18/11/2019 às 14h54min - Atualizada em 18/11/2019 às 14h54min

Bairro São Jorge tem o nome inspirado na sede do Corinthians

PUBLIEDITORIAL

Para agradar a torcida corintiana em Uberlândia,  o bairro São Jorge recebeu este nome em uma alusão à sede social do Sport Club Corinthians Paulista, o Parque São Jorge. E quem acha que isso é coisa de torcedor fanático, se engana. A ideia partiu de um vascaíno, apaixonado pelo Uberlândia Esporte Clube (UEC), nascido na vizinha Araguari, e que desde menino estipulou metas para alcançar seus sonhos, desde a compra de uma bicicleta usada, até criar loteamentos e clubes aquáticos. Se trata de Odomires Mendes de Paula.
 

Em parceria com o amigo e advogado já falecido, Antônio Tannus, dono da Fazenda Campo Alegre, de 28 alqueires, Odomires de Paula, proprietário da loteadora Paula Tavares, criou a primeira e segunda etapas do bairro da zona sul, o que hoje chamamos de São Jorge I e São Jorge II, ambos lançados em 27 de janeiro de 1983, e que depois se estenderam até o São Jorge V, mas encabeçados por outras empresas. “O Toninho Tannus entrou com a terra e a gente com a infraestrutura, a aprovação, a venda e a escrituração. Todos os 2.800 lotes do São Jorge I e II têm minha assinatura”, contou Odomires de Paula.
 

O empresário conta que, na época, a maior torcida da cidade era a do Corinthians e, por isso, ele teve a ideia de colocar o nome do bairro de Parque São Jorge, como foi registrado, mas com o tempo, a população acabou resumindo para São Jorge. “Eu torço para o Vasco e minha esposa é flamenguista roxa, mas meu time de coração é o Uberlândia Esporte Clube”, contou o empresário que doou toda a área e construiu a Vila Olímpica, sede do Verdão.

Tudo ia bem com a comercialização dos lotes do São Jorge, até que, em 1986, o ex-presidente José Sarney instituiu a tablita, um nome popular dado a tabela resultante do congelamento dos preços, uma das medidas instituídas pelo fracassado Plano Cruzado. 

“Eu já tinha vendido cerca de 2 mil  dos 2.800 lotes em cruzeiros, na moeda antiga, divididos em 60 vezes. A tablita diminuía o valor da prestação a cada mês e chegou em um ponto que a pessoa chegava aqui e pagava 20 prestações de uma vez. Essas 2 mil famílias pagaram cerca de 10% do valor do imóvel. Foi um prejuízo imenso para a Paula Tavares, mas a gente cumpriu a lei. Até hoje, muitas pessoas vêm me agradecer por ter hoje uma casa, mas eles precisam agradecer é o Sarney”, brincou Odomires, ainda responsável pela criação do loteamento Morada dos Pássaros, Quinta do Bosque, Morada Nova 7 e 8 e o Tangará Country Clube, entre outros, em um total de 15 mil imóveis vendidos.

Só em janeiro de 1983 quando o São Jorge foi criado, segundo o livro “Das Sesmarias ao Polo Urbano”, do advogado e historiador Oscar Virgílio, nove outros loteamentos foram lançados em Uberlândia, como o Granada, o Jardim Patrícia e o bairro Santo Inácio, este feito pela ITV Urbanismo, a loteadora de 82 anos com mais tempo em atividade no Brasil e que traz essa série aos domingos para o Diário de Uberlândia, com a história dos bairros da zona sul, como o TubalinaVigilato PereiraCidade Jardim e Jardim Karaíba



* Esta publicação é de responsabilidade do anunciante e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »