07/12/2019 às 12h06min - Atualizada em 07/12/2019 às 12h06min

Correios de Uberlândia receberam 3,3 mil cartinhas de Natal

Presentes devem ser entregues na sede da unidade até a segunda-feira (9)

SÍLVIO AZEVEDO
Presentes pedidos nas cartinhas são entregues nos Correios, que farão a distribuição na próxima quinta-feira (7) | Foto: Arquivo pessoal
A campanha Papai Noel dos Correios chega à sua 30ª edição e, esse ano, cerca de 3,3 mil alunos carentes de escolas públicas de Uberlândia escreveram cartas para o “Bom velhinho” contando o que gostariam de ganhar de Natal. As cartas foram entregues aos Correios e foram repassadas aos padrinhos e madrinhas que quiseram ajudar. 

O prazo final para a entrega dos presentes nos Correios se encerrava ontem (6), mas acordo com a gerente regional da unidade, Vanessa Cristina, foi estendido para segunda-feira (9), porque cerca de 1,5 mil presentes ainda não foram entregues pelos padrinhos e madrinhas. “A gente viu que ainda tem muito presente para ser entregue, aumentamos o prazo para até segunda-feira. Aí teremos terça e quarta para fazer toda a logística de cadastrar no sistema, gerar as etiquetas e sair tudo daqui na quinta para sexta as escolas entregarem para as crianças”.

A escolha das crianças que receberão um presente foi feita a partir do mês de setembro, com a identificação das escolas. Como não é possível atender a todas, sempre há um rodízio das escolas para que mais alunos sejam beneficiados.

“A prioridade é de escolas em bairros em situação de vulnerabilidade para atingir aquela família que não tem condições. Selecionamos as escolas. Depois faz o lançamento do projeto em uma escola e disponibiliza as cartas para adoção”, disse Vanessa Cristina.

A entrega dos presentes é gradual, mas segundo a gerente, é preciso que a escola tenha um local para armazenar tudo até o dia da entrega, que é uma festa. Todo o processo mexe com o emocional dos envolvidos. 

“O projeto é um período de emoção. Quando a gente vai lançar o projeto e aqueles meninos veem o Papai Noel chegando. Estar aqui [na agência] e ver uma pessoa chegando aqui com uma bicicleta... Eu queria estar lá na hora de entregar para ver a emoção e a felicidade dessa criança recebendo a bicicleta”, afirmou Vanessa.

G
erente regional da unidade, Vanessa Cristina, disse que cerca de 1,5 mil presentes ainda não foram entregues pelos padrinhos e madrinhas | Foto: Sílvio Azevedo


Padrinhos de coração
Ontem à tarde, o vigilante Vitalino da Costa Neto esteve na agência dos Correios para entregar os presentes pelo sexto ano consecutivo. Segundo ele, é importante colaborar com um Natal mais feliz para as crianças carentes. “Hoje eu tenho uma condição melhor que antes não tinha e acho interessante partilhar com alguém. Todo ano pego umas cinco cartinhas que eu tenho condição de atender. Quando criança, teve Natal que eu não ganhava presente. Perdi meu pai novo e hoje, como tenho uma condição melhor, acho legal poder ajudar a fazer a diferença no Natal de alguém”.

A advogada Sthefanie Ferreira organiza uma ação com amigos para a compra de presentes. Todo ano ela busca uma média de 50 cartinhas e convida os conhecidos para ajudar. “Todo ano, desde 2013 vou buscar essas cartinhas e redistribuo. Eu crio um grupo de amigos, vou solicitando, ligando, postando e quase forçando as pessoas a comprar os presentes”, conta.

Na hora de buscar os presentes, o sentimento da advogada é de muita felicidade por ter a oportunidade de ajudar crianças que, muitas vezes, não podem ganhar uma lembrança de Natal. “Eu já fico feliz pra caramba quando vou buscar os presentes. Eu fico imaginando essas crianças, que lendo as cartinhas você percebe que os pais não têm condições de dar presentes de R$ 20, dá até um frio na barriga de imaginar”.



 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »