05/07/2019 às 15h21min - Atualizada em 05/07/2019 às 15h21min

Valor de Lamborghini apreendida em operação é revertido à PM de Uberlândia

Carro de luxo foi recolhido durante a operação "Catira" realizada em novembro de 2015; recurso será destinado para compra de rádios digitais e outros materiais

DA REDAÇÃO
Carro foi apreendido no estado de São Paulo e levado para a Delegacia da Polícia Federal de Uberlândia | Foto: Polícia Federal/Divulgação
O valor de venda de uma Lamborghini apreendida em um desdobramento da operação “Catira”, em 2015, será destinado ao comando da Polícia Militar (PM) de Uberlândia. A informação foi divulgada pela PM durante coletiva de imprensa sobre a Operação "Safety Car", na manhã desta sexta-feira (5). O montante vai ajudar na compra de novas viaturas e na implantação de melhorias nas unidades da corporação que abrange a região do Triângulo Norte.

Segundo o comandante da 9ª Região da Polícia Militar de Uberlândia (RPM), coronel Cláudio Vitor Rodrigues Rocha, o valor adquirido com o veículo de luxo foi de R$ 550 mil. “O recurso será aplicado na compra de rádios digitais que serão destinados, principalmente, à região de Ituiutaba”, explicou o coronel.

Rocha também explicou que a intenção é alcançar a digitalização de todas as unidades da região que a PM cobre com o apoio do Ministério Público Estadual (MPE). Dezoito cidades já receberam a tecnologia, faltam duas.

Coronel da 9ªRPM de Uberlândia fala sobre recurso adquirido durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (5) | Foto: Caroline Aleixo

Além dos equipamentos comunicadores, também serão adquiridas duas viaturas que serão entregues ao Grupo Estadual de Combate a Organizações Criminosas (Gecoc), que é composto por agentes lotados na PM e que fazem parte do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

“Queremos melhorar a qualidade do sistema para fortalecer as ações contra o crime organizado. A finalidade é focar na segurança dos cidadãos do bem”, finalizou o coronel.

OPERAÇÃO “CATIRA”
A operação “Catira” foi realizada em novembro de 2015, pela Polícia Federal (PF) e outros órgãos de segurança,  em todo o Brasil. As ações tiveram como intuito o combate de crimes de uma das maiores quadrilhas do país especializada em roubo de cargas e receptação.

Os 45 suspeitos foram presos em Minas Gerais e em outros sete estados do Brasil, além do Distrito Federal (DF). No Triângulo Mineiro foram 20 detidos em Uberlândia e Uberaba.

Em um dos desdobramentos da operação, a Lamborghini, na época avaliada em R$ 1 milhão, foi apreendida no estado de São Paulo e trazida para a Delegacia da Polícia Federal de Uberlândia, onde ficou apreendida desde então. As autoridades afirmaram que o veículo foi comprado com dinheiro ilícito fruto dos roubos de carga interestaduais cometidos pela organização criminosa. 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »