01/11/2019 às 16h44min - Atualizada em 01/11/2019 às 16h44min

Supermercadistas mineiros projetam fechar 2019 com até 4% de alta

Setor está confiante com período de festas e mudança de rumo da economia

SÍLVIO AZEVEDO
Antônio Claret diz que alguns produtos estão voltando à mesa do consumidor | Foto: Divulgação
Final do ano é sempre um período de crescimento em diversos segmentos de mercado devido às festas de Natal e Réveillon. O setor supermercadista é um dos que estão otimistas com o aumento das vendas, principalmente por causa do consumo de produtos típicos do período, como as comidas e bebidas.

Segundo a Associação Mineira de Supermercados (Amis), a expectativa é de crescimento de 4% no ano. Para alcançar esse número o superintendente da entidade, Antônio Claret, aposta numa mudança nos rumos da economia após a reforma da Previdência, principalmente nos meses de novembro e dezembro para chegar nesse percentual, ou bem próximo dele.

“A gente trabalha com uma previsão de crescimento de 4% ao longo do ano e, até setembro, estamos com acumulado de 3,2%. Em setembro tivemos desempenho pior que agosto, mas dentro da normalidade devido ao número de dias úteis, sábados, e uma series de variáveis que interferem no termômetro”.

Dentro do mix de produtos que deverão puxar os números para cima estão o panetone, que tem crescimento esperado de 10% em relação a 2018, vinhos, com aumento de 7%, incluindo nacionais e importados, e as cervejas, com 8%.

O consumo de aves também tem expectativa de crescimento de 6%, com exceção do peru. As carnes típicas, como lombo e pernil, têm projeção de um desempenho de 10% maior.

“Percebemos que o consumidor está cada vez menos fiel à marca, à empresa. E que alguns produtos, que no auge da crise foram tirados da mesa do consumidor, estão voltando a fazer parte do plano de compras. Começa a caminhar no sentimento de crescimento”, explicou Antônio Claret.

Ainda de acordo com o superintendente da Amis, mais 70 lojas deverão ser abertas no estado este ano, gerando novos 7,3 mil empregos. Para 2020, Claret afirmou que não há projeção, pois devem esperar a definição das reformas da Previdência e tributária, mas que a expectativa é que seja um ano muito bom para o setor.

“Para 2020 a expectativa é positiva, mas ainda não traçamos o que a gente deve caminhar para alcançarmos um saldo melhor. Precisamos esperar um pouco para ver se a economia continua numa ascendente e se os empregos continuam melhorando para que a gente faça uma projeção”.
 
GERAÇÃO DE EMPREGOS
Com o aumento na demanda de produtos, os empresários acabam tendo que aumentar também o quadro de funcionários. Com isso, surgem novas vagas para temporários nos supermercados. Segundo a Amis, 40,6% das redes pesquisadas vão contratar colaboradores temporários para reforçar o atendimento no Natal.

“Expectativa é que o setor tenha pelo menos 3,5 mil vagas disponibilizadas em função do Natal. Isso os supermercados, sem considerar se determinados fornecedores vão contratar ou não. Ano passado foram 3,3 mil [contratações] e esse ano trabalhamos com esse número maior”, disse Antônio Claret.

As funções mais comuns oferecidas para profissionais temporários são para atendimento, embaladores, operadores de caixa, repositores e para os setores de açougue e padaria. Pela indústria são, em maioria, promotores de venda e repositores. Após o período, aproximadamente 15% desses temporários são contratados de forma definitiva.














 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »