22/02/2020 às 08h00min - Atualizada em 22/02/2020 às 08h00min

Você sabe o que são Fintechs?

MATHEUS BERTOLUCI – AGÊNCIA SINNAPSE
PUBLIEDITORIAL

O sistema financeiro está cada vez mais moderno e atualizado. Resultado disso é a facilidade de resolver burocracias bancárias pelo celular, fazer transferências, pagamentos e até mesmo pegar um empréstimo sem precisar sair de casa.

Tudo isso só é possível graças às Fintechs. Se você nunca ouviu falar neste termo ou já ouviu falar, mas não faz ideia do que é nós trouxemos algumas informações que podem ser importantes para entender o conceito, quais os tipos e como elas atuam no mercado financeiro para facilitar o dia a dia das pessoas.

O que são Fintechs?
O termo vem da junção de duas palavras em inglês – Financial (Financeiro) Technology (Tecnologia). Isso basicamente sugere que são empresas de tecnologia que trabalham a serviço de melhorar o sistema financeiro.

Para melhorar estes serviços por meio da tecnologia, estas empresas ou startups buscam otimizar os processos e reduzir custos colocando todas suas operações online. 

Graças à tecnologia não há a necessidade de espaços físicos como os bancos tradicionais. Além disso, o atendimento é personalizado e rápido, sem filas e com soluções criativas jamais pensadas pelos grandes bancos.

Como resultado disso, as Fintechs conquistaram clientes ao repassar toda essa redução de custo aos seus usuários, zerando ou reduzindo drasticamente as taxas abusivas antes oferecidas no mercado.

Quais os tipos de Fintechs existentes? 
As Fintechs se organizam de forma a oferecer somente um serviço de forma absolutamente especializada. A ideia não é querer ser um banco, e sim resolver todos os problemas que um banco tem.

Sendo assim, cada uma fica responsável por oferecer um dos serviços que o banco oferece, mas com qualidade e exclusividade, sem se “atropelar” querendo oferecer produtos que não são atrativos para seus clientes.

Com isso, veja abaixo quais são os tipos de Fintechs mais comuns e os seus principais segmentos de atuação. 

Fintechs de pagamentos 
Estas empresas buscam soluções de pagamentos que podem ajudar o empreendedor. O foco é oferecer formas diferentes de recebimento, taxas menores e atendimento personalizado. Exemplos desses tipos de fintechs são: PicPay, Stone, Mercado Pago e PagSeguro.

Nestas Fintechs também estão inclusas as empresas de conta digital, que possibilitam a transferência de recursos, pagamento de contas, cartão de crédito e débito. Um exemplo famoso é o Nubank.

Fintechs de Gestão Financeira
Estas são plataformas que ajudam pessoas a organizar suas contas. Por meio de aplicativos, é possível gerenciar gastos, fazer projeções, verificar a situação do CPF perante aos órgãos de proteção de crédito e muito mais. Exemplos são: GuiaBolso, Minhas Economias, Quanto Gastei e Vai Sobrar!.

Fintechs de Empréstimo e Negociação de dívidas 
São empresas que utilizam formas de empréstimos mais flexíveis para pessoas negativadas ou não. Geralmente são empréstimos com alguma garantia, como casa ou carro. Exemplos de fintechs assim são: Creditas, Geru e Easy Crédito.

Fintechs de Investimentos 
Estas Fintechs buscam encurtar o caminho entre o cliente e seus investimentos, oferecendo dicas para cada perfil e utilizando seus algoritmos para detectar os melhores investimentos para seus clientes. Orama, Vérios e Warren são alguns exemplos desse segmento de fintechs. 

Como as Fintechs atuam no mercado financeiro atual?
Basicamente, estas empresas buscam formas de otimizar os processos e aproximar seus clientes de soluções criativas e de baixo custo para cuidarem melhor do seu dinheiro.

Elas possuem operações online, sem a necessidade de agências e atendimento físico, podendo o cliente fazer tudo que precisa pelo celular, conversar com um consultor por meio de chat e resolver seus problemas a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana.

Para que essas grandes operações funcionem online, a empresa possui um time preparado que trabalha em um só escritório e se engaja com os seus clientes por meio da internet.

Nestes casos, elas precisam investir em bons equipamentos e ótimos serviços de hospedagem de sites para ter os seus canais sempre disponíveis e online, visto que nas redes sociais elas só operam as ações de marketing, propaganda e, em algumas vezes, atendimentos.

Seus maiores investimentos podem ser em servidores e recursos avançados de segurança. Como tudo é feito online, elas têm que cuidar para não deixar vazar os dados de seus clientes e não “sair do ar” em caso de muitos acessos.

Atualmente, milhares de pessoas utilizam os serviços de alguma Fintech. Por isso, elas precisam estar preparadas para receberem acessos diários de um grande número de pessoas.

Conclusão 
Estas são empresas que vieram para ficar e fazer muito sucesso. A busca e a oferta de melhores condições para clientes são verdadeiros diferenciais, de modo a começar a incomodar os grandes bancos.

A evolução no uso das Fintechs já fazem com que estes grandes bancos comecem a se reinventar para não perder clientes. Antigamente eles não viam competição, mas sempre chega a hora que alguém encontra um jeito melhor de fazer as coisas.

Outro grande ponto a favor das Fintechs é a redução dos custos. Repassar esta redução aos clientes fez com que muitas Fintechs alcançassem um número altíssimo de usuários em pouco tempo. 

Cuidar bem do dinheiro de alguém traz uma melhor imagem do que sujeitar um cliente a filas enormes, taxas absurdas e soluções antigas.

Você utiliza os serviços de alguma Fintech? Em sua opinião qual a melhor empresa deste setor atualmente? Deixe o seu comentário que ficaremos felizes em interagir com você!

*Essa publicação é de responsabilidade do anunciante e não representa necessariamente a opinião do Diário de Uberlândia.




 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »