27/05/2019 às 19h06min - Atualizada em 27/05/2019 às 19h06min

​Jovem detido por perseguir mulheres dentro da UFU tem prisão preventiva decretada

Assessor parlamentar tinha outras passagens incluindo tentativa de estupro e roubo; audiência de custódia ocorreu no fim de semana

CAROLINE ALEIXO
Homem entrava em vestiário do Centro Esportivo, no campus Santa Mônica, para observar alunas e servidoras | Foto: UFU/Divulgação
A Justiça de Uberlândia converteu a prisão em flagrante do jovem Julio Cesar do Carmo Lima Filho em prisão preventiva. Com isso, ele permanece preso no Presídio Professor Jacy de Assis durante as investigações da Polícia Civil, que apura crime praticado contra a dignidade sexual.

O então assessor parlamentar na Câmara Municipal de Uberlândia foi preso em flagrante na última quinta-feira (23) após ser denunciado por perseguir mulheres no campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). As câmeras de segurança ainda o registraram entrando em um dos banheiros femininos da instituição.

No último sábado (25) foi realizada a audiência de custódia dele e o juiz decretou a prisão preventiva. O Diário de Uberlândia apurou que Julio já tem outras passagens por roubo, tentativa de estupro, no qual já foi condenado e cumpriu pena em regime semiaberto, e ainda prática de importunação ofensiva ao pudor.

Neste último caso, ele foi denunciado por uma moradora de um condomínio onde o suspeito morava por ficar importunando as mulheres no local. Segundo consta no boletim de ocorrência, ele tocava a campainha das residências para averiguar se as mulheres estavam sozinhas. Quando via que não, disfarçava como se tivesse errado o número da casa.

A defesa dele informou que vai recorrer para que o cliente possa responder ao novo crime em liberdade. “Na audiência de custódia o promotor foi a favor a liberação dele, mas o juiz negou e converteu em preventiva. Agora estamos dando andamento para que ele responda o processo em liberdade”, disse o advogado Adriano Parreira de Carvalho.

Segundo o advogado, Julio confirma que realmente entrava no banheiro e olhava as meninas, porém que saía correndo no momento em que elas percebiam a presença dele, sem qualquer contato físico.

Vítima foi observada por rapaz no banheiro
No campus Santa Mônica, pelo menos duas alunas e uma servidora denunciaram o suspeito na última semana. Ele já estava sendo monitorado pela vigilância local e foi um dos vigilantes que acionou a Polícia Militar (PM).

O Diário de Uberlândia conversou com uma das vítimas, que preferiu não se identificar, e relatou medo com a situação, principalmente pelo fato de o rapaz já ter passagem por crime contra a dignidade sexual.

 “Eu pensei que eu era um caso isolado, mas aí quando fiquei sabendo do histórico dele fiquei com mais medo ainda”, disse.

A mulher contou que nunca tinha visto Julio na universidade e foi surpreendida por ele no momento em que estava dentro de um dos boxes do vestiário, que fica no Centro Esportivo do campus.

No último dia 22, ela entrou no banheiro por volta das 11h39 da manhã e estava se trocando em um dos boxes. No momento em que ela percebeu um movimento, e olhou para cima, viu a mão do suspeito e notou que estava sendo observada.

“Eu vi a mão dele e ele me olhando. Eu estava só de calcinha e, quando vi ele, tentei me vestir o mais rápido possível e fiquei em choque. Quando eu saí do box, ele não estava dentro do banheiro mais”, relatou.

Pelas imagens de segurança, a vítima viu que o rapaz estava escondido dentro do banheiro há mais de 10 minutos. Ela chegou a comentar a situação com uma colega, que também disse ter visto o homem no banheiro, contudo achou que ele tivesse entrado por engano e pediu para que saísse.

A vítima relatou que desde o último dia 17 o rapaz vinha sendo monitorado pelos vigilantes da universidade e que ela o reconheceu nas imagens apresentadas. Defendeu ainda que o local onde as perseguições ocorreram não conta com vigilante o tempo todo mais e que isso poderia ter coibido a ação do suspeito.

A Universidade Federal de Uberlândia assegurou que ficam vigilantes 24h pelo Centro Esportivo e que, na última semana, o autor foi justamente flagrado por um dos vigias, que acionou a PM.

PRISÃO

O jovem de 26 anos foi preso na manhã de quinta-feira (23) no campus Santa Mônica. Os policiais se deslocaram até o local e encontraram o jovem dentro de um box do banheiro. As vítimas relataram que foram seguidas e que, quando estavam tomando banho, o rapaz as observava por cima do box.

O suspeito era assessor parlamentar no gabinete do vereador Wender Marques (PSB), na Câmara, e se identificou à PM também como motorista de aplicativo. No mesmo dia da prisão, ele teve a exoneração publicada no jornal o Legislativo.

Julio foi ouvido pelo delegado de plantão e teve o auto de prisão em flagrante expedido. Desde a madrugada de sexta-feira (24) ele se encontra no presídio de Uberlândia. A Polícia Civil instaurou inquérito e segue com as investigações sobre o caso. 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »