08/07/2019 às 17h47min - Atualizada em 08/07/2019 às 17h47min

Temperatura em Uberlândia é uma das mais baixas dos últimos anos

Sensação térmica chegou a 2°C no fim de semana; haverá baixa oferta de alimentos devido a prejuízos nas lavouras

GIOVANNA TEDESCHI E CAROLINE ALEIXO
Previsão do tempo é de que temperaturas tendem a aumentar ao longo da semana | Foto: Caroline Aleixo

Quem não se assustou com o frio de Uberlândia neste fim de semana foi exceção. Nas redes sociais teve gente feliz, mas também uma galera triste com o clima. Segundo as estimativas do Laboratório de Climatologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), os termômetros registraram uma das temperaturas mais baixas dos últimos anos com sensação térmica que chegou a 2°C. Com isso, muitos produtores rurais tiveram prejuízos e o consumidor deve sofrer com a baixa oferta e preços altos de alguns alimentos até o fim da semana.

 

 

 

  
 

O climatologista e professor da UFU, Paulo Cézar Mendes, comentou que esse foi o fim de semana mais frio do ano com a mínima registrada de 6°C durante a madrugada de domingo (7). A sensação térmica quase próxima a zero foi sentida em regiões da cidade onde há muito vento. Moradores de Uberlândia também registraram termômetros marcando 5°C e 4°C na região sul e leste da cidade.

 

Apesar disso, Mendes explicou que o frio é normal considerando a época do ano. “Quando temos uma massa polar mais intensa, como a que chegou, ela promove essas quedas bruscas. Depois que ela se instala, normalmente a temperatura cai no primeiro e no segundo dia e depois já volta a tropicalizar novamente. A temperatura volta a subir de forma gradativa”, disse.

 

A massa de ar que chegou na última semana foi uma das mais fortes dos últimos anos e atingiu grande parte do interior do Brasil e provocou friagem até no Amazonas. Na região sul, houve relatos de geadas e neve.

O que provocou a intensidade dessa frente fria foi o sequenciamento das massas de ar. O climatologista esclareceu que, caso estivesse muito quente na região, seria mais difícil para que o frio aparecesse. Essas massas de ar costumam chegar de duas a três vezes durante essa época do ano.
 
“Julho é nossa porta de entrada para os meses de inverno. No mês de agosto a temperatura já está subindo. Em setembro e outubro já são os meses com temperatura mais quente que a gente registra”, afirmou.

​Durante o restante da semana, segundo o climatologista, o tempo deve esquentar lentamente e as temperaturas variam entre 13°C e 24°C. Sobre a falta de chuva, é natural que o inverno na região seja bastante seco. O especialista destacou que, para a precipitação acontecer, é necessário que predomine uma massa de ar úmido, o que dificilmente ocorre com as massas polares, frias e secas.


Ciclistas de Uberlândia registraram termômetro a 4°C na madrugada de domingo (7) | Foto: Mariane Pereira da Silva

Ciclistas de Uberlândia registraram termômetro a 4°C na madrugada de domingo (7) | Foto: Mariane Pereira da Silva

Ciclistas de Uberlândia registraram termômetro a 4°C na madrugada de domingo (7) | Foto: Mariane Pereira da Silva

ACOLHIMENTO
A Secretaria Municipal de Defesa Social intensificou a atenção à população em situação de rua durante o final de semana, ampliando as vagas nos abrigos subvencionados pela Prefeitura de Uberlândia.

Nos quatro abrigos, são ofertadas normalmente 160 vagas. Durante o fim de semana, foram abertas mais 150 vagas emergenciais e cerca de 1 mil ligações atendidas pela pasta. O Município informou que, na noite deste domingo (7), foram contabilizadas 110 pessoas acolhidas nas unidades. Dessas, 25 foram atendidas por meio de busca ativa, quando as equipes percorrem as ruas da cidade e abordam os moradores em situação de rua.


Uma das principais dificuldades enfrentadas, segundo a administração, é que grande parte das pessoas ainda se recusa a ir para o abrigo, caso contrário, o número de acolhidos poderia ser maior.

SEGURANÇA
O Corpo de Bombeiros não atendeu nenhuma ocorrência em virtude do frio do fim de semana, especialmente envolvendo moradores em situação de rua. Já o comando da Polícia Militar (PM) informou que houve uma leve diminuição na criminalidade, porém sem muita expressão já que o índice de ocorrências registradas nos finais de semana geralmente é pequeno.

A PM disse que é comum apresentar queda no número de crimes quando o clima está frio. Em maio do ano passado em Uberlândia, por exemplo, não houve registro de nenhuma ocorrência em um dos dias mais frios de 2018. No início da manhã de segunda-feira, 21 de maio, a s
ensação térmica registrada pelo laboratório da UFU havia ficado em 3ºC. 



ALIMENTOS
Vários produtores da cidade registraram prejuízos devido ao frio intenso e com geada em algumas localidades. O gerente da unidade local da Central de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), Cláudio Rodrigues, comentou que o mercado já vinha sentindo os reflexos do clima.

“Nós já estávamos vindo de uma oferta regularmente baixa nos últimos dias devido às baixas temperaturas. Essa geada que veio no fim de semana prejudicou um pouco mais. Muitos produtores estão preocupados com a situação. Com certeza isso vai ter uma consequência maior”, disse.

Ainda segundo o gerente, a produção de folhosos foi a mais prejudicada. Os produtores disseram que quando foram colher a plantação de sábado para domingo, ela já estava bem prejudicada. O tomate também vai sofrer com a queda de oferta e o consumidor deverá sentir o impacto até o fim da semana.

“A partir de quinta-feira, os reflexos podem ser maiores. Início de mês a procura é maior, a oferta estará baixa e o preço irá aumentar”, comentou.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »