04/09/2019 às 07h41min - Atualizada em 04/09/2019 às 07h41min

Uberlandenses trazem 27 medalhas do Parapan

Prêmios foram no atletismo, no halterofilismo, na bocha e na natação

EDER SOARES
Equipe de natação do Praia conquistou 17 medalhas, sendo cinco de ouro, cinco de prata e sete de bronze | Foto: Divulgação

Os paratletas de Uberlândia retornam à cidade depois de encerrados os Jogos Paran-Americanos de Lima, no Peru, competição que teve no domingo (1º) o último dia de disputas. Ao todo, os paratletas locais conquistaram 27 medalhas, sendo oito de ouro, oito de prata e 11 de bronze. Nessa soma estão sendo computadas as conquistas de atletas da equipe de halterofilismo da CDDU/Futel; do atletismo da Aparu/Futel, e da natação do Praia Clube.

O Brasil ficou em primeiro lugar no quadro geral de medalhas ao conquistar 308 medalhas (124 ouros, 99 pratas e 85 bronzes) e obter a melhor campanha de todos os tempos em Parapan-Americanos, ultrapassando o recorde do México, que havia conquistado 307 medalhas em 1999.

As medalhas conquistadas por atletas da CDDU/Futel foram: a prata de Lara Ferreira na categoria até 41 kg do halterofilismo; a prata de Luciano Dantas na categoria de até 59 kg do halterofilismo; o bronze de Amanda Sousa na categoria até 73 kg do halterofilismo e o bronze de Rodrigo Marques na categoria combinada de 88 kg e 97 kg do halterofilismo. Também houve o bronze de Mateus Silva na categoria 107 kg do halterofilismo.

Na bocha, Uberlândia conquistou mais duas medalhas, conquistadas por Mateus Carvalho e seu calheiro Oscar Carvalho, que conseguiram o bronze na bocha individual e o ouro na bocha por equipe.

“Ficamos muito satisfeitos com os resultados de nossos atletas, sejam aqueles que conquistaram medalhas, ou os que não conquistaram, mas conseguiram competir em alto nível. Acho que o caminho está correto e a tendência é que realmente consigamos um crescimento significativo neste ciclo olímpico até o próximo ano”, disse o treinador da equipe CDDU/Futel, Weverton Santos, que também esteve em Lima como treinador da Seleção Brasileira de Halterofilismo.

Já as conquistas da equipe Aparu/Futel, no atletismo, vieram com o ouro de Mauro Evaristo de Sousa no arremesso do peso F63; ouro de Rodrigo Parreira no salto em distância; além da prata de Rodrigo Parreira nos 100 metros rasos. O técnico Leandro Garcia, que trabalha com Parreira no Sesi Gravatás, analisou o desempenho dos atletas. “Eles realizaram um feito histórico. Começamos pela convocação, em que pela primeira vez o atletismo paralímpico de Uberlândia classificou dois atletas para o evento. Ambos retornam com medalha de ouro”, disse Garcia, que também falou sobre a importância de incentivar o paradesporto.

“Com resultados marcantes a nível mundial, esperamos nos aproximar cada vez mais dos torcedores de Uberlândia. Que as pessoas possam incentivar cada vez mais o atletismo paralímpico, que venham investimentos para melhorar a qualidade do trabalho e apareçam mais e grandes talentos, como o Mauro e Rodrigo, que tiveram a oportunidades de mostrar seus talentos”, afirmou.

NATAÇÃO
Com uma das equipes mais competitivas do Brasil na natação paralímpica, os nadadores do Praia Clube também obtiveram grandes resultados em Lima. As medalhas vieram com Gabriel Melone, Guilherme Silva, Laila Garcia e Vanilton Filho. Acompanhados pelo técnico Alexandre Vieira, que também integrou o corpo técnico da Seleção Brasileira, os praianos conquistaram 17 medalhas, sendo cinco de ouro, cinco de prata e sete de bronze, além de três recordes brasileiros e três Pan-Americanos.

Para Alexandre Vieira, os resultados do grupo praiano foram surpreendentes. “Sem dúvida alguma, as conquistas obtidas servem de termômetro para a nossa preparação visando os Jogos Paralímpicos Tóquio 2020. Além disso, endossa que estamos no caminho certo rumo às convocações para o próximo ano”, disse. 

Os maiores destaques foram Vanilton Filho, com a conquista de três medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze, além de Laila Garcia, que trouxe duas de ouro, três de prata e duas de bronze.

Laila Garcia se destacou faturando sete medalhas e quebrando três recordes brasileiros. Ela foi ainda a quinta maior medalhista de toda a competição. No masculino, Vanilton Filho, de 26 anos, trouxe na bagagem seis medalhas. O goiano também bateu dois recordes Pan-Americanos.
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »