18/09/2019 às 18h54min - Atualizada em 18/09/2019 às 19h21min

​Jovens que espancaram taxista após festa são absolvidos em Uberlândia

Crime ocorreu em dezembro do ano passado na saída de uma festa na Arena Race

CAROLINE ALEIXO
Júri popular foi realizado na tarde desta quarta-feira (18) no Fórum de Uberlândia | Foto: Diário de Uberlândia
Os dois jovens acusados pela tentativa de homicídio do taxista espancado após festa na Arena Race, em dezembro do ano passado, foram absolvidos pela Justiça. O julgamento ocorreu na tarde desta quarta-feira (18) na sala do júri no Fórum de Uberlândia. 

Os réus Danilo Henrique Fernandes e Alexandre Ferreira Julião estavam presos há nove meses aguardando o julgamento. Imagens das agressões, que circularam pelas redes sociais, ajudaram a polícia a identificar os dois, além de um adolescente de 14 anos, como autores do crime. O menor ainda responde pelo crime em outro processo. 

Eles haviam sido denunciados por tentativa de homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e por dificultar a defesa da vítima, uma vez que as agressões foram praticadas por três pessoas. 

A partir dos argumentos apresentados pela defesa, o júri popular desqualificou o crime como tentativa de homicídio e considerou como lesão corporal. “Com a sentença desclassificatória por crime de lesão corporal, esse crime precisava da anuência da vítima, o que não foi feito dentro do prazo legal de seis meses. Por isso houve absolvição”, comentou o advogado Marcelo Vieira Maciel.

A desclassificação do crime de tentativa de homicídio ocorreu por quatro votos a três. A sessão do júri durou cerca de cinco horas e, com a absolvição, os dois seguem para o presídio Professor Jacy de Assis para aguardar o cumprimento do alvará de soltura. 

O crime
As agressões ocorreram ao lado de fora do espaço de eventos, que fica na MG-455, saída de Uberlândia para Campo Florido, quando o taxista Nilson Aparecido Ramirez levava os passageiros para o bairro Jardim das Palmeiras.  

Segundo a denúncia, os denunciados junto a outras três pessoas que estavam no veículo, pediram para que o taxista parasse para que o menor e uma sétima pessoa pudessem entrar. Ele se recusou a levar mais de cinco passageiros e interrompeu a corrida, pedindo para que todos descessem. Essa teria sido a motivação da discussão. 

A vítima foi jogada no chão pelos autores e sofreu chutes e socos várias vezes, inclusive na região da cabeça. Ela foi socorrida e levada para uma Unidade de Atendimento Integrado (UAI). 

A Polícia Militar (PM) conseguiu deter os suspeitos no mesmo dia. Na ocasião, informou que os três detidos já tinham passagens por vários crimes como roubo e tráfico de drogas. 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »