17/05/2019 às 07h51min - Atualizada em 17/05/2019 às 07h51min

Claudio Hannibal espera lutar no UFC de Abu Dhabi

Uberlandense, que treinará em Miami, busca a 5ª vitória na maior franquia do MMA

EDER SOARES
Hannibal tem meta de chegar à conquista do cinturão em até dois anos (Divulgação/UFC)
O uberlandense Claudio Hannibal está curtindo um período de descanso na cidade até a definição do seu próximo adversário no UFC - o lutador vem de uma série de quatro vitórias seguidas. Mesmo curtindo a esposa, amigos e familiares no bairro Tocantins, zona oeste de Uberlândia, Hannibal não para com os treinamentos e não quer correr o risco de perder condição física e técnica. O lutador aguarda com expectativa ao anúncio do seu próximo combate, válido pela categoria dos meio-médios (até 77kg).

Na lista de eventos do UFC existem duas possibilidades e uma preferência de Hannibal. No dia 7 de setembro, o UFC terá um dos seus principais eventos do ano, que será realizado em Abu Dabi, nos Emirados Árabes. É lá que o uberlandense espera ser incluído no card principal do evento, que terá como combate principal o confronto entre o russo Khabib Nurmagomedov, que tem uma incrível série de 27 vitórias seguidas, e o norte-americano Dustin Poirier. Essa luta vale o cinturão dos pesos leves.

Outra possibilidade é a de Hannibal ser incluído no UFC da Rússia, no mês de setembro. Outro fator que pesa para a preferência do brasileiro para lutar em Abu Dabi é que ele já morou e treinou por lá.  “Estou tentando entrar em Abu Dab, mas depende da organização. É um card que será histórico e eu gostaria muito de estar lá”, disse Hannibal.

No dia 20, Claudio Hannibal embarca para Londres (Inglaterra), onde mora. Logo depois, pega voo para Miami (Estados Unidos), onde começará a treinar na Academia American Top Team, a mais renomada na atualidade do MMA e que conta com alguns campeões do UFC. “Lá tem uma estrutura que você faz tudo em um único lugar. É a melhor academia do mundo e estarei muito bem preparado lá”, afirmou Hannibal, que quer chegar à conquista do cinturão em até dois anos.
 
CUIDADOS
 
Hannibal não quer correr riscos desnecessários de sofrer uma nova lesão, como a que o deixou praticamente três anos impossibilitado de lutar. “Hoje eu escolho com quem eu treino. Tem muito cara que quer treinar comigo, mas me vê como alvo. Às vezes, ele nem quer me lesionar, mas acontece. Hoje eu escuto o meu corpo. Todas as vezes que me lesionei foi também porque eu não entendia o meu corpo e queria treinar sem limites, sem ter descanso entre cinco horas de um treino para o outro. O treino deve ter qualidade e não quantidade”, disse.

Em sua última luta, realizada em março deste ano, Hannibal venceu o britânico Danny Roberts, por finalização, no terceiro round do UFC London (Inglaterra).  Antes, ele havia lutado no UFC Liverpool (Inglaterra), em maio do ano passado, quando finalizou o canadense Taleb Nordine. A vitória anterior foi sobre o britânico Leon Edwards, em 2014, no UFC de Uberlândia. Já a primeira vitória no UFC foi no mesmo ano, diante do também britânico Brad Scott, em Londres.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »