18/08/2019 às 11h53min - Atualizada em 18/08/2019 às 11h53min

UFU suspende pagamentos de bolsas e transporte intercampi para outras cidades

Comunicado foi feito na última sexta-feira (16) pela Pró-Reitoria de Planejamento e Administração; outras áreas também são afetadas

DA REDAÇÃO
Faixas sobre os cortes na educação foram anexadas no campus Santa Mônica da UFU na segunda-feira (12) | Foto: Reprodução/Twitter
Assim como sinalizado em abril pelo pró-reitor de Planejamento e Administração, Darizon Alves de Andrade, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) já vinha revendo contratos e suspendendo serviços devido ao corte orçamentário anunciado pelo governo federal na Educação. Na última sexta-feira (16), a instituição anunciou novo contingenciamento que afeta o pagamento de bolsas e a suspensão de serviços como o transporte intercampi para outras cidades.

O comunicado feito à comunidade acadêmica foi publicado internamente e acabou viralizando nas redes sociais neste sábado (17) e domingo (18), causando insatisfação em muitos usuários. Veja alguns comentários publicados no Twitter:

 
No documento, a  Pró-Reitoria de Planejamento e Administração (Proplad) esclarece que as medidas para redução de despesas foram adotadas a partir de avaliação da situação orçamentário-financeira da UFU e considerando as necessidades de ajuste nas despesas discricionárias diante ao bloqueio orçamentário definido pela União.

Com isso, foram determinadas as seguintes medidas para que sejam implementadas de forma imediata:

1. redução em 50% da quantidade de postos de trabalho nos contratos de mão de obra;

2. suspensão temporária de contratos de prestação de serviços por demanda tais como: serralheria, pintura, forros e dry wall, pisos, vidraçaria, persianas, divisórias, vidros, chaveiros e outros;

3. interrupção do serviço de transporte “Intercampi” intermunicipal;

4. redução do serviço de transporte “Intercampi” entre campus da mesma cidade, em 70% em relação ao serviço oferecido atualmente;

5. suspensão de viagens de ônibus/carros a destinos cuja distância de Uberlândia seja superior a 500 Km;

6. suspensão imediata do pagamento de subsídio do quilômetro rodado por parte da Proplad;

7. suspensão temporária de 100% do contrato de lanches;

8. redução do quadro de estagiários em 60% do quadro hoje existente;

9. suspensão temporária da implementação do "Programa Bolsas de Graduação - PBG" com início originalmente previsto para setembro

10. suspensão do pagamento de bolsas de iniciação científica relativas a contrapartida da UFU para com a Fapemig a partir de setembro/2019.

As medidas poderão ser revistas, segundo o pró-reitor, assim que o Ministério da Educação (MEC) prestar informações sobre o desbloqueio do orçamento, com a possibilidade de retorno parcial dos serviços suspensos.

CORTES
Em entrevista ao Diário assim que anunciado o bloqueio orçamentário federal, Darizon esclareceu que já fazia ajustes também no quadro de funcionários da UFU e vinha trabalhando, na ocasião, com uma perspectiva de 8% de déficit. O orçamento anual previsto para a UFU neste ano era de R$ 1,39 bilhão.


Darizon disse que restrição chegou num momento que a instituição está em processo de expansão | Foto: Diário de Uberlândia

Na contramão das medidas, a universidade também alegou que tinha demanda para ampliar o transporte intercampi, no entanto, o cenário agora é de redução.

Além das obras em andamento que poderão ser diretamente afetadas, as pesquisas científicas também são prejudicadas com a falta de recursos. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), por exemplo, já havia cortado 190 bolsas de alunos da instituição e 25 de alunos de segundo grau que participavam de projetos ligados à universidade, segundo a Diretoria de Pesquisa da UFU.

Nesta semana, durante o início do semestre letivo, diversas faixas foram anexadas no campus Santa Mônica da UFU com mensagens sobre a situação financeira da instituição ante aos cortes.

LEIA TAMBÉM:
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »