que os profissionais, continuamos sem previsão. As categorias de base nos trazem um pouco mais de preocupação por se tratar de crianças e adolescentes. Não existe nada definido sobre previsão, muito menos sobre se vai ter ou não. O fato é que eles estão mantidos desde que a gente consiga fazer com segurança e autorização dos órgãos de saúde. Como eles ainda não começaram, nossa ideia é ir analisando sem pressa, sem afobação. Quando houver a liberação, chamamos os clubes, fazemos um novo conselho técnico e aí redefinimos a base dos campeonatos.
 
Qual é o tamanho do prejuízo para a FMF? Como isso impacta no futebol mineiro, principalmente para os próximos anos?
Eu acho que o coronavírus afetou o mundo todo em todas as áreas. Eu acho que a vida não vai ser a mesma após a pandemia, então todo mundo tem que se readaptar em todas as áreas de todas as formas possíveis. Nós não temos como saber o que vai acontecer com patrocínios, receitas. Só o futuro vai dizer, mas que muita coisa vai mudar eu não tenho dúvidas.














 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »