12/09/2019 às 13h52min - Atualizada em 12/09/2019 às 15h06min

Homem é preso e confessa ter matado morador de rua por espancamento em Uberlândia

Fato ocorreu na madrugada desta quinta-feira (12); vítima de 74 anos foi atingida por chutes e pedradas

VINÍCIUS LEMOS
Autor foi encontrado pelos militares na rua Roberto Margonari também no bairro Luizote | Foto: Divulgação
A Polícia Militar (PM) prendeu o suspeito de ter matado um morador de rua de 74 anos a chutes e pedradas, na madrugada desta quinta-feira (12), no bairro Luizote de Freitas, zona oeste de Uberlândia. A prisão aconteceu horas depois dos policias terem sido avisados do crime. Já detido, o suspeito admitiu à reportagem que cometeu o homicídio.

William Cardoso Rocha, de 23 anos, foi encontrado pelos militares na rua Roberto Margonari, também no bairro Luizote, quando ia para a casa da avó. Ele não reagiu à abordagem dos policiais, que o identificaram por meio de imagens de câmeras de segurança de lojas no local do assassinato.

A vítima, Tarcísio Pereira de Almeida, dormia debaixo de uma marquise na avenida José Fonseca e Silva e, como é possível verificar nas imagens colhidas, não esboçou reação ao ataque de William Rocha, perto das 2h30 desta quinta. Ele chegou correndo ao local e sem motivo aparente chutou e deu pisões no idoso deitado. Posteriormente ele usa uma pedra para golpear a vítima.

Tarcísio Almeida chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, após às 5h, quando pessoas que passavam pelo local viram o homem ferido. Ele foi levado para a Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do Luizote, onde acabou morrendo.

No início da manhã, após a confirmação do óbito por agressão, a PM foi acionada por profissionais da UAI. De acordo com informações de moradores do bairro, Almeida era alcóolatra. “Aparentemente ele (William Rocha) tentou acordar a vítima com chutes, para beber ou usar alguma outra substância, mas como ele não despertou, foi agredido pelo suspeito. William tinha usado crack durante a noite e depois do assassinato teria voltado a se drogar”, disse o tenente da PM, Paulo Dalla.

A motivação ainda é obscura e para a PM o suspeito afirmou que estaria fora de si no momento do assassinato. Quando chegava ao 32º Batalhão da Polícia Militar, William Rocha confirmou à reportagem que matou o homem. Com fala desconexa, ele ainda disse que havia brigado com sua esposa anteriormente, mas não deixou claro se isso teria qualquer ligação com o homicídio em si.

Familiares afirmaram aos policiais que Rocha é agressivo por causa de sua dependência química, chegando a agredir a companheira e destruir casa de familiares próximos. Ele tem cerca de 10 passagens pelo sistema policial por crimes como furto e receptação.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »