29/02/2020 às 08h01min - Atualizada em 29/02/2020 às 10h56min

Das festas a filmes do Oscar, fotógrafos de Uberlândia se destacam

Quem vê a foto pronta não imagina o que acontece antes do “click”; conheça as histórias de profissionais da cidade

BRUNA MERLIN
Foto publicada pela National Geographic pela uberlandense Bettina Ávila | Foto: Divulgação
Câmera, flash, foco, tripé e um lugar bonito para o registro. Tudo pronto para o fotógrafo contar histórias que serão reveladas ou postadas nas redes sociais. O profissional, que tem o objetivo de ressaltar as emoções das pessoas que estampam a fotografia, coleciona momentos e memórias de cada ensaio que ficarão enraizadas para sempre em sua história profissional e pessoal.

Histórias engraçadas, inusitadas, únicas e até mesmo de perrengues fazem parte da vida dos fotógrafos. Eles, que são coadjuvantes dos acontecimentos pessoais de milhares de pessoas, buscam transformar a fotografia em algo emocionante e memorável para os clientes em seus eventos mais marcantes como casamento, nascimento do filho e aniversários. Mas, quem vê a foto pronta não imagina tudo o que pode ter acontecido antes do “click”.

Danilo Ribeiro Cascão tem 33 anos e trabalha há 18 anos com fotografias em Uberlândia. Hoje,  se dedica a noivados e casamentos, e acredita que esse momento é um dos que mais transmite sentimento e felicidade nos retratos.

 
“Às vezes, eu sou um dos primeiros profissionais que os noivos visitam e sempre me contam como pretendem o casamento. Quando eu vejo tudo aquilo que foi idealizado sendo realizado é muito bom e bonito”, comentou.

Cascão tem uma bagagem enorme de histórias para contar. Segundo ele, as sessões que ficarão para sempre marcadas em sua memória são as de viagens em que conheceu novos lugares e estratégias para tirar as fotos. “Sou muito aventureiro. Uma vez fui para o México tirar fotos de noivos e fizemos debaixo d’água. Foi uma experiência nova e que com certeza quero repetir”, disse o fotógrafo.

Chuva que poderia atrapalhar a foto inspirou Danilo Cascão | Foto: Divulgação

Danilo também conhece bem a frase “há males que vem para o bem”. Um ensaio, marcado para acontecer em um campo da região, quase foi cancelado devido à chuva que caiu durante todo o dia. Com persistência e equipamentos de iluminação, ele conseguiu fazer uma das fotos que mais sente orgulho e que deixa à mostra em um grande painel no seu escritório. Ele conta que todos pensam que a foto foi alterada no photoshop com montagens, mas foi apenas um jogo de cintura do profissional.

Infelizmente, histórias tristes também marcam a vida de Cascão. A principal aconteceu durante uma sessão de fotografia em uma cachoeira de Rio Claro. O profissional e os noivos foram abordados por criminosos que roubaram todos os equipamentos, alianças, carro dos clientes e outros materiais pessoais. O fato ocorreu há quatro anos e até hoje causa uma sensação de insegurança no fotógrafo.

A Jéssica Martins Casasanta, de 29 anos, sempre se interessou pela profissão e decidiu investir na carreira há cerca de um ano, e hoje trabalha com fotos infantis e familiares em Uberlândia. Ela já foi professora e diz que sempre teve afinidade com crianças.

 
“Eu sempre registrei cada momento dos meus filhos e quis proporcionar isso para outras pessoas para que elas guardassem o crescimento dos seus filhos para sempre”, explicou a jovem.

Apesar da paixão, Jéssica afirma que não é fácil lidar com crianças e é necessário ter uma dose a mais de paciência. “Você tá lidando com o ser mais importante de outra pessoa, então é importante estudar e se preparar principalmente para os ensaios newborn. Quando os bebês começam a engatinhar ou caminhar também não é fácil. Eles não querem ficar quietos e a sessão pode demorar mais do que esperamos, mas tudo isso compensa no final. O resultado é satisfatório”.

Durante a entrevista, a fotógrafa lembrou de um episódio em que as crianças deveriam brincar com o bolo, mas acabou não dando certo. Disse que o pai investiu em todo o cenário e nos bolos, mas os bebês ficaram assustados e com gastura da consistência do alimento. “Tentamos fazer de tudo para que desse certo, mas elas choraram e desistimos. Dias depois conseguimos planejar um novo cenário e fizemos o ensaio delas”, disse Jéssica.


Durante ensaio de Jéssica Martins, crianças não quiseram brincar com o bolo | Foto: Divulgação

Além de histórias engraçadas e assustadoras, os fotógrafos têm a oportunidade de conhecer trajetórias únicas e inspiradoras das pessoas que buscam seus serviços. Foi o caso do José Justino Neto, de 27 anos, que fotografou um caso de barriga solidária em Uberlândia. O fotógrafo, que é especializado em fotografias familiares, participou de um dos momentos mais emocionantes do casal Thais Marina Soares e Leandro Junior de Carvalho. Na época, a mãe de Thais, Tereza Aparecida Soares, estava gerando o filho deles em sua barriga após a filha ter um câncer no colo do útero.
 
“Quando marquei uma reunião com eles eu me apaixonei pela família. Conheci primeiro o casal e depois a senhora Teresa. Eu chamo ela de ‘a modelo mais linda que já tive’. Foi lindo e único. Eu tinha que conseguir colocar um sentimento muito particular no registro daquela gestação e foi muito desafiador, mas ver a satisfação no rosto deles não tem nada melhor”, enfatizou Neto.
 
 

José Neto registrou momento especial de barriga solidária | Foto: Divulgação


De Uberlândia para o mundo
Fotógrafa conquista espaço em revistas internacionais e em filmes do Oscar


Com apenas 26 anos, Bettina Ávila do Nascimento, natural de Uberlândia, já conquistou o mundo com suas fotografias e coleciona muitas memórias sobre sua carreira. Ela se formou em cinematografia na New York University há dois anos e desde os 7 anos de idade é apaixonada pela área.



Quintal da casa dos pais de Betiina em Uberlândia vira cenário para foto divulgada na Photo Vogue Italia | Foto: Divulgação

Bettina tem algumas fotos publicadas pela National Geographic de paisagens e animais. Em um dos trabalhos, ela quis registrar o momento em que pessoas estão atravessando a rua, mas não foi tão simples quanto parece. “A foto parece ser improvisada em um momento bonito mas eu fiquei quase uma hora correndo para o meio da rua e tirando fotos toda vez que o sinal fechava até conseguir uma que eu gostei. As pessoas no comércio em volta acharam que eu era doida”, contou.

A plataforma Photo Vogue Italia também escolheu algumas fotografias da jovem para serem divulgadas pelo mundo. Segundo ela, oito fotos foram escolhidas e todas elas são bem diferentes. Apesar dos resultados impressionantes, os perrengues não podem ser esquecidos.

 
“Uma em especial eu tirei da minha irmã em um lote abandonado perto da casa dos meus pais em Uberlândia. A foto parece ser glamorosa e tal, mas na verdade a gente estava num mato esquisito levando mil picadas de mosquitos e aranhas”, conta.

A cineasta também já trabalhou como assistente do departamento de direção de filmes que concorreram ao Oscar neste ano como “O Irlandês”, “História de um Casamento” e “Vingadores”. Bettina coordenou os horários dos atores com maquiadores e cabeleireiros para que nenhum segundo de preparação e filmagem fosse desperdiçado, mas teve que manter o profissionalismo para lidar com tantos nomes grandes da indústria cinematográfica.

“Com certeza sou fã de muitos atores que conheci, mas não podia nem cogitar isso durante os processos de filmagem dos filmes. Tive que manter o profissionalismo para poder continuar trabalhando no set, mas foi uma experiência maravilhosa”, finalizou Bettina.












 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »