30/08/2019 às 07h51min - Atualizada em 30/08/2019 às 07h51min

Divas Dom Almir precisam de apoio para ir jogar

Equipe de Uberlândia necessita de R$ 2,4 mil para transporte até a capital federal

EDER SOARES
Projeto Divas Dom Almir começou em 2012, voltado para o futsal e futebol feminino | Foto: Divulgação

O projeto Divas Dom Almir corre contra o tempo e pede ajuda para que a equipe viabilize sua participação no Torneio de Futsal Barbosa, competição marcada para acontecer em Brasília (DF), entre os dias 6 e 8 de setembro, e que contará com importantes equipes do futebol feminino. Contando com a venda de rifas e jujubas, o time já conseguiu o montante para custear alimentação e hospedagem, mas ainda faltam R$ 2,4 mil referentes ao transporte até a capital federal.

O treinador e coordenador do projeto, Alexsandro Damas, afirma que a competição é uma das principais do país na atualidade e que a participação do time uberlandense seria fundamental para o crescimento das jogadoras. “Reforçando que seremos o único time de Minas Gerais no torneio.  A equipe Braga, de Paracatu, desistiu de participar devido a questões financeiras também. Estamos atrás, mas até o momento não temos condições de ir”, disse Damas.

O projeto Divas Dom Almir começou em 2012, voltado para o futsal e futebol feminino, e vem ajudando adolescentes e adultas carentes do bairro Don Almir, na zona leste da cidade. O time nasceu junto ao já extinto projeto “Fica Vivo”, na época mantido pelo Governo Estadual. São mais de 40 mulheres com idade entre 12 e 33 anos que têm aulas sem custo todas às terças-feiras e quintas-feiras, das 18h às 20h30, na praça do bairro, já que o time não tem mais local disponível para fazer treinamentos.

Alexsandro Damas pede apoio do poder público e empresários para que também possa ser disponibilizado um local com o mínimo de estrutura para que as jogadoras passem a treinar de forma digna.

“A falta de local para treinarmos, quadra ou campo, realmente é outro fator que dificulta muito o nosso trabalho e o desenvolvimento das jogadoras. A parte técnica e tática fica muito comprometida dessa forma. A gente vai sempre dando um jeito, mas tudo isso vai na contramão do que vem se pedindo, que é dar maior apoio ao futebol feminino”, afirmou Damas.
 
RESULTADOS
Neste mês, quatro meninas de Uberlândia voltaram do Mato Grosso com experiência e mais bagagem. Três delas são atletas do Divas Dom Almir, casos da zagueira Elyonara, da meia Natália e da atacante Aline. Já a lateral Paula atua pelo Jade Beats, outra equipe de Uberlândia.  As jogadoras vestiram a camisa do Mixto, de Cuiabá. Com a camisa da equipe alvinegra, elas chegaram à final do Campeonato Mato-grossense e ficaram com o vice-campeonato.

Natália tem 17 anos e veio do norte de Minas. Ela está no Divas há seis anos e fala da importância do projeto em seu sonho de se tornar jogadora. “Eu aprendi e aprendo muitas coisas com o Divas, que me ensinou primeiramente a ser humana, tratar as pessoas com respeito, saber que tem hora para tudo e, principalmente, a ter disciplina. Aqui já tive muitas oportunidades e uma delas foi a ida a cidade de Cuiabá, onde joguei uma competição estadual de futebol de campo”, disse.  
 
Para ajudar as Divas Dom Almir, ligue para Alexsandro Damas no telefone (34) 99126-5604.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »