04/09/2019 às 18h39min - Atualizada em 04/09/2019 às 18h39min

Fazendinha do Camaru espera receber mais de 5 mil pessoas neste ano

Projeto criado em 2001 visa valorizar o agronegócio e a preservação ambiental; concurso de queijo ressalta trabalho de produtos da região

BRUNA MERLIN
Exposição de mini animais faz parte da Fazendinha Camaru | Foto: Bruna Merlin

Todo mundo já ouviu falar, em algum momento da vida, que as crianças e as novas gerações são o futuro do nosso planeta. Para que os próximos anos não sejam cada vez mais afetados pela poluição e desmatamento, muitas ações educacionais precisam ser feitas e Uberlândia está recebendo um exemplo disso durante a 56ª Exposição Agropecuária de Uberlândia (Camaru 2019). Entre tantas atividades e eventos que a exposição oferece ao público, uma das que se destacam é a Fazendinha Camaru.

A iniciativa tem como objetivo promover a valorização do campo e do agronegócio incentivando hábitos saudáveis por meio da preservação ambiental e integração com o meio rural. O projeto foi criado em 2001 pelo Sindicato Rural e a expectativa é de que mais de 5 mil pessoas passem pelo local neste ano. 

“Durante toda a exposição, a Fazendinha ficará disponível para visitas escolares e também para a população em geral de forma gratuita. Essa é a nossa forma de oferecer atividades educacionais voltadas para a produção rural e o meio ambiente”, explicou o presidente do sindicato Gustavo Galassi. 

Neste ano, o espaço conta com uma horta de hortaliças, exposição de mini animais, palestras e peças de teatros para divertir a criançada. Além disso, a Fazendinha também recebe uma ação do Departamento de Água e Esgoto de Uberlândia (Dmae) que visa mostrar a importância dos trabalhos de recuperação de áreas degradas. 

“Nós dividimos o espaço em dois cenários diferentes. De um lado nós temos um local desmatado e cheio de lixo. Do outro o público poderá ver uma área preservada, cheia de vida e bem cuidada. Com isso, queremos mostrar a real situação que se encontra muitas áreas verdes da cidade e região e fomentar a importância da preservação para o futuro”, ressaltou Celismas Costa, supervisor de projetos de recuperação de nascentes do Dmae. 

Ação do Dmae mostra diferença entre os espaços desmatados e bem cuidados | Foto: Bruna Merlin

Para Gustavo Galassi, o projeto ainda crescerá a cada ano com novos assuntos e temas. O presidente acredita no potencial da ação e espera que muitas pessoas possam levar para casa pelo menos um pouco do ensinamento dos profissionais que integram a Fazendinha. 

“Ela começou com uma pequena amostra de animais e foi crescendo a cada ano. Contamos com o apoio de muitas empresas que trazem diversas ações bacanas para o público. Nossa intenção é que isso se torne cada vez mais importante para a população”, finalizou Galassi. 

Plantação de hortaliças mostra importância dos hábitos saudáveis | Foto: Bruna Merlin 

VISITAÇÃO 
Alunos da Escola Municipal Professor Eurico Silva visitam o projeto nesta quarta-feira (4) | Foto: Bruna Merlin

Mais de 600 crianças de dez escolas da rede pública e privada de Uberlândia deverão passar pela Fazendinha do Camaru que fica aberta até o próximo domingo (8). Nesta quarta-feira (4), a reportagem do Diário esteve presente no espaço e conversou com a professora Mariana Silveira Pereira, da Escola Municipal Professor Eurico Silva, que levou 30 alunos para conhecer as ações. 

A professora de 27 anos acredita no potencial do projeto e acha que é uma ótima oportunidade dos alunos saírem da sala de aula e conheceram a prática do que estudam. “É bem produtivo para as aulas. Eles estão aprendendo sobre a alimentação dos animais e também sobre a escassez e poluição da água. É muito importante que eles vejam de verdade como será o futuro do nosso mundo se as coisas não melhorarem”, disse ela. 

A educadora comentou também sobre a rápida inserção das crianças na era digital o que, para ela, acaba distanciando as mesmas das experiências reais e das causas e lutas ambientais e sociais. “Muitos dos meus alunos nunca viram um animal, uma plantação e uma ação de preservação de perto. Eles ficaram muito empolgados para explorar esse mundo fora dos celulares e computadores”, finalizou a jovem. 

A visitação à Fazendinha também é aberta ao público geral de forma gratuita. O espaço, localizado no Parque de Exposições, fica aberto das 7h às 17h.  

CONCURSO DO QUEIJO 
Jurados avaliaram queijos de 11 competidores do Triângulo Mineiro | Foto: Bruna Merlin

Além de proporcionar atividades educacional, a 56ª Exposição Agropecuária de Uberlândia também acredita na valorização de produtores familiares regionais. Nesta quarta (4), aconteceu no Espaço Gastronômico do Parque de Exposições a 3ª edição do Concurso Regional do Queijo Minas Artesanal. 

O evento promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG) em parceria com o Sindicato Rural de Uberlândia tem como objetivo promover a exposição de pequenos produtores e ressaltar os produtos vendidos por eles. 

“Existem diversos produtos que não têm o reconhecimento devido. Essa é uma oportunidade de valorizar os trabalhos deles para que possam conseguir uma maior inserção no mercado e vender cada vez mais”, explicou a coordenadora do evento, Patrícia Beatriz Modesto Freitas. 

O concurso deste ano contou com 11 competidores de três cidades do Triângulo Mineiro, Uberlândia, Araguari e Monte Carmelo. Foram convocados seis jurados para pontuarem os queijos apresentados. Os produtos foram julgados de acordo com as características físicas e organolépticas, sendo elas: formato, acabamento, cor, textura, consistência, sabor e aroma. 

Essa é a terceira vez que Amanda Alves de Oliveira de 27 anos participa da competição com a sua família. A jovem, que é formada em administração, ajuda os pais na produção dos queijos e divulgação. Ela acredita que participar desses eventos ajuda cada vez mais no reconhecimento da produção da fazenda que fica em Araguari. 

“Fazemos tudo com muito amor, esse é o principal ingrediente do nosso queijo que é produzido há cinco anos. E estamos muito felizes em poder participar desse evento e representar a nossa cidade”, disse ela. 

Após os julgamentos, os jurados escolheram cinco vencedores que participarão do 12º Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal que também será realizado no Parque de Exposições de Uberlândia no dia 5 de outubro. Nesta etapa, os ganhadores irão competir com outras seis regiões do estado. 

O vencedor da etapa regional foi um casal de produtores de Monte Carmelo, donos da Fazenda Maximos Barreiro. A cidade também ficou classificada em 3º e 4ª lugar. Já o município de Uberlândia foi representado pelos 2º e 5º lugares. 

Vencedora da 
3ª edição do Concurso Regional do Queijo Minas Artesanal | Foto: Divulgação

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »