18/09/2019 às 08h00min - Atualizada em 18/09/2019 às 08h00min

Emoções permeiam a sétima arte

Projetos e iniciativas em Uberlândia exibem filmes de qualidade que estão fora do circuito mainstream

ADREANA OLIVEIRA COM FOLHAPRESS
“Tons de Cora”, produção de 2014, conta a história da pianista que dá nome ao Conservatório Estadual da cidade | Foto: Close Comunicação/Divulgação

Mesmo que você não seja um entusiasta das artes, mas está ligado nos noticiários seja lá em que mídia for, já sabe que não passamos por um bom momento para o audiovisual brasileiro. O vencedor do Festival de Gramado deste ano, por exemplo, “Pacarrete" foi um dos filmes prejudicados pela decisão da Agência Nacional do Cinema (Ancine) de suspender provisoriamente seu programa de apoio a produções brasileiras em eventos internacionais.

O filme, dirigido por Allan Deberton -produtor de uma das séries de um edital de TVs públicas censurado pelo governo no final de agosto - teve o pedido de apoio para ser exibido no Festival de Bogotá, na Colômbia, negado.

Publicada no último dia 10 e tomada pelos únicos dois membros remanescentes na diretoria do órgão após o afastamento de Christian de Castro da presidência - o que a torna "ad referendum", isto é, sujeita a uma aprovação colegiada posterior-, a decisão é parte de uma deliberação que dita a prioridade do pagamento da contribuição anual ao Ibermedia, programa de estímulo à promoção e à distribuição de filmes Ibero-americanos.

Cineastas responsáveis por outras cinco produções, entre curtas e longas-metragens, dizem ter sido lesados pela decisão da diretoria. Isso porque, tendo tido seus pedidos de apoio aprovados pela Ancine, compraram passagens aéreas para os respectivos festivais de que participariam. Só depois receberam o aviso de suspensão do programa.

Muitos destes cineastas acrescentam ainda que os bilhetes aéreos são low-cost, ou seja, não podem ser transferidos ou reembolsados em seu preço integral. Os valores dos apoios concedidos pela Ancine giravam em torno dos R$ 4.000.

Além de sucessivas tentativas de controle por parte do presidente Jair Bolsonaro, que anunciou a mudança do órgão do Rio para Brasília e defende a implementação de "filtros" de conteúdo às produções nacionais, há duas semanas o diretor Christian de Castro foi afastado e acusado de um conluio para manchar a imagem dos outros membros da diretoria. Em mais uma ofensiva contra a Ancine, Bolsonaro (PSL) decidiu atacar a principal fonte de fomento de produções audiovisuais no país.

O projeto de lei apresentado ao Poder Legislativo prevê, em 2020, um corte de quase 43% do orçamento do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), para R$ 415,3 milhões. É a menor cotação nominal para o fundo desde 2012, quando ele recebeu R$ 112,36 milhões.

CINE DOC DEBATE
Não alheios a este cenário, projetos e iniciativas como o “Cine Doc Debate”, que estreia nesta quarta (18), e o “Cine Sesc”, que será retomado quinta (19), em Uberlândia, trazem produções que, mesmo fora do circuito mainstream, chegam permeadas por emoção, sensibilidade e belas histórias. Dessa forma, essas iniciativas levam, de forma gratuita, o cinema para quem quiser assistir e principalmente discutir como o audiovisual é importante no registro de nossos tempos e nossas histórias.

Na primeira edição do “Cine Doc Debate” será exibido, às 19h, no auditório 5O-A, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), no campus Santa Mônica, o documentário “Tons de Cora” (2014). É uma chance e tanto para conhecer um pouco mais da história da pianista e musicista Cora Pavan Capparelli, uberlandense que dá nome ao Conservatório Estadual de Música da cidade. Aos 93 anos, ela é parte viva da história da música em Uberlândia.

Com produção e direção de Nara Sbreebow o longa apresenta trechos da intérprete, chamada carinhosamente por Dona Cora, que deixa o interior de Minas Gerais para perseguir seus sonhos. Logo depois da exibição haverá um bate-papo com a diretora sobre produção, pesquisa, roteiro, montagem, realidade e ficção em documentários.

Apesar de exibido em ambiente universitário, o projeto é aberto a toda a população e tem até emissão de certificado. O projeto será realizado nas noites de quartas-feiras, sem periodicidade definida tem na coordenação professores do curso de jornalismo da UFU Fernanda Torquato, Vanessa Matos e Reinaldo Maximiano com participação dos alunos Sara Camelo e Gabriel Caixeta.

O objetivo principal é proporcionar mais um espaço de discussão sobre documentários no curso de Jornalismo da UFU e colocar em contato estudantes e profissionais do mercado, estreitando essa relação. A seleção das obras a serem exibidas foi feita priorizando diretores ou produtores que moram em Uberlândia ou têm alguma relação com a cidade.

CINE SESC
Já o Cine Sesc retorna às atividades na quinta-feira (19) também com produções locais para valorizar e consolidar o circuito audiovisual de Uberlândia. Com entrada franca, a atração investe na formação de público de arte.

As exibições acontecerão quinzenalmente até novembro e serão seguidas de conversas com diretores, produtores, atores e especialistas nas temáticas em questão. Na sessão inaugural desse mês, o tema será saúde mental, chamando atenção para o Setembro Amarelo e reflexões poética sobre as dinâmicas dos afetos no mundo contemporâneo e para as relações que mantemos com os outros e com nós mesmos.

Os espectadores poderão conferir “Dor Invisível” (2018), com direção de Lucas Orsine, e “Pedras, Plantas e Outros Caminhos (2013), dirigido por Rodrigo Sivieri e Coletivo de AT’s. Os debatedores serão Orsine, Thaís Velloso Frauendorf, do casting de “Pedras, Plantas e Outros Caminhos” e Amaury Martins, psicanalista especializado em questões étnico-raciais.
As próximas sessões vão abordar: História, Memória e Identidades em Uberlândia, Negritudes em Foco, Meio Ambiente e Mostra Infantil.

SERVIÇO 1
O QUE: “Tons de Cora” no “Cine Doc Debate”
QUANDO: quarta-feira (18), às 19h
LOCAL: Auditório 5O-A do campus Santa Mônica da UFU
DIRETORA CONVIDADA: Nara Sbreebow
ENTRADA FRANCA
CLASSIFICAÇÃO: livre

SERVIÇO 2
O QUE: “Dor Invisível” e “Pedras, Plantas e Outros Caminhos” no Cine Sesc
QUANDO: quinta-feira (19), às 19h
LOCAL: Sesc Uberlândia (R. Benjamin Constant, 844, Aparecida)
ENTRADA FRANCA
CLASSIFICAÇÃO: livre
INFORMAÇÕES: 3304-1215

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »