01/09/2019 às 08h00min - Atualizada em 01/09/2019 às 08h00min

A China pelo olhar de Ronaldo Lemos

Mineiro de Araguari comanda 3ª temporada do “Expresso Futuro”

ADREANA OLIVEIRA
Ronaldo Lemos e equipe visitaram 12 cidades chinesas para a produção da série | Foto: Divulgação

Ronaldo Lemos é um dos mais respeitados especialistas em temas como tecnologia, mídia e propriedade intelectual não só no Brasil, mas referência também mundial. E a partir de hoje os telespectadores do “Fantástico” embarcarão em uma viagem comandada por ele à China. O mineiro de Araguari, cidadão do mundo, apresenta a terceira temporada do “Expresso Futuro”, que depois da estreia neste domingo na Globo será exibida a partir de amanhã no Canal Futura.

E mesmo com a agenda cheia, com direito a participação no “Conversa com Bial” da última quinta-feira (29), Lemos atendeu ao Diário de Uberlândia para um bate papo sobre o que está por vir nesta série que se passa onde o futuro é agora.

“Esta temporada foi gravada totalmente na China, visitamos mais de 12 cidades e foi literalmente um mergulho no país. As duas temporadas anteriores foram feitas em Nova York. Desta vez, vamos apresentar a China contemporânea para quem não tem ideia ainda do que está acontecendo no país em termos de inovação. É muito impressionante ver coisas como pagamentos digitais por celular, trem bala, carros elétricos por toda a parte e um planejamento urbano que coloca os pedestres e as bicicletas no centro da vida urbana”, disse Lemos.

Recentemente, como foi noticiado pelo colunista Flávio Ricco, o programa conquistou o prêmio Televisión América Latina (TAL), no Uruguai, como Melhor Programa Latinoamericano em Ciência e Tecnologia, concorrendo com produções da Colômbia, Argentina e México.

Advogado, professor, especialista em tecnologia e um comunicador e pesquisador nato, Lemos vê com tristeza o momento em que passamos com tantos cortes na educação e no financiamento de pesquisas.

“Boa parte do salto que a China deu foi por causa de educação. Há 40 anos o país era uma economia rural e havia 750 milhões de pessoas pobres. A fome era uma realidade para essas pessoas. Hoje, o país tornou-se uma potência industrial e agora começa a se consolidar como uma potência tecnológica. É algo que pode inspirar o nosso país. Não para copiar a China, que tem uma história única, mas para podermos começar a sonhar tão alto quanto eles ousaram fazer”.

SEMPRE EM MOVIMENTO
Ronaldo Lemos nasceu em Araguari, em 1976. Neste ano, celebrou o aniversário com amigos e familiares na casa da mãe, em Uberlândia. Ao sair da cidade natal veio para Uberlândia. Depois, partiu para São Paulo, onde viveu por 10 anos e cursou direito na Universidade de São Paulo (SP) e a carreira a acadêmica o levou longe. O mestrado, também em Direito, foi em Harvard, nos Estados Unidos, onde também chegou a ocupar cadeira de professor, assim como na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e na Columbia University, em Nova York.

E ele não para. Uma página de jornal é pouco para apresentar todos os trabalhos relevantes tanto nacional como internacionalmente de Lemos. Só para citar alguns, além do “Expresso Futuro” e atuação na área de advocacia, ele é comentarista de tecnologia da Globonews, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS Rio) e pesquisador do MIT Media Lab, além de assinar colunas no jornal “Folha de S. Paulo” e revista “Trip”.

Lemos está entre os principais criadores do Marco Civil da Internet, projeto de lei para regular a internet brasileira protegendo direitos civis, privacidade e a neutralidade da rede foi um dos co-autores do Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT). E está à frente das atividades da Creative Commons no Brasil desde a adaptação da licença ao país em 2004. O mineiro é o único latino-americano entre os nove integrantes da cúpula do Creative Commons - conjunto de licenças que permite a um artista licenciar parte de seus direitos autorais. O mineiro, porém, não se esquece das lições de casa.

 

“Araguari e Uberlândia são cidades muito especiais. Araguari, por exemplo, foi a primeira cidade do Brasil a ter um sistema de TV a cabo, ainda na década de 80. Isso mudou a minha vida e a vida da minha geração, pois essa era a tecnologia de informação mais avançada da época. Tanto Uberlândia quanto Araguari tiveram empresas telefônicas privadas em um momento em que toda a telefonia era estatal. Isso demonstra como são cidades em que a tecnologia da informação sempre esteve presente e teve um papel importante na formação das pessoas de lá”.


Apreciador de música e cultura em geral, no currículo de Lemos consta ainda curadoria para o saudoso Tim Festival (edições 2005 e 2008) e apresentação do programa “Mood MTV” (2011).

SERVIÇO

Assista à terceira temporada do “Expresso Futuro” no “Fantástico” (Globo), a partir de hoje, e a partir de amanhã no Canal Futura, assim como nas plataformas digitais dos dois canais.
Acompanhe Ronaldo Lemos: @lemos_ronaldo

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »